Servidores GDF, junho 2022: estabilidade positiva?

Mesmo com os três números (força total, funções e cargos comissionados, servidores sem vínculo) no campo positivo, a palavra que pode resumir o balanço da movimentação de pessoal do Governo de Distrito Federal (GDF) no segundo trimestre de 2022 é “estabilidade”(*), segundo a tabela publicada no Diário Oficial do DF de 18 de julho de 2022.

Cópia do DODF > DODF 133 18-07-2022 INTEGRA-6-9

(*) os números informados pela TCB estão bastante diferentes dos levantamentos precedentes. Em março, a empresa indicava ter uma força total de 346 servidores, com mais 207 cedidos a outro órgão do GDF. Agora em junho, teria somente 68, todos comissionados, enquanto seriam 474 cedidos. Como não houve retificativo desde a publicação da tabela, consideram-se os números de 18/07/2022, a verificar no próximo levantamento.

Junho de 2022

O total de servidores próprios ativos na metade do ano de 2022 é de 117.576. A Secretaria de Saúde com 31.815 é o maior empregador público, seguida da Secretaria de Educação com 31.224 e da Polícia Militar com 10.952.

O total de cargos em comissão (concursados + livre provimento) é de 15.573. Em números absolutos, é a SE Saúde que possui mais funções gratificadas (1.849), seguida da Polícia Civil (1.211) e da SE Economia (1.134).

O número de cargos comissionados ocupados por servidores sem vínculos com o GDF é de 7.804, que corresponde a 6,64% do total de servidores. Em termos de cargos e funções comissionadas, os sem vínculo representam 50,11% do total, o que parece em desacordo com o artigo 2º da Lei nº 4.858 de 2012, estipulando que “pelo menos 50% do total de cargos em comissão, incluídos os cargos de natureza especial, da administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo, devem ser exercidos por servidores ocupantes de cargo de provimento efetivo”.

A SE Justiça e Cidadania é a unidade com maior número absoluto de comissionados de livre provimento (sem concurso) com 402, seguida da PMDF (377) e da SE Economia (346).

Em termos percentuais, uma unidade só tem pessoas indicadas (100%), a CEB Gás com 4.

Fora esse, os órgãos “campeões” de sem vínculos são a Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília-TCB com 98,53%, seguida da Administração Regional do Sol Nascente/Por do Sol com 93,55%, e da Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap) (92,31%).

O conjunto das administrações regionais emprega 2.134 servidores, dos quais 1.497 não possuem vínculo com a administração pública, representando 70,15% da força ativa regional.

Confira os servidores do GDF em 30/06/2022 > Servidores jun 2022

Março/Junho 2022

Após um primeiro trimestre de 2022 atípico, as tendências verificadas nos últimos levantamentos retomam seus vieses: negativo para os concursados, positivo para os cargos em comissão e para os sem-vínculo com o serviço público.

Em alta: As incorporações continuaram na PMDF, que conta com 180 membros a mais, 145 concursados a mais no BRB e 93 na Sejus.

Na categoria dos comissionados sem vínculo, é o Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores – Inas que recebeu o maior número de indicados (55), seguido da Ceasa (28) e da SE Agricultura com 22.

(NB: a Ceasa tinha “perdido” 25 comissionados no trimestre passado. O acréscimo de 28 agora a faz voltar “ao normal”.)

Em baixa: Aposentadorias, demissões, não comparecimento em nomeação, a SE Saúde sofre para, ao menos, manter sua força de trabalho. Neste trimestre, é a campeã de perdas, com 452 integrantes a menos. A SE Educação conta 161 servidores a menos, e a SE Administração Penitenciária tem saldo negativo de 61 integrantes.

Na categoria dos sem vínculo, o Metrô desligou 52 pessoas, a Terracap 22 e o Gabinete do Governador, que funciona em parte como banco de reserva para todos os outros órgãos, 12.

Confira a variação da força de trabalho do GDF entre março e junho de 2022 > Servidores mar jun 2022

Históricos:

Confira a variação da força de trabalho total do GDF desde dezembro de 2014 > Total Força Ativa GDF jun 2022

Confira a variação dos cargos em comissão desde dezembro de 2014 > Cargos em com GDF jun 2022

Compare o número de servidores sem vínculo (indicados) nos governos Rollemberg e Ibaneis > Sem vínculo GDF jun 2022

Eleição 2022 no DF: os candidatos

Informações oficiais atualizadas em 16/08/2022 às 13H00.

Total de candidatos: 851

Candidatos a Governador (Vice-Governador): 12 (+12)

TODOS COM CANDIDATURA AGUARDANDO JULGAMENTO

. Coronel Moreno – PTB (Dr Luiz Gustavo – PTB) 14 PTB

(não declarou patrimônio, não registrou programa de governo, nunca foi candidato a cargo eletivo)

. Ibaneis Rocha – MDB (Celina Leão – PP) 15 (PTB/Avante/PROS/Agir/PP/SD/MDB/PL/PATRI)

(declarou patrimônio de R$ 79.808.818,88 (em 2018: R$ 94,1 milhões), registrou plano de governo, é candidato à reeleição (em 2018, para sua primeira candidatura a qualquer cargo e na eleição para Governador, obteve 634.008 votos (41,97%) no 1º turno, 1.402.574 votos (69,79%) no 2º turno)

. Izalci – PSDB (Beth Cupertino – PRTB) 45 Federação PSDB/Cidadania (PSDB/Cidadania/PRTB)

(declarou patrimônio de R$ 8.705.446,03 (em 2018: R$ 8,45 milhões), registrou plano de governo, é sua 7ª candidatura (eleito 4 vezes: Distrital em 2002, Federal em 2010 e 2014, Senador em 2018 – 403.735 votos (15,33%)

. Keka Bagno – Psol (Toni de Castro – Psol) 50 Federação Psol Rede (Psol/Rede)

. Leandro Grass – PV (Olgamir Amancia – PCdoB) 43 Federação Brasil da Esperança – FE BRASIL (PT/PCdoB/PV)

. Leila do Vôlei – PDT (Joe Valle – PDT) 12 PDT

*Joe Valle também pediu registro como candidato ao Senado

. Lucas Salles – DC (Pastora Suelene – DC) 27 DC

. Parente – PSB (Professora Jana Almeida – PSB) 40 PSB

. Paulo Octávio PO – PSD (Felipe Belmonte – PSC) 55 DF para Todos (PODE/PATRI/PSD/PSC)

