Archive

Posts Tagged ‘LOA’

Lei Orçamentária Anual DF 2012

Este post, dando seguimento ao listando as Emendas Parlamentares à LOA 2012 do DF, não pretende entrar em detalhes técnicos da proposta orçamentária do GDF para o exercício 2012. Existem outras publicações, com autores muito mais competentes para explicar e comentar a LOA.

Aqui estarão tão somente números em direta relação com a população, como os dos programas e atividades previstas pelo Governo. Este post será regularmente aumentado de detalhes, em particular em relação às previsões de investimentos.

Todos os números têm sua origem na Lei 4.744 de 29 de Dezembro de 2011, publicada no DODF de 30 de dezembro de 2011. Esses são referentes aos R$ 16,85 bilhões do orçamento próprio, sem levar em consideração nem os R$ 10 bilhões do Fundo Constitucional do DF, nem o R$ 1,6 bilhão do orçamento des empresas estatais.

Categoria/Grupo de Despesa R$ %
Pessoal e encargos sociais 8.147.255.761 48,33
Juros e encargos da dívida 204.980.254 1,22
Despesas correntes 5.079.869.985 30,13
Investimentos 2.227.322.152 13,21
Inversões financeiras 542.615.911 3,22
Amortização da dívida 198.310.447 1,18
Reserva de contingência 457.411.002 2,71
16.857.765.512 100,00

Gráfico desta tabela > Resumão das despesas LOA 2012 (pressionar a seta voltar após leitura).
Despesas por função :

Função R$ %
Educação 3.675.819.474 21,80
Saúde 2.440.277.746 14,48
Administração 2.290.853.094 13,59
Previdência Social 1.749.044.472 10,38
Urbanismo 1.669.788.071 9,91
Transporte 1.172.468.611 6,96
Encargos Especiais 956.320.478 5,67
Segurança Pública 601.990.436 3,57
Legislativa 568.313.625 3,37
Assistência Social 367.316.589 2,18
Cultura 183.684.278 1,09
Direitos da Cidadania 166.476.412 0,99
Ciência e Tecnologia 157.799.182 0,94
Agricultura 155.968.912 0,93
Reserva de Contingência 150.196.134 0,89
Essencial à Justiça 122.901.319 0,73
Energia 100.125.704 0,59
Saneamento 87.736.084 0,52
Gestão Ambiental 70.542.435 0,42
Desporto e Lazer 64.721.489 0,38
Trabalho 47.546.227 0,28
Comércio e Serviços 28.879.395 0,17
Habitação 19.205.345 0,11
Indústria 9.790.000 0,06
16.857.765.512 100

Gráfico desta tabela > LOA 2012 por função (pressionar a seta voltar após leitura)

Despesas por RA :

RA  R$
I Plano Piloto 2.997.679.834
II Gama 41.747.625
III Taguatinga 80.191.528
IV Brazlândia 16.000.359
V Sobradinho 43.683.950
VI Planaltina 73.006.186
VII Paranoá 11.720.190
VIII N. Bandeirante 12.489.896
IX Ceilândia 180.410.734
X Guará 275.981.278
XI Cruzeiro 13.266.602
XII Samambaia 35.407.042
XIII Sta Maria 36.964.310
XIV São Sebastião 15.058.430
XV Recanto das Emas 22.833.703
XVI Lago Sul 14.532.727
XVII Riacho Fundo 14.540.100
XVIII Lago Norte 4.935.734
XIX Candangolândia 19.348.121
XX Águas Claras 134.815.093
XXI Riacho Fundo II 4.108.673
XXII Sudoeste/Octogonal 4.451.028
XXIII Varjão 8.712.561
XXIV Park Way 4.702.800
XXV SCIA 29.684.581
XXVI Sobradinho II 10.304.152
XXVII Jardim Botânico 10.312.514
XXVIII Itapoã 4.823.205
XXIX Setor Ind. & Abast. 38.742.526
XXX Vicente Pires 4.650.401
DF Entorno 106.797.715
Entorno 66.127.608
Exterior 225.000
DF 12.519.509.306
16.857.765.512

Despesas por RA e por % (não leva em consideração as quatro últimas linhas da tabela precedente) :

