Archive

Archive for the ‘partidos’ Category

Abril 2015: PSDB primeiro partido do DF em filiações

O cadastro dos filiados a um dos 32 partidos políticos existentes no Brasil é atualizado pelo Tribunal Superior Eleitoral duas vezes ao ano, em abril e outubro. As filiações são de responsabilidade dos secretariados dos partidos, que as transmitem ao TSE, onde a regularidade destas é verificada.

Este post, continuando a série começada em outubro de 2013, relata os números do cadastro atualizado em abril de 2015.

180.096 eleitores do DF estão filiados a um partido político, o que representa um aumento de 5,17 % em relação à última atualização do cadastro, em outubro de 2014. Todavia, este acréscimo é concentrado quase que num partido só. Do total dos partidos, 7 conheceram um aumento do número de filiados, enquanto os 25 outros perderam aderentes.

Em termos percentuais, os três partidos que mais cresceram no semestre foram PSDB (+63,65 %), PSOL (+11,71 %) e PSD (+ 11,44 %). Por outro lado, PMN (- 6,61 %), PEN (-5,16 %) e PTC (-3,56 %) são os que mais perderam aderentes.

LISTA DOS PARTIDOS E FILIADOS NO DF / ABRIL DE 2015 > Filiados 2014-2015 lista (apertar a seta voltar após leitura)

GRÁFICO DOS FILIADOS POR PARTIDOS OUT 14/ABR 15 > Filiados a um partido outubro 2014-abril 2015 gráfico (apertar a seta após leitura)

Com 10.072 filiados a mais em 6 meses, o PSDB se torna o primeiro partido do DF

O PSDB-DF está se preparando para importantes eleições nos próximos dias. Coincidência ou não, o partido conheceu um impressionante crescimento do número de filiados desde outubro de 2014 (+ 10.072 pessoas, ou 63,65 %).

Este aumento se deu em todas as Zonas Eleitorais (com exceção da 1a. – Asa Sul) com maior percentuais no Recanto das Emas, em Samambaia e em Planaltina. Além da diminuição de filiados na Asa Sul, os aumentos na Asa Norte e no Guará foram menos importantes.

EVOLUÇÃO DOS FILIADOS AO PSDB-DF por ZE out 14/abr 15 > FILIADOS PSDB outubro 2014 abril 2015 (apertar a seta voltar após leitura)

GRÁFICO DA COMPOSIÇÃO GEOGRÁFICA DOS FILIADOS AO PSDB-DF out 14/abr 15 > Filiados PSDB oct 14-abril 15 gráfico (apertar a seta voltar após leitura)

DF 2014 coligações Distrital: quem ganhou, quem perdeu.

A eleição 2014 para Distrital atraiu 980 candidatas e candidatos, dos quais 20 ainda tinham registro de candidaturas indeferidos no dia do pleito. 1.895.697 eleitores foram chamados à urna, 221.189 (11,67 %) não se apresentaram. Esta taxa de abstenção é a menor desde a primeira eleição no DF, reflexo do recadastramento biométrico organizado pelo TRE-DF a partir de 2013. Dos 1.674.508 votos registrados, 79.680 foram em branco (4,76 %) e 69.653 (4,16 %) nulos. Dos 1.525.175 votos válidos, 1.439.865 (94,41 %) foram nominais e 85.310 (5,59 %) foram numa das 32 legendas (partidos).   Distritais eleitos:

. Candidato Partido Coligação Situação Votação
1 JULIO CESAR PRB PRB / PTC Eleito por QP 29.384
2 ROBÉRIO NEGREIROS PMDB PMDB Eleito por QP 25.646
3 PROFESSOR ISRAEL BATISTA PV PRP / PV Eleito por QP 22.500
4 DR MICHEL PP PT / PP Eleito por QP 22.422
5 RODRIGO DELMASSO PTN PC do B / PPL / PTN Eleito por QP 20.894
6 JOE VALLE PDT PSB / PDT / SD Eleito por QP 20.352
7 SANDRA FARAJ SD PSB / PDT / SD Eleito por QP 20.269
8 WASNY PT PT / PP Eleito por QP 19.318
9 RAFAEL PRUDENTE PMDB PMDB Eleito por QP 17.581
10 CHICO VIGILANTE PT PT / PP Eleito por QP 17.040
11 LILIANE RORIZ PRTB PRTB / PMN Eleito por QP 16.745
12 CRISTIANO ARAUJO PTB PR / PTB Eleito por QP 14.657
13 CELINA LEÃO PDT PSB / PDT / SD Eleito por QP 12.670
14 LIRA PHS PT do B / PHS Eleito por QP 11.463
15 TELMA RUFINO PPL PC do B / PPL / PTN Eleito por QP 11.364
16 RAIMUNDO RIBEIRO PSDB PSDB / PSDC Eleito por QP 10.026
17 LUZIA DE PAULA PEN PEN / PSL Eleito por QP 7.428
18 JUAREZÃO PRTB PRTB / PMN Eleito por média 15.923
19 CHICO LEITE PT PT / PP Eleito por média 15.636
20 PROFESSOR REGINALDO VERAS PDT PSB / PDT / SD Eleito por média 12.506
21 AGACIEL MAIA PTC PRB / PTC Eleito por média 14.876
22 WELLINGTON LUIZ PMDB PMDB Eleito por média 10.330
23 BISPO RENATO ANDRADE PR PR / PTB Eleito por média 14.216
24 RICARDO VALE PT PT / PP Eleito por média 14.223
. . . . . 397.469

O total de votos recolhidos pelo conjunto dos 24 Distritais eleitos, 397.469, corresponde a 26,06 % dos votos válidos.