. Renan Arruda – PCO (Mauro Sousa de Moura – PCO) 29 PCO

. Robson – PSTU (Zanata – PSTU) 16 PSTU

. Teodoro da Cruz Téo – PCB (Jamil Magari – PCB) 21 PCB

Candidatos a Senador: (1º e 2º suplente): 11 (+11+11)

. Alexandre Bispo – PSDB (Lourdinha Werneck – PSDB e Sônia Carvalho – PSDB) 451 Federação PSDB/Cidadania (PSDB/Cidadania/PRTB)

. Damares Alves – Republicanos (Manoel Arruda – União e Pastor Egmar – Republicanos) 100 União/Republicanos

. Dr Carlos Rodrigues – PSD (Fabiana Lacerda – PSD e Weber Magalhães – PSD) 555 PSD

. Elcimara – PSTU (Renato – PSTU e Sílvio – PSTU) 161 PSTU

. Expedito Mendonça – PCO (Ivo Ferreira Brito – PCO e Valmir Barbosa – PCO) 290 PCO

. Flávia Arruda – PL (Pastore – MDB e Professor Godofredo – PL) 222 Unidos pelo DF (MDB/PP/PL/PATRI/PROS/PMN/PTB/REPUB/AGIR/SD)

. Joe Valle – PDT (Georges Michel – PDT e Fabíola Consttâncio – PDT) 123 PDT

* Joe Valle também pediu registro como candidato a Vice-Governador

. Marcelo Hipólito – PTB (Reginaldo Pereira – PTB e Professor Rachid – PTB) 142 PTB

. Pedro Ivo Mandato Coletivo – Rede (Mutá Sanchez – Psol e Mano Lima – Psol) 180 Federação Psol Rede (Psol/Rede)

. Rosilene Corrêa – PT (Mariana Rosa – PT e Saulo Dias – PT) 133 Federação Brasil da Esperança – FE BRASIL (PT/PCdoB/PV)

. Tenente Cel Souza Júnior – DC (Amaral – DC e Virgílio – DC) 270 DC

Candidatos a Deputado Federal: 203. A lista >

Candidatos a Deputado Distrital: 591. A lista >

Propaganda do GDF no 2º trimestre 2022: R$ 20,7 milhões

 

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) n° 125, de 06/07/2022, informa que os gastos do Governo com publicidade no segundo trimestre de 2022 foram de R$ 20.707.324,02.

Cópia do DODF >  DODF 125 06-07-2022 INTEGRA-80-91

Confira a série histórica por trimestre desde 2015 > GASTOS EM PROPAGANDA GDF Tableau

Para o segundo trimestre de 2022, o montante foi distribuído da forma seguinte (confira o gráfico por tipo de mídia e produção) > DODF 2022 2o tri midia tipo

Veiculação em TV: R$ 8.115.100,60 (confira os montantes por emissora > DODF 2022 2o tri midia tv

Veiculação na Internet: R$ 5.130.339,73 (confira os montantes por endereço > DODF 2022 2o tri midia internet

Veiculação em suportes alternativos (*): R$ 2.018.049,01 (confira os montantes por empresa > DODF 2022 2o tri midia alternativa

Veiculação em Jornal: R$ 1.630.851,48 (confira os montantes por emissora > DODF 2022 2o tri midia jornal

Produção: R$ 1.628.624,65 (confira os montantes por empresa > DODF 2022 2o tri midia produção

Veiculação em Radio: R$ 1.498.100,67 (confira os montantes por jornal > DODF 2022 2o tri midia radio

Publicidade legal (DOU + jornais de grande circulação): R$ 686.257,88 > DODF 2022 2o tri midia legal

(*) a veiculação em suporte alternativos – outdoors, paradas de ônibus, carros de som – não deve ser confundida com a veiculação em mídia alternativa, objeto da Emenda 74/2014 ao artigo 149 da Lei Orgânica, de autoria da Deputada Luzia de Paula, que destina “no mínimo, dez por cento do total das despesas com publicidade do Poder Legislativo e dos órgãos ou entidades da administração direta e indireta do Poder Executivo para contratação de veículos alternativos de comunicação comunitária impressa, falada, televisada e on-line sediados no Distrito Federal.”

No segundo trimestre de 2022, o GDF elencou nesta categoria de “veiculação em mídia alternativa” gastos num total de R$ 2.006.313,95 (que correspondem a 9,69% da despesa total). Confira a lista e os montantes da mídia alternativa > DODF 2022 2o tri midia v alt

(NB: as despesas da “veiculação alternativa” estão também incluídas nas respectivas categorias – internet e jornal – nas listas precedentes)

 

 

DF Eleitorado 2022: maior, mais velho, mais feminino e mais instruído

O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) publicou os dados relativos ao eleitorado apto a participar da eleição 2022 em outubro próximo.

Em relação à última consulta eleitoral no DF, em 2018, há 118.689 eleitores a mais (+5,69%), levando o total a 2.203.045. É o maior número da história, assim como no Brasil, onde 156.454.011 pessoas poderão votar em outubro. O DF no entanto teve crescimento menor que o nacional em termos percentuais: +5,69% na capital contra 6,21% em todo o País.

Todas as zonas eleitorais crescem…

… mas não na mesma proporção. Águas Claras e São Sebastião incluindo os condomínios do Lago Sul passam de dois dígitos. Por outro lado, uma das três zonas de Ceilândia, a de Taguatinga centro e a de Sobradinho não chegam a 3% de crescimento desde 2018. Confira a tabela:

Eleitorado ainda mais feminino

Já em 2018 o gênero feminino era majoritário no eleitorado do DF. E a diferença cresceu ainda mais: em quatro anos, foram 69.326 eleitoras a mais, contra somente 49.363 homens >

O eleitor do DF está envelhecendo…

Em termos percentuais, são os jovens de 16 e 17 anos (com voto facultativo) que impressionam: as inscrições mais que dobraram, registrando 16.769 adolescentes a mais. No entanto, a maioria do eleitorado envelheceu em 4 anos. Só no segmento 45 a 59 anos, são quase 60 mil sufrágios suplementares. No item “curiosidade”, o TRE registra 217 inscritos com 100 anos de idade ou mais. Desses, 145 são mulheres e somente 72 homens.

… e está mais sozinho

Pelo menos formalmente, a capital do Brasil é dos solteiros. Cresceram bastante em 4 anos, e já estão próximos de representar 6 em cada 10 eleitores. Enquanto os casados nem chegam a um terço dos sufrágios >

Eleitor está cada vez mais instruído

Pouco mais de 22% dos eleitores do DF não chegaram ao ensino médio. Uma proporção cada vez menor, eles representavam um quarto dos sufrágios em 2018. Por outro lado, o crescimento dos eleitores com ensino superior é real, mas mais lento.