RA R$ %
I Plano Piloto 2.997.679.834 71,97
X Guará 275.981.278 6,63
IX Ceilândia 180.410.734 4,33
XX Águas Claras 134.815.093 3,24
III Taguatinga 80.191.528 1,93
VI Planaltina 73.006.186 1,75
V Sobradinho 43.683.950 1,05
II Gama 41.747.625 1,00
XXIX Setor Ind. & Abast. 38.742.526 0,93
XIII Sta Maria 36.964.310 0,89
XII Samambaia 35.407.042 0,85
XXV SCIA 29.684.581 0,71
XV Recanto das Emas 22.833.703 0,55
XIX Candangolândia 19.348.121 0,46
IV Brazlândia 16.000.359 0,38
XIV São Sebastião 15.058.430 0,36
XVII Riacho Fundo 14.540.100 0,35
XVI Lago Sul 14.532.727 0,35
XI Cruzeiro 13.266.602 0,32
VIII N. Bandeirante 12.489.896 0,30
VII Paranoá 11.720.190 0,28
XXVII Jardim Botânico 10.312.514 0,25
XXVI Sobradinho II 10.304.152 0,25
XXIII Varjão 8.712.561 0,21
XVIII Lago Norte 4.935.734 0,12
XXVIII Itapoã 4.823.205 0,12
XXIV Park Way 4.702.800 0,11
XXX Vicente Pires 4.650.401 0,11
XXII Sudoeste/Octogonal 4.451.028 0,11
XXI Riacho Fundo II 4.108.673 0,10
4.165.105.883 100,00

Despesas e habitantes por RA :

RA  R$ Habitantes
I Plano Piloto 2.997.679.834 (*)204.836
II Gama 41.747.625 127.121
III Taguatinga 80.191.528 221.909
IV Brazlândia 16.000.359 53.874
V Sobradinho 43.683.950 85.491
VI Planaltina 73.006.186 164.939
VII Paranoá 11.720.190 46.527
VIII N. Bandeirante 12.489.896 26.089
IX Ceilândia 180.410.734 398.374
X Guará 275.981.278 125.703
XI Cruzeiro 13.266.602 (*)80.351
XII Samambaia 35.407.042 193.485
XIII Sta Maria 36.964.310 115.607
XIV São Sebastião 15.058.430 71.779
XV Recanto das Emas 22.833.703 125.206
XVI Lago Sul 14.532.727 (*)28.137
XVII Riacho Fundo 14.540.100 30.809
XVIII Lago Norte 4.935.734 (*)35.154
XIX Candangolândia 19.348.121 16.196
XX Águas Claras 134.815.093 135.685
XXI Riacho Fundo II 4.108.673 38.936
XXII Sudoeste/Octogonal 4.451.028 (*)44.122
XXIII Varjão 8.712.561 5.371
XXIV Park Way 4.702.800 (*)23.000
XXV SCIA 29.684.581 (+)25.732
XXVI Sobradinho II 10.304.152 105.363
XXVII Jardim Botânico 10.312.514 22.726
XXVIII Itapoã 4.823.205 50.339
XIX Setor Ind. & Abast. 38.742.526 (*)0
XX Vicente Pires 4.650.401 75.162
4.165.105.883 2.678.023

Os números de habitantes das RAs são provenientes da PDAD – Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios 2010/2011 realizada pela Codeplan, com exceção das RAs com números precedidos por (*), para as quais a PDAD ainda não foi divulgada. Os números destas RAs são provenientes da PNAD/IBGE/2008.

Os habitantes do SCIA são os da Vila Estrutural.

O SIA, até o resultado da PDAD, é considerado sem habitantes.

Despesas por RA e por habitante :

RA R$ por hab
I Plano Piloto 14.634,54
X Guará 2.195,50
XXIII Varjão 1.622,15
XIX Candangolândia 1.194,62
XXV SCIA 1.153,61
XX Águas Claras 993,59
XVI Lago Sul 516,50
V Sobradinho 510,98
VIII N. Bandeirante 478,74
XVII Riacho Fundo 471,94
XXVII Jardim Botânico 453,78
IX Ceilândia 452,87
VI Planaltina 442,63
III Taguatinga 361,37
II Gama 328,41
XIII Sta Maria 319,74
IV Brazlândia 297,00
VII Paranoá 251,90
XIV São Sebastião 209,79
XXIV Park Way 204,47
XII Samambaia 183,00
XV Recanto das Emas 182,37
XI Cruzeiro 165,11
XVIII Lago Norte 140,40
XXI Riacho Fundo II 105,52
XXII Sudoeste/Octogonal 100,88
XXVI Sobradinho II 97,80
XXVIII Itapoã 95,81
XX Vicente Pires 61,87

NB: Foi excluido o SIA (Setor de Indústria & Abastecimento).