A ordem dos Deputados eleitos foi estabelecida seguindo 1. votação nominal para os candidatos eleitos pelo Quociente Partidário – QP (resultado da divisão do número de votos do partido/coligação pelo quociente eleitoral), 2. ordem da sobra (média) para os eleitos por média. 17 Distritais foram eleitos pelo QP, deixando sete vagas a serem distribuídas pelo cálculo das médias. Estas vagas (da 18a. à 24a. na tabela) foram conseguidas na ordem indicada. O “25o. Distrital”, ou seja, a próxima sobra/média seria o Valdelino Barcelos (PRP), a quem faltou 1.056 votos para para se eleger na vaga de Ricardo Vale (PT).   Partidos: PT, PMDB e PRTB foram os três partidos mais votados, somando votos nominais e de legenda:

Seq. Sigla Total Votos
1 PT 177.298
2 PMDB 145.663
3 PRTB 106.381
4 PDT 98.968
5 PPL 92.857
6 PSB 85.177
7 PRB 61.889
8 PSDB 61.287
9 PEN 61.222
10 PHS 61.212
11 PPS 58.857
12 PRP 48.227
13 PTB 47.733
14 PR 47.422
15 PP 44.582
16 PV 39.471
17 PTC 37.074
18 PSD 36.739
19 DEM 33.302
20 PSOL 25.836
21 PSC 24.664
22 PTN 22.889
23 PT do B 22.147
24 SD 21.619
25 PROS 20.549
26 PC do B 13.432
27 PMN 11.543
28 PSL 8.876
29 PSDC 6.559
30 PSTU 893
31 PCB 456
32 PCO 351
. . 1.525.175

Só 6 partidos atingem sozinhos o quociente eleitoral (vide a seguir)   Coligações: 24 dos 32 partidos formaram 11 coligações (9 com 2 partidos, 2 com 3 partidos), enquanto 8 ficaram sós. 11 coligações conseguiram o Quociente Eleitoral (total de votos válidos – 1.525.175 – dividido pelo número de vagas – 24 igual 63.549). A coligação PSC/PROS é a única composta de dois partidos que não consegue eleger um Distrital, enquanto o PMDB é o único partido só que manda representante na CLDF (mas não o único partido a atingir o QE)

Seq. Coligação Votos
1 PT/PP 221.880
2 PDT/PSB/SD 205.764
3 PMDB 145.663
4 PPL/PTN/PC do B 129.178
5 PRTB/PMN 117.924
6 PRB/PTC 98.963
7 PTB/PR 95.155
8 PRP/PV 87.698
9 PHS/PT do B 83.359
10 PEN/PSL 70.098
11 PSDB/PSDC 67.846
12 PPS 58.857
13 PSC/PROS 45.213
14 PSD 36.739
15 DEM 33.302
16 PSOL 25.836
17 PSTU 893
18 PCB 456
19 PCO 351
. . 1.525.175

Claramente necessárias no sistema eleitoral atual, as coligações podem trazer surpresas, nem sempre boas para seus integrantes. A seguir, uma tabela que tente verificar quem ganhou e quem perdeu em cada coligação para Distrital em 2014 > DF 2014 DEPUTADO DISTRITAL coligações win-loose (apertar a seta voltar após leitura)   Sem coligações: Só 6 dos 32 partidos ultrapassaram sozinhos o quociente eleitoral para Deputado Distrital (63.549 votos): PT (177.298 votos); PMDB (145.663 votos); PRTB (106.381 votos); PDT (98.968 votos); PPL (92.857 votos) e PSB (85.177 votos). Se não tivesse tido nenhuma coligação (em consonância com vários projetos de reforma político-eleitoral), teriam sido eleitos pelo PT sete Distritais (Wasny, Chico Leite, Chico Vigilante, Ricardo Vale, Claudio Abrantes, Risomar Carvalho e Rejane Pitanga), pelo PMDB cinco (Robério Negreiros, Rafael Prudente, Wellington Luiz, Hermeto e Daniel de Castro), pelo PRTB quatro (Liliane Roriz, Juarezão, Guarda Jânio e Delegado Fernando Fernandes), pelo PDT quatro (Joe Valle, Celina Leão, Prof. Reginaldo Veras e Nery do Brasil), pelo PPL três (Telma Rufino, Jaqueline Silva e Iolando Almeida) e pelo PSB três (Roosevelt Vilela, Dr Gutemberg e Ziller).   NB: O blog informa a todos os candidatos a qualquer cargo no DF em 2014 que já dispõe das votações individuais, zona por zona, cidade por cidade, escola por escola. Interessados deixam mensagem (que não será publicado) neste post ou entram em contato no marcarnoldi@globo.com 

Categorias:Coligações, DF, partidos

Filiações outubro: estabilidade, PMDB 1o, PSC 4o

O cadastro dos filiados a um dos 32 partidos existentes no Brasil é atualizado pelo TSE duas vezes ao ano, em abril e outubro. As Executivas Regionais informam ao Tribunal suas listas de filiados, e esse verifica a regularidade das inscrições.