Categorias:2022 Tags:, ,

DF 2018, resumão

O blog fez um resumo da eleição 2018 no DF com um post para cada cargo.

Confira eles:

Presidente da República

Governador

Senador

Deputado Federal

Deputado Distrital

2018, DF, Distrital. Melhor estar bem em todo o DF que campeão numa só cidade

30 de junho de 2022 1 comentário

Martins Machado

Salve Jorge, Valério Banda Maranatha, Daniel Radar, Pepa, Risomar Carvalho, Maria Antônia, Rogério Morro da Cruz, Carlos Dalvan… 8 campeões de votos em cidades que ficaram no banco de reserva da Câmara Legislativa. Para se eleger distrital em 2018, mais valia ser bom em todo o DF que o melhor em sua cidade.

Três exceções: João Cardoso em Sobradinho e na região dos condomínios norte, Hermeto cuja fama de administrador exemplar ultrapassou Candangolândia para difundir no Núcleo Bandeirante vizinho, e Fernando Fernandes. No caso deste, coroado nas três zonas eleitorais de Ceilândia (único candidato a vencer em mais de 2 ZE), é claro que o peso eleitoral da maior cidade do DF foi determinante, até deixar ele como vice-campeão na votação geral, com 37 sufrágios a menos que Martins Machado.

O distrital mais votado foi justamente o exemplo da “regra” enunciada no título: não foi o preferido em nenhuma zona eleitoral, mas está no pódio dos três mais escolhidos em cinco delas (como Fernando Fernandes, que também chegou em segundo e terceiro em duas zonas de Taguatinga). A quase universalidade do candidato, associada à parceria exclusiva com o federal e correligionário Júlio Cesar, garantiu uma votação no mínimo média em todos os cantos do DF.

O Professor Reginaldo Veras venceu em duas zonas eleitorais, concentrando sua votação na grande Taguatinga, e Arlete Sampaio demostrou mais uma vez o grande prestígio que tem em ambas as Asas do Plano Piloto. Mas grande quantidade de eleitores não garante representação: Samambaia, Gama, Recanto das Emas, Planaltina, Santa Maria, Itapoã ou Paranoá não conseguiram mandar seus preferidos até o Eixo Monumental.

Por Zona Eleitoral

Fernando Fernandes (PR) foi o preferido em 3 das 19 zonas eleitorais, as três de Ceilândia. Além dele, somente Arlete Sampaio e o Professor Reginaldo Veras venceram em mais de uma zona eleitoral. A PTista nas duas do Plano Piloto, o PDTista em Taguatinga.

Salve Jorge, Valério Banda Maranatha, Daniel Radar (maior resultado proporcional, em Santa Maria, com 16,15%), João Cardoso, Pepa, Delmasso, Hermeto, Reginaldo Sardinha, Risomar Carvalho, Maria Antônia, Morro da Cruz e Carlos Dalvan venceram uma zona eleitoral cada um

Tabela da votação dos três candidatos mais votados a Deputado Distrital no DF por Zona Eleitoral > 3 mais votados Distritais

Por local de votação

Das 611 escolas locais de votação, Delegado Fernando Fernandes (PROS) foi o preferido em 71, Professor Reginaldo Veras (PDT) em 52, Arlete Sampaio (PT) em 35, João Cardoso Professor-Auditor (Avante) em 34, Delmasso (PRB) em 27, Iolando (PSC) em 23, Professora Maria Antônia (Solidariedade) em 22, Salve Jorge (PMB) em 21, Pepa (PSC) em 17, Daniel Radar (PPS) em 15, Risomar Carvalho (PSD) em 14, Dr Gutemberg (PR) em 12, Carlos Dalvan (PP), Claudeci Luart (Podemos), Claúdio Abrantes (PDT) e Telma Rufino (PROS) em 10, Juarezão (PSB), Mário Blanco (PPL) e Rafael Prudente (MDB) em 9, Reginaldo Sardinha (Avante), Rogério Morro da Cruz (Avante), Roosevelt Vilela (PSB) e Ziller (PSB) em 8, Delegado Pablo Aguiar (PTB), Hermeto (PHS) e Waldir Cordeiro (Rede) em 7, Coronel Souto (Novo), Jaqueline Silva (PTB), Leandro Grass (Rede) e Valério Banda Maranatha (PSC) em 6, Bill (PROS), Dr Carlos (Avante) e Tia Nair (Avante) em 5, Igor Tokarski (PSB), Professor Jordenes (PTB), Ricardo Tobé (Avante) e Robério Negreiros (PSD) em 4 Agaciel (PR), Celio Marruá (PTC), Dilson Rosa (Podemos), Fernando Servo (PSC), Gilberto Camargos (PROS), Gordinho da Farmácia (Avante), Guarda Jânio (PROS), Prof. Diego Matos da Fercal (Avante), Prof. Marcos Faria (Rede), Professor Celso (PSB), Rodrigo Marques (PSB), Ronaldo (DC), Simone Magalhães (Avante) e Tales Alves (Podemos) em 3, Ana Maria (PP), Fábio Felix (Psol), João Batista (PR), Neto Noroeste (PPS), Rommeine (DEM), Sgt Bonina – Véi da 12 (PMN), Tenente Davi (PTC), Valdelino Barcelos (PP), Washington Líder Comunitário (Solidariedade) e Winston (PRP) em 2, Alex Ribeiro (PSL), Aninha da Autoescola (PDT), Bispo Renato Andrade (PR), Chico Vigilante (PT), Claudia Vilhena (Novo), Cristiano Torres (PHS), Edson Sol Nascente (MDB), Eduardo Pedrosa (PTC), Erich (PSL), Ericka Filippelli (MDB), Fatinha (PSD), Iris (PRB), Joana d´Arc (Porto Rico) (PROS), João Lúcio (PROS), Keves Diogo (PV), Luzia de Paula (PSB), Marlon Costa (PSB), Martins Machado (PRB), Mônica d´Aidê (PSC), Neguin (PDT), Oséias Ribeiro (PHS), Pastor Daniel de Castro (PSC), Paulinho Madrugada (PRP), Pedro Ivo (PPS), Professor Edgard (PSC), Professor Eduardo Rezende (PP), Professor Rodrigão (Patriota), Rogério Vieira (DC), Roman DF (PSL), St Manoel Souza Gasú (PSB), Tia Joana (PSD), Virgílio Neto (PSB) e Washington Mesquita (PTB) em 1. 