Vamos agora nós aprofundar mais para entender melhor tanto as “funções” (educação, saúde, legislativo) quanto qual é o papel das Administrações Regionais nas despesas previstas nas RAs.

Na função “legislativo”, aparecem os dois principais órgãos do Poder Legislativo: a Câmara, e o Tribunal do Contas. Isto não quer dizer que o total dos orçamentos das duas casas sejam considerado de “função legislativa”. Por exemplo, no orçamento da CLDF, há R$ 90.000 previstos para a saúde : Orçamento da CLDF

Não conseguiram identificar os gastos previstos considerados de “saúde” ? As duas últimas linhas, a realização dos dois seminários de R$ 45.000,00 cada um, são considerados gastos em “saúde”. São duas emendas ao Orçamento propostas pelo Deputado Aylton Gomes. Já os R$ 300.000 previstos no Fundo de Assistência à Saude da CL para a realização do Congresso Nacional de Odontologia figuram no programa “cultura”, e também são provenientes de uma Emenda Parlamentar, de autoria de Rejane Pitanga.

A LOA contém muitas informações, às vezes “estranhas”, outras vezes interessantíssimas de anotar. Por exemplo, notaram que a parte de pessoal e encargos na CLDF consome 2/3 do Orçamento. Nota-se também o número de servidores na folha de pagamento: 1.819. Lembra-se que a LOA é uma previsão de gastos, uma abertura de créditos. Que podem ou não ser utilizados. Em 2011, a CLDF não utilizou cerca de R$ 80 milhões do crédito aberto. Em particular, os destinados à TV e à Radio Legislativas, previstos de novo em 2012.

No Tribunal de Contas do Distrito Federal, mais de 3/4 do Orçamento é destinado ao pagamento dos 550 servidores: Orçamento do TCDF

Continuando na LOA (tal como foi aprovada na Câmara), o próximo ítem é o Gabinete do Vice-Governador. Là também, 3/4 da verba é destinada ao pagamento dos (surpreendentes) 140 servidores : Orçamento do Gabinete do Vice-Governador

Mais importante Secretaria do GDF (que integra também a Governadoria, cujo Orçamento não está detalhado), com orçamento definido antes da recriação da Casa Civil, a Secretaria de Governo é uma grande máquina de R$ 300 milhões de gastos previstos, mais da metade para pagamento dos (pasmem) 4.863 servidores ! A sigla (EP) na segunda coluna indica uma Emenda Parlamentar : Orçamento da Secretaria de Governo

Vamos examinar os Orçamentos de cada uma das Regiões Administrativas (RAs), lembrando que programas e ações, mesmo de uma RA definida, podem ser de responsabilidade de Secretarias específicas.

A Região Administrativa de Brasília (RA I) tem um “envelope” de R$ 10.753.902, dos quais R$ 5.877.108 para pessoal (54,65 %) e R$ 4.195.794 para manutenção (39,01 %). Sobraram R$ 535.000 (4,97 %)  para investimentos: Orçamento da Admin Brasília

Apesar de sua longa tramitação, primeiro no Executivo, depois no Legislativa, a LOA, tal como publicada no DODF, não deixa de surpreender com aparentes erros. Assim, no Orçamento da Administração de Brasília, houve uma “duplicação” da Emenda Parlamentar de “Apoio à Caminhada Mariana”, de R$ 30.000,00, que aparece tanto no programa “cultura” quanto, de forma mais estranha, em “gestão, manutenção”.

A Região Administrativa do Gama (RA II) tem previsto um orçamento de R$ 19.034.888, onde R$ 10.226.392 estão reservados para o pessoal (53,72 %), R$ 6.663.496 para as despesas de funcionamento (35,01 %) e R$ 2.145.000 para investimentos (11,27 %) : Orçamento da Admin Gama

O orçamento do Gama mostra as discrepências que podem ocorrer na avaliação dos eventos não discriminados, sejam eles culturais ou esportivos. Assim, o Executivo previu “apoio a 10 eventos esportivos” por um valor de R$ 70.000,00 (R$ 7.000,00 por evento), enquanto uma Emenda Parlamentar atribui R$ 20.000,00 para ajudar “6 eventos esportivos” (R$ 3.333,00 cada).