O semestre de abril a outubro em ano de eleição é menos movimentado, em razão do prazo mínimo de um ano de filiação para candidatar-se. O número total de filiados a um partido no DF aumentou 1,32 %, atingindo 171.249 eleitores (9,03 % dos 1.895.697 eleitores aptos no dia 5 de outubro).

O “pódio” PMDB, DEM e PSDB segue inalterado, já o PSC se torna o quarto partido mais popular do DF, ganhando as duas posições do PP e do PT.

Prosseguindo em sua consolidação, o Solidariedade (que outrossim elegeu sua primeira parlamentar no DF na pessoa de Sandra Faraj, Deputada Distrital eleita) teve o maior aumento do semestre, seguido de PEN (que terá representação de Luzia de Paula na CLDF) e PCdoB (sem eleito).

. Partido out/10 abr/14 out/14 var abr/out 14 em %
1 PMDB 26.332 25.960 25.882 -0,30
2 DEM 18.721 18.635 18.775 0,75
3 PSDB 14.319 15.405 15.823 2,71
4 PSC 14.161 14.175 14.452 1,95
5 PP 14.701 14.326 14.336 0,07
6 PT 8.537 14.257 14.319 0,43
7 PDT 10.596 11.680 11.906 1,93
8 PR 10.197 11.775 11.722 -0,45
9 PPS 3.643 5.517 5.493 -0,44
10 PTB 4.230 5.100 5.078 -0,43
11 PSB 1.448 4.589 4.688 2,16
12 PRTB 1.345 3.603 3.664 1,69
13 PHS 2.337 2.977 3.059 2,75
14 PMN 1.740 2.431 2.555 5,10
15 PSOL 1.059 2.491 2.483 -0,32
16 PT DO B 2.540 2.431 2.429 -0,08
17 PTC 166 2.373 2.388 0,63
18 PRB 784 2.030 2.358 16,16
19 PC DO B 1.467 1.400 1.643 17,36
20 PRP 1.102 1.469 1.474 0,34
21 PSL 1.256 1.166 1.162 -0,34
22 PV 967 1.093 1.091 -0,18
23 PTN 168 730 747 2,33
24 PPL 0 721 707 -1,94
25 PCB 572 558 556 -0,36
26 PSTU 533 531 527 -0,75
27 PROS 0 395 429 8,61
28 PEN 0 345 426 23,48
29 PSDC 306 391 390 -0,26
30 PSD 0 357 367 2,80
31 SDD 0 74 284 283,78
32 PCO 34 36 36 0,00
. . 143.261 169.021 171.249 1,32

Gráfico comparativo abril/outubro 2014 > Filiados a um partido abril-outubro 2014 gráfico (apertar a tecla voltar após leitura).

Para estudar de mais perto a repartição geográfica dos partidos e de seus filiados, e como não houve mudança significativa desde abril de 2014, continuam válidas as tabelas do post precedente sobre filiações no DF > https://politicadfemnumeros.wordpress.com/2014/04/25/filiacoes-abril-2014-pmdb-continua-maior-partido/

Categorias:DEM, DF, partidos, PCdoB, PEN, PMDB, PSDB, SD Tags:, , , ,

Filiações abril 2014: PMDB continua maior partido

25 de abril de 2014 1 comentário

O cadastro dos filiados a um dos 32 partidos existentes no Brasil é atualizado pelo TSE duas vezes ao ano, em abril e outubro. As Executivas Regionais informam ao Tribunal, que verifica a regularidade das inscrições.

No post anterior sobre filiações partidárias no DF, os números eram referentes à atualização de outubro de 2013. Desta vez, a relação de filiados é de abril de 2014, a última disponível, a mais atualizada.

Houve aumento do número total de filiados, de mais de 3%, passando a 169.021 brasilienses inscritos nas listas eleitorais e filiados a um partido político.

No âmbito dos principais partidos, cenário de estabilidade, com PMDB, DEM e PSDB estáveis nas três primeiras posições. O PT continua sua progressão, com mais de 8% de filiados a mais, e ganha uma posição, sendo o quinto partido mais “popular” do DF.

O PRTB mais que dobra seus filiados, reflexo provável do ingresso da família de Joaquim Roriz (exceto Jaqueline, que permaneceu no PMN) no partido, que ganha 8 posições. PTN, PROS e PEN também crescem fortemente, enquanto SDD e PPL, partidos também novos, não aumentam seus filiados.