Filiados partidos BR abril 2022: crescimento para quase todos, com destaques à esquerda

O Brasil conta com 32 partidos políticos cadastrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Duas vezes ao ano, em abril e outubro, as agremiações devem atualizar suas relações de filiações, que são transmitidas e verificadas pelo TSE.

Este post, continuando a série começada em outubro de 2013, relata os números do cadastro atualizado em abril de 2022.

Brasil: 

O Brasil tem quase 150 milhões de eleitores, 149.836.269 exatamente, uma alta de mais 2% no semestre desde outubro de 2021. E segundo informações do TSE, jovens de menos de 18 anos são grandemente responsáveis por este incremento.

O número total de filiados também está no campo positivo, após um segundo semestre de 2021 em baixa. Mas mesmo com o prazo de seis meses essencial para participar do pleito de outubro próximo, o movimento de não foi suficiente para recuperar o total de abril do ano passado: 16.164.714 brasileiros têm carteirinha nua das 32 agremiações. Eram 16.200.895 há um ano.

Mesmo modesto, o crescimento dos filiados é amplamente majoritário nos diretórios. Somente seis partidos estão no vermelho: PSDB, União* (a fusão de DEM + PSL, que entra pela primeira vez na tabela), Cidadania, PCdoB e PV, todos com baixa muito moderada. Já o Novo prossegue em sua trajetória de mergulho…

Proporcionalmente, destaque para os dois lanterninhas: a Unidade Popular (UP) vai participar de sua primeira eleição nacional, apesar de ainda não ter diretórios em todos as unidades da federação ainda, e já lançou pré-candidato à Presidência da República na pessoa de seu presidente, o mineiro Leonardo Péricles. A UP passou de 2,613 para 3.224 filiados no semestre, um salto de 23,38%.

Penúltimo no ranking, mas com mais anos de estrada, o Partido da Causa Operário (PCO) também registrou crescimento superior a 20%, atingindo quase 5 mil filiados. O número 29 está presente nas eleições desde 1997. Para a campanha presidencial de 2022, já declarou seu apoio ao pré-candidato do PT, ex-Presidente da República Lula, como já tinha feito em 2018.

(*) para efeito de comparação, os filiados a DEM e PSL foram somados nos semestres precedentes, como se o União Brasil já existisse.

LISTA DOS PARTIDOS, NÚMERO DE FILIADOS NO BRASIL em abril de 2022 > 2022 abril filiados BR total

Estado por Estado 

AC – ACRE

Habitantes: 906.876 (estimativa IBGE 07/2021)

Eleitores: 568.842 (+2,64% no semestre)

Eleitores filiados: 77.606 (13,64% do eleitorado)

Partido do Governador: PP

Partido do Prefeito da Capital: PP

Comentário do semestre: Crescimento bem modesto dos filiados no semestre. O Top 3 está no vermelho mas sem risco de perder posições. O PMN entra no Top 20.

Top 5: PT, MDB, PCdoB, PP, PSDB. Sem mudança.

No ranking, PMN é o único a ganhar posições, 3 de uma vez.

Proporcionalmente, destaque positivo para PCO (6 filiados, 17,14%), Agri (+9,22%) e PCB (5 filiados, +6,76%). No campo negativo: Novo, pelo segundo semestre consecutivo (-4,55%), Rede (-2,33%) e Cidadania (-1,86%).

Confira o ranking dos partidos no Acre em abril de 2022 > 2022 abril AC

AL – ALAGOAS

,

Habitantes: 3.365.351 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,41% em um ano)

Eleitores: 2.282.753 (+2,35% no semestre)

Eleitores filiados: 182.956 (8,01% do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Partido do Prefeito da Capital: PSB

Comentário do semestre: Progressistas chega à liderança, Alagoas sendo o único estado de preferência do PP. No Top 10, somente duas agremiações estão no vermelho, o MDB só por um filiado a menos.

Top 5: PP (+1), MDB (-1), PSB, PSDB, PTB.

PSD ganha duas posições no ranking, PP e PMB uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCB (5 filiados, +13,89%), PMB (+13,22%) e PCO (4 filiados, +5,41%), e negativo para Novo (-4,41%), Cidadania (-3,10%) e PRTB (-1,32%).

Confira o ranking dos partidos em Alagoas em abril de 2022 > 2022 abril AL

AM – AMAZONAS

Habitantes: 4.269.995 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,48% em um ano)

Eleitores: 2.508.795 (+2,79% no semestre)

Eleitores filiados: 256.747 (10,23% do eleitorado)

Partido do Governador: União

Partido do Prefeito da Capital: Avante

Comentário do semestre: Mesmo sem voltar ao nível de um ano atrás, o PT constrói sua vantagem na liderança. Top 10 equilibrado com 5 em baixa e 5 em alta.

Top 5: PT, Republicanos, PCdoB, PSC, MDB (sem mudança)

Solidariedade recupera a posição perdida no semestre passado para o PV no ranking.

Proporcionalmente, destaque para o Avante (+3,55%), PCO (+3,45%) e PT (+2,90%). Destaque negativo para Novo pelo segundo semestre consecutivo (-5,98%), PSTU (-1,23%) e PSD (-0,52%).

Confira o ranking dos partidos no Amazonas em abril de 2022 > 2022 abril AM

AP-AMAPÁ

Habitantes: 877.613 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,84% em um ano)

Eleitores: 536.887 (+3,10% no semestre)

Eleitores filiados: 102.346 (19,06% do eleitorado)

Partido do Governador: PDT

Partido do Prefeito da Capital: Cidadania

Comentário do semestre: O PDT que assumiu a liderança no semestre passado se conforta na posição. O MDB cresce para chegar ao pé do Top 5. PCO agora pode dizer que existe no Amapá.

Top 5: PDT, PSOL, PSDB, PT, União. (sem mudança)

MDB e PRTB ganham duas posições, PTB e PSD uma posição cada.

Proporcionalmente, os melhores resultados ficam com PCO (passa de 1 a 24 militantes, +2.300%), MDB (+7,69%) e PRTB (+6,56%). Destaque negativo para PROS (-3,42%), Novo (-2,38%) e DC (-2,08%).