Taguatinga, Região Administrativa III, recebe um orçamento de R$ 31.680.841, dos quais o pessoal consome R$ 12.572.902 (39,69 %), as despesas correntes R$ 10.807.939 (34,11 %) e os investimentos R$ 8.300.000 (26,20 %) : Orçamento da Admin Taguatinga

Em Taguatinga também se repeteem as diferenças de estimação de custos. Duas Emendas Parlamentares propoem obras de “urbanização”. Mas os mesmos 10.000 m2 , na primeira EP, custariam R$ 2 milhões e na segunda, somente R$ 200 mil.

A quarta Região Administrativa é Brazlândia, que recebe R$ 8.533.775, dos quais R$ 4.879.772 são reservados para o pessoal (57,18 %), R$ 2.429.003 para a manutenção da Administração (28,46 %) e R$ 1.225.000 para investimentos (14,35 %). : Orçamento da Admin Brazlândia

Nenhum dos 24 Deputados Distritais da atual Legislatura é originário de Brazlândia. Isto se reflete no pequeno número de Emendas Parlamentares previstas para a cidade, com notável exceção da que prevê a duplicação da ponte sobre o Roedor.

A Região Administrativa V é a de Sobradinho, para a qual foram previstos R$ 15.352.606, dos quais R$ 5.567.341 para pessoal (36,26 %), R$ 4.215.265 para funcionamento (27,45 %) e R$ 5.570.000 para investimentos (36,28 %) : Orçamento da Admin Sobradinho

Situação inversa à de Brazlândia. Sobradinho conta com dois Deputados Distritais na CLDF, garantindo muitas Emendas Parlamentares e, por tabela, um maior volume de despesas consideradas de “investimento”. Por outro lado, a parte proveniente do Executivo é menor que nas outras RAs.

Planaltina (RA VI) está muito bem representada na CLDF. Aylton Gomes e Claudio Abrantes têm base eleitoral na cidade, Joe Valle e Eliana Pedrosa conhecem bem as necessidades da zona rural. Isto explica o grande número de Emendas Parlamentares destinadas à cidade. No total, são previstos R$ 15.646.369, dos quais 5.895.179 para pessoal (37,67 %), R$ 6.981.190 para funcionamento (44,62 %) e R$ 2.770.000 para investimentos (17,70 %) : Orçamento da Admin Planaltina

A região de Planaltina é bem conhecido por eventos que ganharam fama até nacional, como a Via Sacra e a Festa do Divino Espírito Santo. São as Emendas Parlamentares que sustentam estas manifestações culturais. No entanto, a parte de investimentos previstos fica aquém de outras RAs, inferior a 20% do orçamento anual.

R$ 8.954.194 foram reservados para a Administração do Paranoá. A RA VII terá R$ 2.086.627 para folha de pessoal (23,30 %), R$ 4.957.567 para manutenção (55,37 %) e R$ 1.910.000 para investimentos (21,33 %) : Orçamento da Admin Paranoá

Deputados Distritais se sensibilizaram com a carência em infra-estrutura e urbanização do Paranoá, que poderá contar com quase R$ 1,5 milhão para estas obras, bem como para a construção de feira permanente. A folha de pessoal tem um percentual reduzido, mas as despesas correntes ultrapassam a metade do orçamento.

O Núcleo Bandeirante deve receber R$ 6.026.520 em 2012, dos quais R$ 3.887.866 para folha de pagamento (64,51 %), R$ 1.338.654 para despesas correntes (22,21 %) e R$ 800.000 (13,27 %) : Orçamento da Admin N. Bandeirante

Nenhuma Emenda Parlamentar para o berço de Brasília. E o resultado é um orçamento menor, e sobretudo com um percentual de investimento muito baixo. Mais de 85% da verba prevista serve para a manutenção da “máquina”.

