Arquivo

Archive for the ‘DF’ Category

Filiados abril 2017: PSOL cresce no Brasil e no DF

O Brasil conta com 35 partidos políticos cadastrados no Tribunal Superior Eleitoral. Duas vezes ao ano, em abril e outubro, as agremiações devem atualizar suas relações de filiações, que são transmitidas e verificadas pelo TSE.

Este post, continuando a série começada em outubro de 2013, relata os números do cadastro atualizado em abril de 2017.

Brasil: 

Cerca de 42.620 brasileiros se filiaram a um dos 35 partidos políticos atualmente em funcionamento no Brasil desde outubro de 2016, mais de 160 mil em um ano.

Metade dos partidos cresceram no semestre.

Sem mudança nas 20 primeiras posições do ranking, o Solidariedade se aproxima, agora na posição 21.

O PSOL é o partido que mais cresceu no semestre, com quase 1/5 de filiados a mais, passando a ser o 25 no ranking.

Apesar de ligeira diminuição do número de filiados, o PMDB continua o maior partido do Brasil, com grande vantagem sobre o PT, segundo, também em ligeira baixa, e o PSDB, terceiro.

LISTA DOS PARTIDOS, NÚMERO DE FILIADOS NO BRASIL / OUTUBRO 2016 e HISTÓRICO > Filiados 2017 abril Brasil

 

DF: PSDB conforta a liderança, PP quarto partido, Rede e PSOL crescem. 

191.043 eleitores do DF estão filiados a um partido político, o que representa um acréscimo de 0,62 % em relação à última atualização do cadastro, em outubro de 2016, em grande parte pelo crescimento do PSOL. 11 partidos vêem seus filiados aumentar.

O PP alcança a quarta posição do ranking, deixando o PSC em quinto.

Em termos percentuais, os três partidos que mais cresceram no semestre foram PMB (+ 78,95 %), REDE (+ 32,73 %) e PSOL (+ 17,21 %).

Por outro lado, PEN (- 0,92 %), PV (- 0,84 %) e PPL (- 0,71 %) são os que mais perderam aderentes, mas com uma base

LISTA DOS PARTIDOS E NÚMERO DE FILIADOS NO DF + HISTÓRICO > Filiados DF tabela historico abr 2017 (apertar a seta voltar após leitura)

 

PSOL campeão do semestre em crescimento no DF (em termos nominais)

Registrado definitivamente em setembro de 2005, o Partido Socialismo e Liberdade começou a se formar por parte da bancada do PT no Congresso Nacional na ocasião da Reforma da Previdência dos Servidores Públicos. A então Deputada Federal pelo DF Maninha foi uma das integrantes da primeira hora do novo partido.

Tentou desde então recuperar mandato parlamentar, seja Federal, seja Distrital, mas sem aliança com outros partidos de peso, impedindo a obtenção do quociente eleitoral (46.090 votos para Federal em 2006, 12.860 para Distrital em 2010 e 6.611 em 2014)

Toninho foi o candidato ao GDF nas três eleições, recolhendo 55.898 votos em 2006, 199.095 em 2010 e 34.689 em 2014.

Em um semestre, o PSOL filiou 502 eleitores, totalizando agora 3.419 aderentes e a posição 14 no ranking.

Apesar dos votos ao Toninho terem sido mais concentrados no Plano Piloto e nos Lagos, o mapa geográfico das filiações mostra mais diversidade > Filiados ao PSOL abril de 2017 (apertar a seta voltar após leitura)

 

 

 

 

 

Anúncios

Agnelo 2010/2014: de um extremo ao outro.

14 de setembro de 2015 Deixe um comentário

Deputado Distrital, Deputado Federal, candidato ao Senado, sempre pelo PCdoB, até migrar para o PT e por ele disputar duas eleições para Governador, Agnelo Queiroz ficará na história eleitoral do Partido dos Trabalhadores no DF por ocupar, no ranking das votações… as duas pontas !