Confira o ranking dos partidos no Amapá em abril de 2022 > 2022 abril AP

BA-BAHIA

Habitantes: 14.985.284 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,37% em um ano)

Eleitores: 10.416.826 (+2,30% no semestre)

Eleitores filiados: 967.130 (9,28% do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: União

Comentário do semestre: O PT perde a liderança da preferência dos baianos por razão matemática: os 4,5 mil filiados que faltavam ao DEM foram trazidos pelos 5,1 mil PSListas que vieram compor a União Brasil. Mas a vantagem do partido do Prefeito de Salvador sobre o do Governador é pequena: menos de 600 carteirinhas.

Top 5: União, PT, MDB, PP, PSDB. Sem mudança (considerando já a soma DEM+PSL em outubro de 2021)

PCO único a ganhar posição no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para PMB (+12,50%), UP (+11,27%) e PCO (+10,27%), e negativo para Novo (-4,22%), PSB (-1,74%) e PSTU (-0,40%).

Confira o ranking dos partidos na Bahia em abril de 2022 > 2022 abril BA

CE-CEARÁ

Habitantes: 9.240.580 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,58% em um ano)

Eleitores: 6.417.925 (+2,69% no semestre)

Eleitores filiados: 529.182 (8,25% do eleitorado)

Partido da Governadora: PDT

Partido do Prefeito da Capital: PDT

Comentário do semestre: O PT conforta sua liderança, agora com mais de 30 mil carteirinhas a mais que o PSDB, segundo colocado, uma diferença de 60%. No geral, todos os partidos “progressistas” sobem acima da média, exceto o PCdoB. Republicanos chega aos pés do Top 10.

Top 5: PT, PSDB, MDB, PDT, PP. (sem mudança)

No ranking Republicanos e Avante ganham uma posição cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCO (+17,50%), UP (+13,98%) e Republicanos (+9,78%), e negativo pelo segundo semestre consecutivo para Novo (-6,93%), Patriota (-0,73%) e PRTB (-0,49%).

Confira o ranking dos partidos no Ceará em abril de 2022 > 2022 abril CE

DF: DISTRITO FEDERAL

Habitantes: 3.094.325 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,28% em um ano)

Eleitores: 2.163.022 (+2,63% no semestre)

Eleitores filiados: 214.493 (9,92% do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Comentário do semestre: forte crescimento do total de filiados (+2,06%) aproveitado por quase todas as agremiações (somente 7 estão no negativo, 3 delas do Top 10). PT conforta sua liderança, PTB buscar atingir o pelotão da frente.

O Top 5: PT, MDB, PSDB, PP, União (sem mudança)

Republicanos e Rede ganham uma posição cada no ranking.

Em termos percentuais, vários partidos com crescimento de dois dígitos, que mais sobem no semestre são UP (13 militantes a mais, em recuperação dos 11 perdidos no semestre passado, +52,00%), Rede (+22,27) %) e PCO (+21,82%). As três maiores quedas são do Novo (-8,27%), Psol (-0,92%) e PDT (-0,31%)

Confira o ranking dos partidos no DF em abril de 2022 > 2022 abril DF

ES-ESPÍRITO SANTO

Habitantes: 4.108.508 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,09% em um ano)

Eleitores: 2.846.344 (+1,84% no semestre)

Eleitores filiados: 328.297 (11,53% do eleitorado)

Partido do Governador: PSB

Partido do Prefeito da Capital: Republicanos

Comentário do semestre: somente dois partidos do Top 10 no negativo, dos quais o líder MDB. Já o PT, com mais uma posição ganha no ranking, como no semestre passado, sobre no pódio e já visa a vice-liderança. Em um ano, reduziu a diferença para o PDT de 5 mil para menos de 1,3 mil militantes.

Top 5: MDB, PDT, PT (+1), PP (-1), PSDB.

Uma posição ganha por PT, PCdoB e SD.

Proporcionalmente, destaques positivo para o UP (passa de 2 a 10 militantes, +400%), Solidariedade (+9,59%) e PCB (+7,60%), e negativo pelo segundo semestre consecutivo para Novo (-5,06%), Pros (-1,50%) e Cidadania (-0,49%).

Confira o ranking dos partidos no Espírito Santo em abril de 2022 > 2022 abril ES

GO-GOIÁS

Habitantes: 7.206.589 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,31% em um ano)

Eleitores: 4.794.963 (+2,84% no semestre)

Eleitores filiados: 658.963 (13,74% do eleitorado)

Partido do Governador: União

Partido do Prefeito da Capital: Republicanos

Comentário do semestre: semestre sem mudança de posição no ranking num estado onde as diferenças entre as agremiações são grandes, com maior aproximação entre PP e União para a terceira posição, e PSB e Podemos para a nona. O saldo positivo no total de filiados provém da segunda parte da tabela.

Top 5: MDB, PSDB, PP, DEM, PT. Sem mudança.

No ranking, nenhum ganho ou perda.

Proporcionalmente, destaque positivo para PCO (+30,23%), Patriota (+8,56%) e PMB (+6,70%). No campo negativo, pelo segundo semestre consecutivo, UP (-8,38%), Cidadanie (-0,26%) e PCdoB (-0,24%).

Confira o ranking dos partidos em Goiás em abril de 2022 > 2022 abril GO

MA-MARANHÃO

Habitantes: 7.153.262 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,54% em um ano)

Eleitores: 4.679.850 (+3,22% no semestre)

Eleitores filiados: 558.700 (11,94% do eleitorado)

Partido do Governador: PSB

Partido do Prefeito da Capital: Podemos

Comentário do semestre: recuperação do total de eleitores, mas não de filiados, que continua em baixa pelo segundo semestre consecutivo. Culpa do Top 10, onde somente o líder MDB e o nono colocado PT estão em alta. O PSB, novo partido do ex-Governador Flávio Dino, deixa o Top 10.

Top 5: MDB, PDT, União, PTB, PP. Sem mudança

PSB perde duas posições no ranking, PMN e Novo uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para o UP (11 militantes a mais, +183,33%), PCO (+25,58%) e PSTU (+4,49%), e negativo para PSB (-10,05%), Novo (-8,27%), PSOL (-7,44%) e PCdoB (-0,69%).