Maior cidade do Distrital Federal, Ceilândia não tem o maior orçamento, perdendo – e muito – para Taguatinga. São previstos R$ 23.653.272 distribuídos em R$ 10.916.040 para pessoal (46,15 %), 7.072.232 para funcionamento (29,90 %) e R$ 5.665.000 para investimentos (23,95 %) : Orçamento da Admin Ceilândia

Quase um quarto de investimento para o orçamento de Ceilândia, graças a uma Emenda Parlamentar de Chico Vigilante que reserva mais de R$ 2 Milhões para obras de urbanização. Uma outra emenda do mesmo parlamentar serve de exemplo de fácil fiscalização por parte da população: R$ 150.000 previstos para a “reforma da quadra de esportes da QNP 28”. Se for executada a proposta, a quadra será reformada até o fim do ano. Se não for, será o caso de questionar o GDF sobre a razão da não-execução.

R$ 16.915.131 estão destinados à Administração Regional do Guará. Destes, R$ 5.452.188 (32,23 %) irão para despesas de pessoal, R$ 4.202.943 (24,85 %) para despesas de manutenção, e R$ 7.260.000 (42,92 %) para investimentos : Orçamento da Admin Guará

Belo volume de investimentos previstos para o Guará, essencialmente graças às Emendas Parlamentares.  Várias ações propostas são de fácil visualização (e fiscalização) como construção de praças, quadras e cobertura da feira.

O Cruzeiro tem R$ 6.298.678 reservados na LOA 2012, com R$ 2.659.339 (42,22 %) para pessoal, R$ 2.579.539  (40,95 %) para despesas correntes e R$ 1.060.000 (16,83 %) para investimentos : Orçamento da Admin Cruzeiro

Pouco investimento previsto para o Cruzeiro. Chama à atenção o volume de recursos previsto para o programa “Reintegra Cidadão” (R$ 310.000,00). Em quase todas as ARs, há enveloppe destinada à esta ação, que visa a reintegração à sociedade de apenados em regime semi-aberto ou aberto. O que surpreende mais é o número de “pessoas” beneficiárias indicados, sempre baixo (20, no caso do Cruzeiro). 

A Administração Regional de Samambaia tem reservado R$ 12.958.605, dos quais R$ 6.215.904 (47,97 %) para as despesas de pessoal, R$ 2.792.701 (21,55 %) para as outras despesas correntes e R$ 3.950.000 (30,48 %) para investimentos : Orçamento da Admin Samambaia

Samambaia conseguiu várias Emendas Parlamentares de ações de desenvolvimento urbano. São muitas obras de urbanização ultrapassando R$ 3 milhões.

Santa Maria tem previsão de R$ 10.751.094 em recursos para a Administração Regional. R$ 4.867.619 (45,28 %) estão reservados para despesas de pessoal, R$ 2.443.475 (22,72 %) para as despesas de manutenção, e R$ 3.440.000 (32,00 %) para investimentos: Orçamento da Admin Santa Maria

Em Santa Maria também há boa previsão de investimentos em infraestrutura. Somando os recursos do Executivo com as Emendas Parlamentares, são mais de R$ 3 milhões em obras de urbanização.

São Sebastião é uma das cidades que mais cresceram nos últimos anos, e seu orçamento também. É também uma das RAs onde o peso da folha de pagamento é um dos menores. Do total de R$ 10.315.555, R$ 2.182.424 (21,16 %) estão previstos para despesas de pessoal, R$ 4.153.031 (40,26 %) para despesas correntes e R$ 3.980.100 (38,58 %) para investimentos: Orçamento da Admin São Sebastião

O Deputado Distrital Agaciel Maia tem São Sebastião como base eleitoral, e retribui os votos que o elegeram com Emendas Parlamentares. Numa emenda só, já se creditam R$ 3 milhões para obras de urbanização. 

 R$ 12.615.421 estão destinados à Administração Regional do Recanto das Emas. E com grandes investimentos previstos. R$ 2.691.413 (21,33 %) foram alocados às despesas de pessoal, R$ 5.824.008 (46,17 %) às de manutenção corrente e R$ 4.100.000 (32,50 %) para obras: Orçamento da Admin Recanto das Emas

Cidade que tem representante na CLDF tem maior volume de Emendas Parlamentares. O axioma é verificado também no Recanto das Emas, com Rôney Némer destinando recursos tanto para obras quanto para atividades culturais e esportivos.