 

Ano Candidato

Governador

Coligação % votos válidos

1º turno

2010 Agnelo Queiroz (**) 11 partidos 48,41 %
1998 Cristovam Buarque (*) 8 partidos 42,67 %
1994 Cristovam Buarque (**) 5 partidos 37,19 %
2002 Geraldo Magela (*) 4 partidos 40,87 %
2006 Arlete Sampaio 6 partidos 20,93 %
1990 Carlos Saraiva e Saraiva Sem 20,27 %
2014 Agnelo Queiroz 16 partidos 20,07 %

(*) qualificado para o segundo turno (**) eleito no segundo turno

 

A megacoligação que não colou.

 

O então Governador Agnelo Queiroz – PT conseguiu, para a eleição 2014 e visando sua reeleição (em companhia do Vice-Governador Tadeu Filippelli – PMDB), formar a maior coligação de partidos da história do DF: nada menos que 16 legendas ! No entanto, em 5 de outubro, Agnelo amargou nas urnas uma decepcionante terceira colocação, e ficando de fora do segundo turno, fato inédito no DF (na eleição 2006, Maria de Lourdes Abadia – PSDB, Governadora em exercício após a desincompatibilização de Joaquim Roriz, também foi derrotada no primeiro turno, quando José Roberto Arruda se elegeu. Mas obteve a segunda maior votação nas urnas).

 

Em 2010, no ano da grande convulsão política do DF, Agnelo tinha conseguido o que era então a maior coligação formal de apoio a um candidato ao Governo. O PT que, historicamente, tinha reservas à coligações amplas, conseguiu grande projeção para seu candidato. Se em 2006 Arlete tinha sido maior que sua coligação (medida em votos recolhidos pelos candidatos a Distrital), em 2010 Agnelo, trilhando um Novo Caminho, conseguia o melhor resultado percentual de um candidato do PT ao Buriti, e sua coligação reunia a maioria absoluta dos votos.

 

Em 2014, numa megacoligação de 16 partidos (uma das maiores do Brasil para uma eleição majoritária), o voto “Agnelo” descolou da soma dos candidatos a Distrital, termômetro mais justo da penetração partidária, e seu “time” alcançou quase o triplo da votação do candidato à reeleição:

Post Agnelo (apertar a seta para voltar)

Arlete/Agnelo/Agnelo: candidato ao Governo pelo PT (Arlete em 2006, Agnelo em 2010 e 2014)

Coligação: votação cumulada para Distrital (nominais e de legenda) da Coligação Arlete 2006 (PT-PV-PCdoB-PSB-PRTB-PRB); da Coligação Agnelo 2010 (PRB-PDT-PT-PTB-PMDB-PPS-PHS-PTC-PSB-PRP-PCdoB); da Coligação Agnelo 2014 (PT-PMDB-PRB-PCdoB-PRP-PPL-PV-PP-PTN-PTdoB-PSC-PROS-PTC-PSL-PHS-PEN)

PT: votação cumulada para Distrital (nominais e de legenda) dos candidatos do PT.

 

Agnelo e PT: casamento aberto.

Os resultados das eleições 2014 mostraram um deslocamento do eleitorado PTista, além de um recuo na votação dos candidatos a Distrital (nominais + legenda). Os tradicionais bastiões (Lagos, Cruzeiro, certas áreas do Plano Piloto) foram investidos por outras forças políticas, e os três “picos” de votação, por zona eleitoral, podem surpreender: Planaltina (13,65 %), Samambaia ZE 13 (12,98 %) e Taguatinga Norte/Vicente Pires (12,64 %). É a força de três lideranças locais, respetivamente Claudio Abrantes (2º mais votado na ZE 06), Risomar (mais votado na ZE 13) e Dirsomar (mais votado na ZE 19).

Já os picos de Agnelo foram no Gama ZE 17 (25,16 %), Sobradinho (24,20 %) e Ceilândia ZE 20 (24,14 %), apesar de sua votação máxima ter sido no Núcleo Rural Pipiripau, na zona rural de Planaltina, com 41,17 % dos votos.

Influenciaram provavelmente o bom resultado de Agnelo, na ZE 17, os também bons resultados de Dilma Presidente (2ª atrás de Marina) e do Federal Policarpo (3º mais votado). O Pastor Egmar, mais votado para Distrital, fazia parte da coligação Agnelo.