Confira o ranking dos partidos no Maranhão em abril de 2022 > 2022 abril MA

MG – MINAS GERAIS

Habitantes: 21.411.923 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,56% em um ano)

Eleitores: 15.663.951 (+1,88% no semestre)

Eleitores filiados: 1.677.463 (10,71% do eleitorado)

Partido do Governador: Novo

Partido do Prefeito da Capital: PSD

Comentário do semestre: Pequeno crescimento do total de filiados em Minas Gerais, que não perturba o ranking. A soma DEM+PSL só permitiu à União Brasil se aproximar do pódio, sem chegar nele. Os partidos do Top 10 não conseguiram recuperar as perdas do semestre passado, e ainda estão todos abaixo dos números de abril de 2021

Top 5: MDB, PT, PSDB, UNIÃO, PTB. Sem mudança.

Sem mudança no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (+73,06%), PCO (11,14%) e PMB (+5,88%), e negativo pelo segundo semestre consecutivo para Novo (-2,12%), PCdoB (-0,28%) e Agir (-0,27%).

Confira o ranking dos partidos em Minas Gerais em abril de 2022 > 2022 abril MG

MS – MATO GROSSO DO SUL

Habitantes: 2.839.188 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,06% em um ano)

Eleitores: 1.883.527 (+1,92% no semestre)

Eleitores filiados: 295.025 (15,66% do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido da Prefeita da Capital: Patriota

Comentário do semestre: o PSL ficou tão fraco no estado que mesmo com a fusão, a União Brasil não conseguiu chegar ao top 5. Pior: tem agora sua sexta colocação ameaçada pelo PP. Os partidos do alto da tabela ficaram equilibrado, mas os do meio estão no vermelho. Mato Grosso do Sul vê chegar a UP.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PDT, PTB. Sem mudança

Sem mudança no ranking.

Proporcionalmente, além da “criação” da UP, destaques positivo para PRTB (+34,98%), PCO (+14,28%) e PROS (+3,91%) negativo para Novo (-5,91%), União (-1,66%) e PSC (-0,79%).

Confira o ranking dos partidos no Mato Grosso do Sul em abril de 2022 > 2022 abril MS

MT – MATO GROSSO

Habitantes: 3.567.234 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,16% em um ano)

Eleitores: 2.321.535 (+3,85% no semestre, maior alta do Brasil)

Eleitores filiados: 349.116 (15,04% do eleitorado)

Partido do Governador: União

Partido do Prefeito da Capital: MDB

Comentário do semestre: a União não se beneficiou da soma de DEM+PSL e termina o semestre no negativo, enquanto o MDB conhece um crescimento moderado. Mas a vantagem dos partidos fusionados é suficiente para não ficar preocupada. O PT ganha uma posição, pode pretender a mais, mas sem entrar no Top 5. 

Top 5: União, MDB, PSDB, PL, PPS. Sem mudança.

No ranking, PMB devolve as duas posições ganhas no semestre passado. PT, DC e PCO ganham uma cada por seus próprios méritos.

Proporcionalmente, destaques positivo para DC (+19,56%), PCO (3 militantes suplementares, +12,50%) e UP (1 carteirinha a mais, +8,33%), e negativo para PMB (-30,90%), Novo (-6,90%) e PCB (-3,70%).

Confira o ranking dos partidos no Mato Grosso em abril de 2022 > 2022 abril MT

PA – PARÁ

Habitantes: 8.777.124 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,99% em um ano)

Eleitores: 5.731.957 (+3,35% no semestre, maior alta do Brasil)

Eleitores filiados: 593.306 (10,35% do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Partido do Prefeito da Capital: PSOL

Comentário do semestre: Apesar de 8 partidos do Top 10 registrar crescimento do número de filiados, a alta do total é modesta: culpa dos partidos do meio da tabela, que estão no vermelho. A parte de baixo do Top 10 é muito disputada, a União tira o PP de lá. A queda do Novo continua, só sobraram UP e PCO atrás dele.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PRB, PL. Sem mudança.

No ranking, PCdoB ganha duas posições, PDT e União uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (+159,26%), PCO (+31,58%) e PCdoB (+4,33%), e negativo para Novo (-5,05%), PSTU (-0,73%) e Patriota (-0,41%).

Confira o ranking dos partidos no Pará em abril de 2022 > 2022 abril PA

PB – PARAÍBA

Habitantes: 4.059.905 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,51% em um ano)

Eleitores: 3.042.950 (+2,36% no semestre)

Eleitores filiados: 330.669 (10,87% do eleitorado)

Partido do Governador: PSB

Partido do Prefeito da Capital: PP

Comentário do semestre: A vantagem do dueto da liderança é grande, ainda bem, porque enquanto baixam, os outros do Top 10 sobem. Como em outros estados, são os partidos médios que amargam os resultados negativos, provável reflexo do fim das coligações que favoreceu os grandes. O crescimento bem modesto do total de filiados não alterou nenhuma posição no ranking.

Top 5: MDB, União, PSDB, PT, PP. Sem mudança.

Nenhuma mudança no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para PMB (+14,66%), PCO (+13,89%) e Rede (+11,16%), e negativo para Novo (-8,18%), PSOL (-1,88%) e UP (3 militantes a menos, -1,85%).

Confira o ranking dos partidos na Paraíba em abril de 2022 > 2022 abril PB

PE-PERNAMBUCO

Habitantes: 9.674.793 (Estimativa IBGE 07/2021) (+0,60% em um ano)

Eleitores: 6.779.457 (+2,53% no semestre)

Eleitores filiados: 625.861 (9,23% do eleitorado)

Partido do Governador: PSB

Partido do Prefeito da Capital: PSB

Comentário do semestre: Mesmo conhecendo ligeira baixa, o PT pode ficar tranquilo na liderança: ele conta bem mais que o dobro do vice, o PP. A entrada no Top 5 continua disputada, três agremiações estão de olho na posição da União. Aos pés do Top 10 também tem briga, mas todos caem.

Top 5: PT, PP, MDB, PDT, União. Sem mudança.

Sem alteração no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede (+125,89%), PCO (+22,39%) e UP (+6,39%), e negativo para Novo (-7,13%), PSD (-0,89%) e PROS (-0,57%).

Confira o ranking dos partidos em Pernambuco em abril de 2022 > 2022 abril PE

PI – PIAUÍ

Habitantes: 3.289.290 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,24% em um ano)

Eleitores: 2.514.258 (+2,07% no semestre)

Eleitores filiados: 304.364 (12,11% do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: Republicanos

Comentário do semestre: terceiro semestre consecutivo de queda no total de filiados. Também pudera: do Top 10, somente dois partidos não estão no vermelho. Com isto, quem não cai avança, como Solidariedade e Pros, na segunda parte da tabela. UP e PCO brigam contra a lanterninha.

Top 5: MDB, PT, PP, PTB, União. Sem mudança.

