Arquivo

Archive for the ‘Alagoas’ Category

2010: Alagoas sem coligações

11 de novembro de 2011 Deixe um comentário

A PEC que prevê o fim das coligações para as eleições proporcionais, após passar pela CCJ do Senado Federal, aguarda sua inclusão na pauta para ser votada pelos 81 Senadores. Terá depois que seguir para a Câmara dos Deputados. Grandes partidos como PT, PMDB e PSDB já se declararam a favor da medida, bem como a Comissão Especial presidida pelo deputado Almeida Lima (PPS-SE) e tendo como relator o deputado Henrique Fontana (PT-RS).

A bancada Federal de Alagoas sem coligações seria dividida igualitariamente entre 3 partidos, cada um com 3 Deputados Federais: PMDB, PSDB e PTB. Consequentemente, PP, PR, PSB e PTdoB perderiam seus assentos > AL 2010 Federal com-sem

A bancada Federal do PSDB teria passado de 1 a 3 representantes, com a eleição de Alexandre Toledo e João Caldas, além de Rui Palmeira; o PTB poderia contar com Chamariz em apoio a Celia Rocha e João Lyra, e o PMDB contaria com o Major Fragoso (18o mais votado, 10.950 votos) para completar Renan Filho e Joaquim Beltrão.

Por outro lado, estariam fora da Câmara dos Deputados Givaldo Carimbão (PSB), 5o mais votado com 92.268 votos; Rosinha da Adefal (PTdoB), 6a mais votada, 90.021 votos; Arthur Lira (PP), 7o mais votado, 84.676 votos; e Maurício Quintella Lessa (PR).

O relator da Comissão Especial da Reforma Política na Câmara dos Deputados, Henrique Fontana (PT-RS), na última versão de seu trabalho que ainda aguarda votação, propõe como principal mudança a queda da cláusula de barreira constituída hoje pelo quociente eleitoral. O cálculo das sobras pela maior média (método D´Hondt, já aplicado hoje) é limitado às agremiações tendo um resultado superior a um. Com a nova formúla, mesmo os partidos tendo uma média inferior a um poderiam participar da distribuição das sobras. No caso de Alagoas sem coligações, os três partidos PMDB, PSDB e PTB passaram o QE, elegeriam 1 deputado cada, mais um cada na sobra. As 3 cadeiras restantes iriam, pela ordem, ao PP, PSB e PMDB. Levando em consideração que a proposta Fontana comporta o voto em lista pré-ordenada e que nenhum dos eleitos alcançou sozinho o QE, os eleitos seriam os primeiros das respectivas listas: PMDB: 3, PSDB: 2, PTB: 2, PP: 1 e PSB: 1.

Assembléia Legislativa: pouca mudança, saída do PTN e do PSC

Se as coligações não tivessem sido permitidas em 2010, a composição da Assembléia Legislativa do Estado de Alagoas seria sensivelmente a mesma que hoje. PSDB e PTdoB, aumentando suas bancadas em mais um, deixaria de fora o PTN e o PSC > AL 2010 Estadual com-sem

Thaise Guedes (PSC), 8a mais votada com 36.804 votos, prejudicada por ser a única candidata do partido, seria substituída por Marcos Ferreira (PSDB), 37o mais votado com 13.702 votos. Já João Henrique Caldas (PTN) deixaria seu lugar para Alves Correia (PTdoB).

De acordo com a última proposta do Deputado Federal Henrique Fontana (PT-RS), relator da Comissão Especial da Reforma Política na Câmara dos Deputados, o cálculo das sobras sem limitar-se aos partidos tendo eleito pelo menos um deputado recolocaria na Assembléia Legislativa a vaga do PSC, na última sobra, deixando o PSDB com 6. Mas o PTdoB ficaria com a vaga do PTN, única modificação em relação ao resultado efetivo de 2010. Único a alcançar nominalmente o QE, Joãozinho Pereira (PSDB) teria garantido sua eleição, enquanto os outros candidatos dependeriam de suas respetivas classificações na lista pré-ordenada.

Anúncios