 

Partido out/10 out/13 abr/14 var % 13/14
PMDB 26.332 25.978 25.960 -0,07
DEM 18.721 18.676 18.635 -0,22
PSDB 14.319 15.321 15.405 0,55
PP 14.701 14.184 14.326 1,00
PT 8.537 13.155 14.257 8,38
PSC 14.161 14.005 14.175 1,21
PR 10.197 11.771 11.775 0,03
PDT 10.596 11.571 11.680 0,94
PPS 3.643 5.534 5.517 -0,31
PTB 4.230 4.996 5.100 2,08
PSB 1.448 4.579 4.589 0,22
PRTB 1.345 1.433 3.603 151,43
PHS 2.337 2.956 2.977 0,71
PSOL 1.059 2.503 2.491 -0,48
PT DO B 2.540 2.433 2.431 -0,08
PMN 1.740 2.368 2.431 2,66
PTC 166 2.047 2.373 15,93
PRB 784 1.912 2.030 6,17
PRP 1.102 1.455 1.469 0,96
PC DO B 1.467 1.501 1.400 -6,73
PSL 1.256 1.177 1.166 -0,93
PV 967 1.043 1.093 4,79
PTN 168 276 730 164,49
PPL 0 727 721 -0,83
PCB 572 558 558 0,00
PSTU 533 532 531 -0,19
PROS 0 102 395 287,25
PSDC 306 378 391 3,44
PSD 0 328 357 8,84
PEN 0 195 345 76,92
SDD 0 74 74 0,00
PCO 34 36 36 0,00
143.261 163.804 169.021 3,18

NB: Não são levadas em consideração as inscrições “sob-júdice”, nem as “canceladas” que ainda fazem objeto de ações em curso em razão de dupla filiação.

A repartição dos filiados a um partido político por cidade mostra Ceilândia como campeão de engajamento, com 25.910 filiados, seguida por Taguatinga/Águas Claras 20.863 e Gama/Santa Maria 20.130 >

FILIADOS A UM PARTIDO POLÍTICO NO DF POR CIDADE (apertar a seta “voltar” para voltar)

 

Examinando por cidade/zona eleitoral, o PMDB continua sendo o maior partido do DF, campeão de filiações em 9 das 21 ZEs, contra 4 ao PSDB, 3 ao DEM e ao PSC, 1 ao PT e ao PDT.

 

ZE Abrangência filiados % total partido 1 partido 2 partido 3
1 Asa Sul 5.964 3,53 PSDB PMDB DEM
2 Paranoá/Lago Norte/Itapoã/Varjão/Granja do Torto 8.376 4,96 PSC PMDB PP
3 Taguatinga 7.604 4,50 PMDB DEM PT
4 Gama Leste/Santa Maria 11.006 6,51 PMDB DEM PT
5 Sobradinho/Sobradinho II 11.219 6,64 DEM PMDB PT
6 Planaltina 14.304 8,46 PMDB DEM PSC
7 Brazlândia 5.770 3,41 PT PR DEM
8 Ceilândia 5.852 3,46 PSDB DEM PP
9 Guará/Estrutural 11.550 6,83 PMDB PSDB DEM
10 N. Bandeirantes/Candangolândia/R. Fundo I e II 10.657 6,31 PMDB DEM PSC
11 Cruzeiro/Sudoeste/Octogonal/SMU 4.763 2,82 PMDB DEM PDT
12 Ceilândia 5.738 3,39 DEM PSDB PR
13 Samambaia 9.076 5,37 PSC DEM PMDB
14 Asa Norte 5.852 3,46 PSDB PMDB DEM
15 Taguatinga/Águas Claras/Park Way 7.153 4,23 PMDB PP DEM
16 Ceilândia 7.462 4,41 PDT PSDB PP
17 Gama 9.124 5,40 PMDB PP PT
18 Lago Sul/São Sebastião/Jardim Botânico 5.963 3,53 PSC PT PSDB
19 Taguatinga/Vicente Pires 6.106 3,61 PMDB PP DEM
20 Ceilândia 6.858 4,06 PSDB DEM PP
21 Recanto das Emas/Samambaia 8.624 5,10 DEM PSC PR
169.021 100,00

 

Ainda examinando por cidades, confira a repartição geográfica dos filiados por cada partido:

DEM > 2014 filiados por cidade DEM

PCdoB> 2014 filiados por cidade PCdoB

PCB > 2014 filiados por cidade PCB

PCO > 2014 filiados por cidade PCO

PDT > 2014 filiados por cidade PDT

PEN > 2014 filiados por cidade PEN

PHS > 2014 filiados por cidade PHS

PMDB > 2014 filiados por cidade PMDB

PMN > 2014 filiados por cidade PMN

PP > 2014 filiados por cidade PP

PPL > 2014 filiados por cidade PPL

PPS > 2014 filiados por cidade PPS

PR > 2014 filiados por cidade PR

PRB > 2014 filiados por cidade PRB

PROS > 2014 filiados por cidade PROS

PRP > 2014 filiados por cidade PRP

PRTB > 2014 filiados por cidade PRTB

PSB > 2014 filiados por cidade PSB

PSC > 2014 filiados por cidade PSC

PSD > 2014 filiados por cidade PSD

PSDB > 2014 filiados por cidade PSDB

PSDC > 2014 filiados por cidade PSDC

PSL > 2014 filiados por cidade PSL

PSOL > 2014 filiados por cidade PSOL

PSTU > 2014 filiados por cidade PSTU

PT > 2014 filiados por cidade PT

PTdoB > 2014 filiados por cidade PTdoB

PTB > 2014 filiados por cidade PTB

PTC > 2014 filiados por cidade PTC

PTN > 2014 filiados por cidade PTN

PV > 2014 filiados por cidade PV

SDD > 2014 filiados por cidade SDD

 

 

Categorias:2014, DF, partidos

DF: Filiações partidárias: PMDB campeão, PTC maior crescimento !