No ranking, Solidariedade, Pros e PCO ganham uma posição cada

Proporcionalmente, destaque positivo para PCO (+37,25%), UP (+13,11%) e Solidariedade (+2,85%) e negativo para PSTU (5 militantes a menos, -2,26%), Avante (-2,10%) e Novo (-1,92%).

Confira o ranking dos partidos no Piauí em abril de 2022 > 2022 abril PI

PR – PARANÁ

Habitantes: 11.597.484 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,70% em um ano)

Eleitores: 8.254.306 (+2,45% no semestre)

Eleitores filiados: 969.425 (11,74% do eleitorado)

Partido do Governador: PSD

Partido do Prefeito da Capital: União

Comentário do semestre: crescimento modesto do total de filiados no semestre, mas pelo menos parou de baixar após uma no inteiro que viu as carteirinhas voltar abaixo do milhão de outubro de 2020. A briga para o terceiro degrau do pódio continua indefinida. A União Brasil, partido do Prefeito da capital, não teve força suficiente para entrar nesta disputa.  

Top 5: MDB, PP, PSDB, PT, União. Sem mudança.

No ranking, nenhuma mudança.

Proporcionalmente, destaques positivo pelo segundo semestre consecutivo para UP (5 militantes a mais, +166,67%), PCO (+31,07%) e Rede (+18,67%), e negativo pelo segundo semestre consecutivo para Novo (-4,96%), PSTU (2 militantes a menos, -1,03%) e PV (-0,43%)

Confira o ranking dos partidos no Paraná em abril de 2022 > 2022 abril PR

RJ – RIO DE JANEIRO

Habitantes: 17.463.349 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,55% em um ano)

Eleitores: 12.657.373 (+1,51% no semestre)

Eleitores filiados: 1.037.890 (8,20% do eleitorado)

Partido do Governador: PL

Partido do Prefeito da Capital: PSD

Comentário do semestre: Crescimento moderado do total dos filiados no semestre, mas que permite ao Rio de Janeiro voltar quase ao número que tinha alcançado há um ano. As diferenças entre os partidos são grandes, não há mudança significativa no ranking. Apesar da fusão, União Brasil não conseguiu recuperar a oitava posição ocupada no ano passado.

Top 5: PDT, MDB, PT, PSDB, PP. Sem mudança.

No ranking, só o PROS ganha uma posição.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCO (+40,43%), UP (+19,19%) e PROS (+4,75%), e negativo pelo segundo semestre consecutivo para Novo (-3,36%), PSOL (-0,57%) e PSC (-0,43%).

Confira o ranking dos partidos no Rio de Janeiro em abril de 2022 > 2022 abril RJ

RN – RIO GRANDE DO NORTE

Habitantes: 3.560.903 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,76% em um ano)

Eleitores: 2.507.801 (+2,29% no semestre)

Eleitores filiados: 266.204 (10,62% do eleitorado)

Partido da Governadora: PT

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

Comentário do semestre: crescimento do número total de filiados no semestre, mas moderado. Tanto que não perturba o ranking, nem decide de vez, por exemplo, a batalha no fim do Top 10. União resultou numa soma de DEM+PSL que não ganhou nada, até mesmo perdeu.

Top 5: MDB, União, PSDB, PP, PL. Sem mudança

Sem modificação no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (+141,86%), PCO (+38,71%), e PRTB (+8,27%), e negativo para Novo (-8,61%), Rede (-1,22%) e PROS (-1,13%).

Confira o ranking dos partidos no Rio Grande do Norte em abril de 2022 > 2022 abril RN

RO – RONDÔNIA

Habitantes: 1.815.278 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,05% em um ano)

Eleitores: 1.189.278 (+2,01% no semestre)

Eleitores filiados: 164.068 (13,80% do eleitorado)

Partido do Governador: União

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

Comentário do semestre: se só dependesse do Top 10, o semestre seria bem negativo em Rondônia. Mas os partidos da segunda metade da tabela equilibram, para fechar o total de filiados em ligeiro crescimento. PL está de olho no Top 10. A UP começa a existir no estado.

Top 5: MDB, PSDB, PP, PT, PTB. Sem mudança.

Psol ganha uma posição no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo, além do surgimento da UP, para PMB pelo segundo semestre consecutivo (+25,00%), PTC (+0,64%) e Avante (+5,11%), e negativo para Novo pelo segundo semestre consecutivo (-4,24%), PRTB (-2,21%) e PROS (-1,78%).

Confira o ranking dos partidos em Rondônia em abril de 2022 > 2022 abril RO

RR – RORAIMA

Habitantes: 652.713 (estimativa IBGE 07/2021) (+3,41% em um ano)

Eleitores: 356.181 (+3,19% no semestre)

Eleitores filiados: 60.147 (16,89% do eleitorado)

Partido do Governador: PP

Partido da Prefeita da Capital: MDB

Comentário do semestre: o semestre foi de entusiasmo para a política em Roraima! É a maior taxa de crescimento de filiados do Brasil. Também pudera: três dos Top 10 têm alta próxima dos dois dígitos. O Patriota ainda tem margem para conservar o único estado onde brilha, mas o PP se aproxima. A diferença para o terceiro lugar também diminui.

Top 5: Patriota, PP, PSDB, PDT, União (+1).

União, Republicanos, PMN e Rede ganham uma posição cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede (+10,89%), PP (+8,61%) e União (+8,49%), e negativo para Novo pelo segundo semestre consecutivo (-15,63%), PCB (2 filiados, -9,52 %) e Agir (-6,47%).

Confira o ranking dos partidos em Roraima em abril de 2022 > 2022 abril RR

RS – RIO GRANDE DO SUL

Habitantes: 11.466.630 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,38% em um ano)

Eleitores: 8.499.344 (+1,34% no semestre, menor alta do Brasil)

Eleitores filiados: 1.324.783 (15,59% do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: MDB

Comentário do semestre: alta modesta do total de filiados, situação calma no topo da tabela com diferença suficientes para não criar disputas de posição no momento. Mas furiosas batalhas ao pé do Top 20.

Top 5: MDB, PDT, PP, PT, PTB. Sem mudança

Patriota, Agir e PROS ganham uma posição cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCO pelo segundo semestre consecutivo (+27,03%), PMB (+25,42%) e UP (+14,80%), e negativo para Novo (-4,85%), PRTB (-2,87%) e Rede (-2,48%).