Em Sobradinho, Agnelo consegue uma vitória na Vila Basevi (Dilma também), Magela Senador bate Reguffe no Córrego do Arrozal, Érika Kokay Federal realiza bom resultado, com as lideranças de Dr Michel (PP) e de Ricardo Vale (PT).

Na ZE 20 de Ceilândia, destaques para Ronaldo Fonseca Federal (2º mais votado), e os Distritais Chico Vigilante (4º) e Julio Cesar (5º).

post Agneloo (apertar a seta voltar após leitura)

 

Agnelo 2010 x 2014. Queda generalizada

O último gráfico, com as votações de Agnelo Governador por zona eleitoral em 2010 e 2014, mostra a completa mudança de eleitorado do então Governador. Os picos são diferentes (com exceção da ZE 17 do Gama e da ZE 20 de Ceilândia), alguns “buracos” foram preenchidos mas outros se formaram. As mudanças de orientação, particularmente no Plano Piloto (Cruzeiro incluso) são claras:

post Agnell (apertar a seta voltar após leitura)

 

 

 

 

 

 

 

Origem da votação de Claudio Abrantes (PT) Distrital 2014

26 de agosto de 2015 2 comentários

2014photo Claudio Abrantes

Claudio Abrantes obteve a vigésima maior votação para Deputado Distrital na eleição 2014 no DF com 11.993 votos (0,79 % dos votos válidos)

Foi o quinto mais votado na coligação PT/PP, e obteve a Primeira Suplência. Assumiu o mandato após a eleição de Dr Michel (PP) como Conselheiro no Tribunal de Contas do Distrito Federal.

Não foi o mais votado em nenhuma das 21 Zonas Eleitorais.

Teve seu maior resultado proporcional na Zona 06 (Planaltina) com 6,36 % dos votos válidos, e seu pior resultado na Zona 4 (Gama/Santa Maria) com 0,18 %.

Foi sua terceira candidatura no DF > 2014 DF DD Claudio Abrantes precedentes (apertar a seta voltar após leitura)

Confira a origem geográfica dos votos de Claudio Abrantes neste gráfico > 2014 DF DD Claudio Abrantes (apertar a seta voltar após leitura)

Após seu primeiro mandato, Claudio Abrantes conseguiu aumentar a pulverização de sua votação, ele que era muito “dependente” de sua implantação em Planaltina. No entanto, não foi suficiente para contrabalancear a perda da liderança na cidade do norte do DF > 2014 DF DD Claudio Abrantes gráfico 10-14

Claudio Abrantes obteve mais votos em 2014 de que em 2010, e cresceu em todas as Zonas Eleitorais. Com a notável exceção da ZE 06, Planaltina, sua base eleitoral, que o privou da eleição direta > 2014 DF DD Claudio Abrantes variação 10-14

Eleições 2014 no DF: Número de vitórias por locais de votação

As eleições 2014 no DF foram disputadas em 598 locais de votação (escolas).

Resultados com os candidatos a todos os cargos que venceram em pelo menos um local > DF 2014 resultados locais de votação

Eleições 2014 no DF por RA: XXXI Fercal

A Região Administrativa de Fercal (RA XXXI) corresponde a parte da Zona Eleitoral 05.

Confira os resultados da Eleição 2014 na RA XXXI > DF 2014 RA 31 Fercal

2014photo Dr Michel 3

Eleições 2014 no DF por RA: XXX Vicente Pires

A Região Administrativa de Vicente Pires (RA XXX) corresponde a parte da Zona Eleitoral 19.

Confira os resultados da Eleição 2014 na RA XXX > DF 2014 RA 30 V. Pires

2014photo Dirsomar

Eleições 2014 no DF por RA: XXVIII Itapoã

A Região Administrativa de Itapoã (RA XXVIII) corresponde a parte da Zona Eleitoral 02.

Confira os resultados da Eleição 2014 na RA XXVIII > DF 2014 RA 28 Itapoã

2014photo Everardo Ribeiro