Nenhuma emenda parlamentar para o orçamento 2012 do Lago Sul, e um corolário evidente: o grande peso da “máquina”. Dos R$ 4.518.008 previstos para a RA de maior PIB por habitante, R$ 2.920.981 (64,65 %) são destinados ao pagamento dos servidores, R$ 887.027 (19,63 %) às despesas correntes e R$ 710.000 (15,71 %) ao investimento: Orçamento da Admin Lago Sul

O orçamento do Lago Sul publicado na LOA traz uma curiosidade: o Executivo pretende organizar 12 eventos esportivos e 10 eventos culturais por… R$ 20 mil. Ou seja, num custo unitário de evento inferior a R$ 1.000,00 ! 

O Riacho Fundo tem abertura de créditos de R$ 8.382.478, com R$ 3.840.598 (45,82 %) reservados ao pagamento de pessoal, R$ 1.591.880 (18,99 %) para as despesas correntes e R$ 2.950.000 (35,19 %) para investimentos : Orçamento da Admin Riacho Fundo

Os quase R$ 3 milhões de investimentos em obras provêm de uma proposta do Executivo e de uma Emenda Parlamentar de R$ 1,4 milhão do Deputado Dr. Charles. 

R$ 4.451.734 foram reservados para a Administração do Lago Norte, dos quais R$ 2.760.484 (62,01 %) para pessoal, R$ 1.096.250 (24,63 %) para manutenção e R$ 595.000 (13,37 %) para investimentos : Orçamento da Admin Lago Norte

Apesar das três Emendas Parlamentares, o orçamento do Lago Norte é quase inteiramente consumido pelos funcionários e pela manutenção da Administração Regional.

Candangolândia é a menor Região Administrativa do DF, tanto em área quanto em orçamento. R$ 3.614.866 foram reservados no total, dos quais R$ 2.493.629 (68,98 %) para despesas de pessoal, R$ 726.237 (20,09%) para despesas correntes e R$ 395.000 (10,93%) para investimentos: Orçamento da Admin Candangolândia

Sem Emendas Parlamentares (João Hermeto, Administrador Regional está na primeira suplência do PMDB), Candangolândia vê seu orçamento quase que inteiramente consumido pelo simples funcionamento.

Águas Claras tem um orçamento importante previsto na LOA 2012: R$ 15.265.715, com R$ 4.491.862 (29,42 %) reservados para o pessoal, R$ 3.676.293 (24,08 %) para manutenção e R$ 7.097.560 (46,49 %) para investimentos: Orçamento da Admin Águas Claras

A Administração Regional de Águas Claras terá o maior percentual de orçamento reservado para investimentos: quase a metade, graças, entre outras, à Emenda Parlamentar de R$ 3 milhões para obras de urbanização elaborada por Olair Francisco.

A LOA 2012 prevê R$ 3.727.673 para a Administração de Riacho Fundo II. As despesas de pessoal terão R$ 1.865.116 (50,03 %), as despesas correntes, R$ 789.557 (21,18 %) e os investimentos, R$ 1.073.000 (28,78 %): Orçamento da Admin Riacho Fundo II

A previsão de obras no Riacho Fundo II foi bastante reforçada por duas Emendas Parlamentares de autoria do Deputado Chico Vigilante, reforçando a proposta orçamentária em R$ 510 mil para urbanização e construção de PEC (Pontos de Encontro Comunitário, representados pelas “academias ao ar livre”).

Sudoeste/Octogonal, uma Região Administrativa de área pequena e com alto PIB por habitante, deverá receber R$ 4.158.028, com R$ 2.083.509 para pessoal (50,10 %), R$ 874.519 (21,03 %) para despesas correntes e R$ 1.200.000 (28,86 %) para investimentos: Orçamento da Admin Sudoeste-Octogonal

Uma Emenda Parlamentar só para o Sudoeste, mas que representa quase todo o investimento previsto: R$ 1 milhão reservado para obras de urbanização pelo Deputado Raad Massouh.

A Administração Regional do Varjão recebe R$ 4.565.561 na LOA 2012. Destes, R4 1.524.557 (33,39 %) foram alocados às despesas de pessoal, R$ 981.114  (21,49 %) às despesas correntes e 2.060.000 (45,12 %) ao investimento: Orçamento da Admin Varjão

O Varjão tem previsto a maior percentual de investimentos de todas as RAs. Uma Emenda Parlamentar de Wellington Luiz destina R$ 1,4 milhão para obras de urbanização.