26 de janeiro de 2014 1 comentário

Apesar de ligeiro recuo em relação a 2010, o PMDB é o partido com maior número de filiados no Distrito Federal, com 25.978 capitaneados pelo Vice-Governador Tadeu Filippelli. O Democratas, atualmente sem representantes brasilienses nem na Câmara Federal, nem na Distrital se manteve acima de 18 mil filiados na segunda posição, e o PSDB ocupa a terceira colocação na preferência dos ativistas políticos, ultrapassando os 15 mil integrantes, com crescimento de 7 % em relação a 2010.

O total dos eleitores do DF filiados a um dos 32 partidos políticos existentes no País atinge 163.804, segundo os números do Tribunal Superior Eleitoral, representando um crescimento de 14,34 % em relação a 2010. A maioria das agremiações participou deste crescimento, o PTC do Vice-Presidente da CLDF Deputado Agaciel Maia registrando o maior crescimento nestes últimos três anos, passando de menos de 200 a mais de 2 mil filiados. PSB, PRB e PSOL completam a lista dos partidos que mais que dobraram seus filiados. O PT, partido do Governador Agnelo, passou de 8,5 mil a mais de 13 mil integrantes, passando a ser o sexto maior partida da Capital Federal.

Apesar de oficiais, os dados compilados pelo TSE após comunicação dos partidos contêm algumas imprecisões e informações sujeitas à revisão. Alguns nomes são repetidos no mesmo partido, e alguns outros não figuram, certamente em virtude de embaraço judicial por causa de dupla filiação. É o caso, por exemplo, do atual Presidente do PROS-DF, Deputado Federal Ronaldo Fonseca, que não aparece na lista dos 102 filiados à recém-criada agremiação.

Partido 2010 2013 %
PMDB 26.332 25.978 -1,34
DEM 18.721 18.676 -0,24
PSDB 14.319 15.321 7,00
PP 14.701 14.184 -3,52
PSC 14.161 14.005 -1,10
PT 8.537 13.155 54,09
PR 10.197 11.771 15,44
PDT 10.596 11.571 9,20
PPS 3.643 5.534 51,91
PTB 4.230 4.996 18,11
PSB 1.448 4.579 216,23
PHS 2.337 2.956 26,49
PSOL 1.059 2.503 136,36
PT DO B 2.540 2.433 -4,21
PMN 1.740 2.368 36,09
PTC 166 2.047 1.133,13
PRB 784 1.912 143,88
PC DO B 1.467 1.501 2,32
PRP 1.102 1.455 32,03
PRTB 1.345 1.433 6,54
PSL 1.256 1.177 -6,29
PV 967 1.043 7,86
PPL 0 727
PCB 572 558 -2,45
PSTU 533 532 -0,19
PSDC 306 378 23,53
PSD 0 328
PTN 168 276 64,29
PEN 0 195
PROS 0 102
SDD 0 74
PCO 34 36 5,88
143.261 163.804 14,34
Categorias:2014, DF, partidos

Piauí 2010 sem coligações

Desde sua última reunião programada (e cancelada) em 9 de maio, a Comissão da Reforma Política na Câmara dos Deputados continua no impasse quanto ao relatório do Deputado Henrique Fontana (PT-RS).

No Senado Federal, todavia, continua avançando uma PEC que, após voltar à CCJ para ser reaprovada em 13 de junho, aguarda votação no Plenário. Ela trata do fim das coligações para as eleições proporcionais. Este ponto parece ser consensual, a Cerefpol da Câmara também preconisa o fim da coligações nas propocionais.

O principal resultado prático desta medido seria a diminuição do número de partidos representados nas assembléias legislativas municipais, estuaduais e federais. Esta redução teria se verificado nas eleições de outubro de 2010 no Estado do Piauí.

Bancada Federal: PT, PMDB e DEM continuam no empate, três partidos fora.

Se não houvesse coligações em 2010 em Piauí, o Governador Wilson Martins teria perdido o único representante de seu partido (PSB) na Câmara dos Deputados, apesar deste ter sido o terceiro mais votado no Estado. Ele, no entanto, teria conservado sua base de apoio de 6 deputados nos 10 que conta o Piauí.

A bancada Federal do Estado do Piauí 2010 com e sem coligações > PI 2010 Federal com-sem  (apertar a seta “voltar” após leitura)

Além dos dois deputados já eleitos por cada um destes partidos, o DEM poderia contar com Mainha (89.940 votos), o PMDB com Joãozinho Unimagem da Parnaíba (23.546 votos) e o PT com Nazareno (44.985 votos)

Por outro lado, Átila Lira (PSB) não teria sido eleito apesar de sua terceira maior votação (120.528 votos). Também não teriam ido a Brasília Osmar Júnior (PCdoB), sétimo mais votado (95.985 votos) nem Iracema Portela (PP), oitavo mais votado (91.532 votos).

Assembléia Legislativa: PT maior bancada, três partidos saem.

Sem coligações em 2010, 3 dos 11 partidos que elegeram representantes na Assembléia Legislativa do Estado do Piauí não estariam presentes. Seriam adequações intra-coligações (o PDT recuperaria a vaga do PP e o PSDB a do PPS) ou insuficiência de votos para atingir o Quociente Eleitoral (PTC).

O PT, que já particava do pleito sem coligação, recuperaria uma cadeira, tornando-se a maior bancada tendo em vista a perda de um eleito do PMDB.