R$ 3.788.800 foram reservados para a AR do Park Way. R$ 2.031.554 (53,62 %) serão destinados ao pagamento de pessoal, R$ 789.576 (20,84 %) à manutenção e R$ 967.670 (25,54 %) ao investimento: Orçamento da Admin Park Way

Pequeno orçamento para a AR do Park Way, apesar de sua grande extensão geográfica. E um volume de investimentos quase inteiramente sustentado pelas emendas parlamentares. O Executivo só tinha previsto R$ 67.670. São quatro Emendas que elevam o total em R$ 900 mil.

A Administração Regional do Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA) também compreende a Cidade do Automóvel e a Vila Estrutural. R$ 4.024.031 foram reservados para o Setor, R$ 1.837.335 (45,66 %) para o pessoal, R$ 1.426.696 (35,45 %)  para as despesas correntes e R$ 760.000 (18,89 %) para o investimento: Orçamento da Admin SCIA

Estranhas imputações orçamentárias nesta AR. Apesar de contar com R$ 1,3 milhões (graças a duas emendas paralementares), a previsão de “obras de urbanização” não é considerada inteiramente como investimento. 

Sobradinho II pode contar com um orçamento total de R$ 9.451.152 para 2012. R$ 2.053.390 (21,73 %) irão em despesas com pessoal, R$ 3.189.506 (33,75 %) em outras despesas correntes e R$ 4.208.256 (44,53 %) em investimentos: Orçamento da Admin Sobradinho II

40% do orçamento de Sobradinho II provém de emendas parlamentares. Mas o maior capítulo de despesas (investimentos) se dá graças ao grande volume de obras previstas pelo Executivo e a cargo da Administração Regional: R$ 2.928.836.

Orçamento reduzido para a AR do Jardim Botânico: R$ 2.717.224, dos quais R$ 1.906.530 (70,16 %) reservados para o pessoal, R$ 690.694 (25,42 %) para outras despesas correntes e R$ 120.000 (4,42 %) para investimentos: Orçamento da Admin Jardim Botânico

Pequeno volume, nenhuma emenda parlamentar, o orçamento do Jardim Botânico é destinado quase que exclusivamente para o funcionamento. Investimento mesmo, somente os R$ 80 mil reservados para “obras de urbanização”.

Orçamento também modesto para a Administração Regional do Itapoã. Serão R$ 3.964.205 no total, dos quais R$ 1.410.767 (35,59 %) serão destinados ao pagamento de pessoal, R$ 832.438 (21,00 %) às outras despesas de manutençao e R$ 1.721.000 (43,41 %) ao investimento : Orçamento da Admin Itapoã

A parte do orçamento prevista para investimento é importante, e mais da metade provém das obras de urbanização previstas pelo GDF. Uma emenda parlamentar visando a construção de uma feira popular também se destaca nos investimentos.

O Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) é essencialmente industrial e comercial, contando com pouquíssimos moradores. Talvez por isso a previsão de investimentos na RA é a menor do DF. Do total previsto para a Administração de R$ 3.927.607, somente R$ 165.000 (4,20 %) irão ao investimento, R$ 1.336.882 (34,04 %) para as despesas de pessoal e R$ 2.425.725 (61,76 %) para a manutenção corrente: Orçamento da Admin SIA

Pode surpreender, num orçamento relativamente apertado, que o GDF tenha previsto R$ 400 mil para “eventos esportivos” e R$ 200 mil para “eventos culturais”. É também surpreendente o nível elevado da “manutenção de serviços gerais” para uma Administração Regional modesta (60 servidores e área geográfica menor).

Última das Administrações Regional criadas (antes da formalização da Fercal e da Vila Estrutural), Vicente Pires receberá R$ 4.275.401, dos quais R$ 1.969.287 (46,06 %) irão à folha, R$ 751.114 (17,57 %) às despesas correntes e R$ 1.555.000 (36,37 %) ao investimento: Orçamento da Admin Vicente Pires

Vicente Pires precisa de obras de urbanização, que estão previstas metade pelo GDF, metade por emendas parlamentares.

Categorias:2012, DF, LOA Tags:, , , ,