Bancada estadual piauiense 2010 com e sem coligações > PI 2010 Estadual com-sem (apertar a seta “voltar” após leitura)

4 das 30 cadeiras teriam mudado de dono: Magalhães (21.429 votos) teria aumentado a bancada do PT, bem como Nerinho (22.491 votos) a do PTB, Joninha (16.670 votos) a do PSDB e Uchoa (20.213 votos) a do PDT.

Não teriam sido eleitos: João Mádison – PMDB (22.820 votos), Margarete Coelho – PP (22.749 votos), Antônio Fpelix – PPS (23.750 votos) e Evaldo Gomes – PTC (10.900 votos).

DF 2010 Voto de legenda

O atual sistema de votação em vigor no Brasil pode ser chamado de voto uninominal em lista aberta. Para candidatar-se, um cidadão precisa estar filiado a um partido político, e este o inscrever na nominata de seus candidatos durante a Convenção Partidária, realizada no mês de junho do ano eleitoral. A agremiação política apresenta, então, aos sufrágios uma lista, cuja ordem será estabelecida, após o pleito, segundo a votação nominal de seus componentes (no sistema de lista preordenada, é a Convenção que escolhe a ordem de preferência na lista). O numero de cadeiras obtida pelo partido será obtido pelo resultado da soma dos votos (nominais + legenda) dividido pelo quociente eleitoral (a divisão do número total de votos válidos pelo número de cadeiras a serem preenchidas). Votar “na legenda” é escolher, no voto proporcional, somente os dois dígitos do partido, sem o complemento de dois ou três outros dígitos que indicam o nome do candidato a Federal ou Distrital (Estadual). Votar na legenda é, ao mesmo tempo, fazer uma opção partidária, e deixar aos outros eleitores deste partido (ou de candidatos deste partido) a escolha dos nomes dos representantes.

Em 2010, pouco mais de 8 % dos eleitores do Distrito Federal preferiram, na eleição proporcional (deputados), votar num partido do que num candidato. Foram, para Distrital, 114.605 votos, e para Federal, 120.977 votos. Algumas informações interessantes podem ser extraídas destes números.

Primeiramente, o voto em legenda não apresenta muita oscilação nas diferentes zonas eleitorais do DF. Para Distrital, os dois maiores percentuais (9,47 e 9,23%) são verificados nas Asas Norte e Sul, e o menor (7,38%) na ZE 10 (N. Bandeirantes/Candangolândia/Riacho Fundo). Para Federal, é Ceilândia Norte (9,48%) que mais votou na legenda, e o Guará (7,64%) menos. Mas os picos positivos/negativos em relação às médias (8,14% Distrital, 8,60% Federal) são estreitos.

Gráfico do voto em legenda por ZE > DF 2010 voto de legenda (apertar a seta voltar após leitura).

Em termos proporcionais, os partidos de esquerda se destacam. Agremiações radicais com PCB, PCO e PSTU apresentam grande percentual de voto em legenda, explicáveis tanto pelo pequeno volume de votos totais (PCB: 778 votos, PCO: 557 votos, PSTU: 966 votos), quanto pelo engajamento da militancia do partido, que está consciente que é impossível a agremiação eleger um representante. O PV e o PSOL são objetos de gráficos específicos mais adiante nesta matéria.

Gráfico da proporção do voto em legenda por partido > DF 2010 percentual legenda por partido (apertar a seta voltar após leitura).

Em volume de votos, a legenda PT é ultrapassada, pela primeira vez na história eleitoral do DF, tanto para Distrital que para Federal, por um outro partido. É o Partido Verde, que obtém resultado semelhante para os dois cargos. O critério utilizado para o ranking do gráfico é o do voto de legenda para Distrital, em razão do maiores número de candidatos e de opção. A quase totalidade dos partidos tem percentuais equivalentes entre legenda Distrital e Federal, exceto PT, PSDB, PDT, DEM e PSB. São estudados a seguir.

Gráfico de volumes de votos de legenda > DF 2010 voto de legenda (apertar a seta voltar após leitura).

PV: o “efeito Marina”

O Partido Verde (PV) foi a agremiação que mais recolhe votos de legenda nas eleições 2010. Foram 24.402 para Distrital (+ 28.532 nominais) e 25.978 para Federal (+15.513 nominais). O PV tinha “chapa vertical” (como o PSOL), ou seja candidatos a todos os cargos, de Presidente da República (Marina Silva) a Deputado Distrital. Havia então possibilidade para o eleitor de digitar “43” nas sete votações.

O melhor nome Federal foi André Lima (7.158 votos), como votação expressiva na Asa Norte, particularmente na L2 Norte e na Unb. No entanto, sua maioria votação proprocional foi QL 16 do Lago Norte (3,22 %).

Henrique Ziller foi o maior expoente do PV na disputa Distrital, com 4.456 votos, fortemente centralizados no Plano Piloto, nos Lagos Norte e Sul e no Cruzeiro/Sudoeste. Foi o quinto mais votado na 102 Sul e na 604 Sul, e obteve votação superior a 2 % em vários locais do Lago Norte.

Eduardo Brandão foi candidato a Governador, obtendo a 4a posição com 78.837 votos. Ficou em 4o em todas as Zonas Eleitorais, mas conseguiu ultrapassar Dona Weslian em alguns poucos locais da Asa Norte.

Marina Silva foi a candidata à Presidência mais votada no DF (única entidade federativa do Brasil a preferir o Verde), com 611.362 votos, ganhando em 19 das 21 ZEs, perdendo Planaltina e Brazlândia para Dilma. Obteve seu melhor resultado no conjunto Cruzeiro/Sudoeste/Octogonal/SMU, com 46,67 % dos votos, em particular, e talvez de forma surpreendente, nos redutos militares, onde conseguiu seus melhores locais: 56,18 % no Setor Militar Complementar, 55,85 % no Residencial Santos Dumont (ZE 04) e 54,64 % no SMU.

O gráfico a seguir indica os comparativos de votação entre Marina, Eduardo Brandão e os votos de legenda Distrital e Federal. Com poucas diferenças (levando em consideração que a “escala” não é a mesma, as linhas de Marina e de Brandão foram “ajustadas” proporcionalmente às da legenda para melhor visibilidade), é clara a corelação entre as votações. Algumas situações (Lago Sul, Samambaia, por exemplo) mereceriam um estudo mais amplo por parte do PV.

Gráfico legenda PV > DF 2010 legenda PV (apetar a seta voltar após leitura).

PT: A tradição do 13

Apesar de aparecer em segundo nos votos de legenda, o Partido dos Trabalhadores foi o mais votado, na soma de legenda + votos nominais, no DF, com grande vantagem. Foram 216.382 votos para Distrital (em segundo, o DEM com 102.840) e 374.806 votos para Federal (segundo PDT com 285.404). Chico Leite foi o Deputado Distrital mais votado no DF, e Paulo Tadeu o segundo Federal preferido dos eleitores. Há uma diferença importante em volume de votos de legenda Distrital/Federal (23.519/15.369) que, contrariamente à praxe, é superior para os Distritais, onde há mais escolha por parte do eleitor. No entanto, o gráfico, deixa absolutamente claro que as curvas, associadas aos candidatos majoritários (Agnelo, candidato a Governador mais votado com 676.394 votos; e Dilma, segunda candidata mais votada para Presidente com 462.441 votos), são quase paralelas, com pouquíssimos “casos” particulares em Sobradinho, Planaltina, Brazlândia e Ceilandia Norte e Sul.

Gráfico legenda PT > DF 2010 Legenda PT (apertar a seta voltar após leitura).

PSDB: Distrital de um lado, Federal de outro

O PSDB obteve, com 117 votos de diferença com o PT, a segunda maior votação de legenda para Deputado Federal, com 15.486 votos, e a terceira para Distrital com 8.681. Tinha candidato a Presidente da República (José Serra, 354.070 votos) e a Senador (só uma, Abadia, com registro de candidatura indeferido no dia da eleição, 348.842 votos), mas não tinha a Governador.

Não elegeu Deputado Federal, tendo o candidato mais votado, Virgílio Neto, realizado 17.871 votos, e um Distrital só, Washington Mesquita (21.111 votos), hoje no PSD.

Há uma grande diferença de volume entre os votos de legenda Distrital/Federal, mas esta diferença é “lógica”, parecendo indicar que eleitores de Distrital do PSDB, por desconhecimento dos candidatos a Federal ou por falta de opção, teriam indicado a legenda. É a explicação comum para estes casos, mas não funciona para o PSDB no DF em 2010. O gráfico é o mais estranho da série, e também o que contém mais linhas, na busca de correspondências entre os votos nominais e de legenda.

Duas constatações principais surgem do gráfico: José Serra não influencia o voto de legenda do PSDB (nem os nominais, por sinal), e as curvas de legenda Distrital/Federal são muito diferentes. No entanto, há uma clara correspondência entre os votos Abadia/Virgílio Neto/legenda Federal. Mas a proveniência do voto de legenda Distrital (bem como os nominais de Washington Mesquita) é muito diferente. A linha de Raimundo Ribeiro, segundo Distrital mais votado, não foi incluída, mas também não segue nenhum padrão das outras presentes. O PSDB precisa estudar de perto estas fortes discrepências.

Gráfico legenda PSDB > DF 2010 Legenda PSDB (apertar a seta voltar após leitura)

PDT: Reguffe, com ou sem número.

O PDT não tinha candidato próprio à Presidência nem ao Governo do Distrito Federal. Seu maior nome na disputa era o ex-Governador do DF Cristovam Buarque, candidato à reeleição no Senado Federal, que obteve 833.480 votos, lembrando que havia possibilidade, para o eleitor, de votar em dois nomes. Reguffe, então Deputado Distrital, foi eleito Federal com a maior votação proporcional do Brasil, 266.465 votos (18,95 %). O Professor Israel Batista herdou o assento do PDT na Câmara Legislativa, com 11.349 votos, usando um número na urna propositalmente associado ao do futuro Federal (1234 Reguffe, 12345 Prof Israel).

Quanto aos votos de legenda, o PDT obteve 8.269 para Distrital, e 14.704 para Federal. O gráfico (que não inclui a linha de Cristovam por ele ser parecida com a de Reguffe) mostra claramente que a opção pelo voto “12” para Federal indica o desconhecimento do número de Reguffe por parte destes eleitores. As duas linhas Reguffe/legenda Federal são exatamente inversas. A linha Reguffe é similar à Cristovam, o PDT não tinha outros nomes de destaque no pleito Federal, e as Zonas onde Reguffe obteve menos expressão são as mais distantes do Plano Piloto, foco de suas campanhas.

Gráfico legenda PDT > DF 2010 Legenda PDT (apertar a seta voltar após leitura).

PSC : A legenda dos Roriz

O Partidos Social Cristão ganhou visibilidade inédita no DF com a chegada do casal Roriz a seus quadros em 2009. Com 6.541 votos na legenda Federal e 7.418 na Distrital, o “20” foi o quinto mais votado na média. Sem candidato a Presidência nem a Senador, o PSC tinha em Dona Weslian (substituta de última hora de seu esposo Joaquim) Roriz sua única candidata majoritária.

O PSC não elegeu Deputado Federal (os 51.966 votos de Laerte Bessa não foram suficientes) e mandou à Câmara Legislativa Wellington Luiz, com 10.333 votos (está hoje no PPL). Mas tanto o Laerte quanto o Wellington tiveram votação de origem muito diferente à de Weslian e à do PSC. O gráfico indica claramente o paralelismo dos votos Roriz/Legenda Federal/Legenda Distrital. A linha Wellington não foi incluída, mas difere completamente deste padrão. A linha Laerte mostra o descompasso. Já a votação de Jaqueline Roriz (eleita Federal pelo PMN) mostra uma perfeita similitude. Lembrando que as linhas não têm valores iguais, não podendo ser comparadas entre si em termos relativos, mas sim em vetores direcionais de traçado.

Gráfico legenda PSC > DF 2010 Legenda PSC (apertar a seta voltar após leitura)

PSOL: Toninho mostra o caminho

Quase 200 mil eleitores escolheram o 50 para Governador, personificado por Toninho do PSOL. O partido teve um bom recall no DF da candidatura de Heloisa Helena à Presidência em 2006, e a militância aguerida esteve nas ruas divulgando as idéias diferentes da agremiação. O maior partido realmente ideológico do Brasil não elegeu nem Federal nem Distrital no DF. Maninha obteve 12.860 votos para a Câmara Legislativa, e Wellington 3.763 para a dos Deputados.

No gráfico, sem surpresas, três linhas paralelas, quase idênticas. Só há descrepência em Taguatinga, tanto na ZE 03 quanto na ZE 19. Toninho realiza um bom resultado, mas as legendas não. Por sinal, para Distrital, Maninha, que tinha sido a segunda mais votada no DF em 1998 (estava então no PT) e que tinha boa implantação em torno da Praça do Relógio, também não obtive boas votações em 2010. Uma questão a estudar pelo partido amarela e laranja.

Gráfico legenda PSOL > DF 2010 legenda PSOL (apertar a seta voltar após leitura)

Na leitura do gráfico dos volumes de votos de legenda por partido, dois casos atraem também a atenção: DEM e PSB, que tiveram no mínimo duas vezes mais votos de legenda para Federal de que para Distrital.

O DEM foi duramente atingido pelos desdobramentos da Caixa de Pandora. José Roberto Arruda, Paulo Octávio e Leonardo Prudente não participaram da eleição. Alberto Fraga, após tentar viabilizar sua candidatura ao GDF, acabou saindo para Senador na chapa encabeçada por Roriz e obteve 511.517 votos. Adelmir Santana, então Senador, concorreu à Câmara dos Deputados, recebendo a confiança de 45.712 eleitores. Eliana Pedrosa, para a Câmara Legislativa, somou 35.387 votos, elegendo-se em companhia de Raad Massouh. A primeira hoje está no PSD, o segundo no PPL.

O Gráfico do DEM mostra relativa similitude entre as linhas, mas com pontos que mereceriam estudo mais detalhado. As linhas Fraga/legenda Federal são bastante parecidas, mas faltam explicações para as diferenças de Sobradinho, do Gama e da Vicente Pires. Eliana/legenda Distrital também têm muitos paralelos, mas a boa votação da candidata lilás em Planaltina e Brazlândia não se respalda em nenhum outro vetor. A votação de Adelmir Santana é a menos alinhada às outras.

Gráfico legenda DEM > DF 2010 DEM Legenda

O PSB é o partido que teve a maior diferença entre os votos de legenda Distrital (2.006)/Federal (7.236). Rodrigo Rollemberg concorreu vitoriosamente ao Senado, com 738.575 votos, deixando a vaga na Câmara dos Deputados. Gastão Ramos só obteve 3.540 votos para Federal, enquanto Joe Valle e o Guarda Jânio disputaram a cadeira na Câmara Legislativa voto a voto, o defensor da agricultura e do meio-ambiente levando a melhor por 141 votos (13.876 a 13.735).

O gráfico é o menos nítido de todos já apresentados. Joe Valle e o Guarda Jânio são claramente complementares e não concurenciais. É possível que as duas linhas muito amplas dos dois Distritais expliquem, justamente, a linha bastante plana da legenda Federal. A linha Rollemberg não traz uma diretriz às outras do PSB. A baixa representatividade da legenda Distrital não permite levar sua linha verdadeiramente em conta.

Gráfico legenda PSB > DF 2010 legenda PSB