Confira o ranking dos partidos no Rio Grande do Sul em abril de 2022 > 2022 abril RS

SC – SANTA CATARINA

Habitantes: 7.338.473 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,19% em um ano)

Eleitores: 5.272.864 (+2,75% no semestre)

Eleitores filiados: 872.705 (16,55% do eleitorado)

Partido do Governador: Republicanos

Partido do Prefeito da Capital: União

Comentário do semestre: semestre de crescimento para quase todos os partidos: somente quatro estão no vermelho, três deles no Top 10. PT se instala de vez na quinta colocação, mas ainda bem longe de pensar em subir. Alta muito significativa dos pequenos partidos radicais.

Top 5: MDB, PP, PSDB, DEM, PT. Sem mudança

No ranking, o PCO ultrapassa a UP, apesar do crescimento espetacular deste.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCO (+78,95%), UP (+37,70%) e PCB (+36,36%) e negativo para Novo (-2,12%), União (-0,18%) e PSD (-0,12%).

Confira o ranking dos partidos em Santa Catarina em abril de 2022 > 2022 abril SC

SE – SERGIPE

Habitantes: 2.338.474 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,85% em um ano)

Eleitores: 1.645.697 (+2,00% no semestre)

Eleitores filiados: 173.564 (10,55% do eleitorado)

Partido do Governador: PSD

Partido do Prefeito da Capital: PDT

Comentário do semestre: apesar de variações interessantes e das pequenas diferenças entre as agremiações, sem mudança no ranking do semestre. O PP dá um salto, abre vantagem na quarta colocação mas parece ainda um pouco longe de subir no pódio. O líder PT tem o pior resultado do Top  mas o vice MDB não consegue aproveitar.

Top 5: PT, MDB, União, PP, PDT. (Sem mudança),

Ranking sem mudança de posições.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP pelos segundo semestre consecutivo (+88,57%), PP (+6,23%) e PSOL (+5,84%), e negativo para Novo (-4,69%), Rede (-2,29%) e PMB (-1,22%).

Confira o ranking dos partidos em Sergipe em abril de 2022 > 2022 abril SE

SP – SÃO PAULO

Habitantes: 46.649.132 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,78% em um ano)

Eleitores: 32.606.671 (+2,25% no semestre)

Eleitores filiados: 3.028.026 (9,29% do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: MDB

Comentário do semestre: 12 mil militantes a mais no PT, o impacto de São Paulo é marcante para o cenário nacional. A difícil pré-campanha, depois abandonada, do ex-Governador João Doria também coincide com a recaída do PSDB fora do pódio, no qual tinha subido em outubro de 2021. PL, novo partido do Presidente da República, tem pequeno ganho de filiados e uma posição no ranking, ultrapassando a agremiação de Ciro Gomes.

Top 5: MDB, PT, PTB (+1), PSDB (-1) PP.

PTB, PL, Podemos e Avante sobem uma posição cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCO (+22,34%), UP (+17,89%) e PROS (+3,92%), e negativo para Novo pelo segundo semestre consecutivo (-5,19%), PSDB (-0,55%) e PCdoB (-0,48%).

Confira o ranking dos partidos em São Paulo em abril de 2022 > 2022 abril SP

TO – TOCANTINS

Habitantes: 1.607.363 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,08% em um ano)

Eleitores: 1.073.531 (+3,40% no semestre)

Eleitores filiados: 204.886 (19,09% do eleitorado)

Partido do Governador: Republicanos

Partido da Prefeita da Capital: PSDB

Comentário do semestre: o ioiô do PT parece ter chegado ao fim. Após ter pulado de 5º para 2º e ter recaído para 4º em três semestres, desta vez o saldo é modesto. A União Brasil não se beneficiou tanto da fusão, e a disputa para a segunda colocação está mais viva que nunca.

Top 5: MDB, União, PP, PT, PSDB. Sem mudança.

Sem alterações de posições no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCO (5 militantes a mais, +250,00%), PMB (+42,34%) e PSTU (recuperou a carteirinha perdida no semestre passado, +10,00%), e negativo para Novo (-15,52%), Rede (-3,35%) e PROS (-1,72%).

Confira o ranking dos partidos no Tocantins em abril de 2022 > 2022 abril TO

ZZ – BRASILEIROS NO EXTERIOR

Habitantes: segundo o TSE, dos quase 3 milhões de brasileiros que moram fora do país, estima-se que pelo menos 1,5 milhão poderiam participar do pleito.

Eleitores: 639.381 registrados (+10,65% no semestre)

Eleitores filiados: 10.795 (1,69% do eleitorado)

Partido do Presidente da República: PL

Comentário do semestre: O PT chega ao topo da preferência dos brasileiros inscritos em consulados no exterior e filiados a um dos 32 (agora sim, a UP aparece lá fora) partidos disponíveis, desbancando o MDB. Mas o salto mais impressionante é do PSOL que mais que triplica de tamanho e pula da 20ª para a 13ª posição. O total de filiados, neste único ano eleitoral em quatro anos para os brazucas (que só votam para Presidente da República) também conhece crescimento significativo.

Top 5: PT (+1), MDB (-1), PSDB, PP, PTB (+1). Sem mudança

PSOL sobre 7 posições, vários partidos ganham uma. União perde duas.

Destaque proporcional positivo para PMB (5 militantes a mais, +250,00%), PSOL (+214,44%) e PROS (+188,89%). Nenhum partido no campo negativo ou mesmo neutro.

Confira o ranking dos partidos para os brasileiros no exterior em abril de 2022 > 2022 abril ZZ

TABELA RECAPITULATIVA BRASIL abril de 2022 > 2022 abril Recapitulatif

Servidores GDF, março 2022: trimestre fora da curva ou inversão de tendência?

Todas as curvas estão invertidas no balanço da força de trabalho em março de 2022. O Governo de Distrito Federal (GDF) tem mais concursados, e menos funções comissionados e servidores sem vínculo em relação a dezembro de ano passado, na publicação no Diário Oficial do DF de 3 de maio de 2022.

Cópia do DODF > DODF 081 03-05-2022 INTEGRA-páginas-15-18

Março de 2022

O total de servidores próprios ativos no fim do primeiro trimestre de 2022 é de 117.948. A Secretaria de Saúde com 32.267 é o maior empregador público, seguida da Secretaria de Educação com 31.385 da Polícia Militar com 10.772.

O total de cargos em comissão (concursados + livre provimento) é de 15.469. Em números absolutos, é a SE Saúde que possui mais funções gratificadas (1.846), seguida da Polícia Civil (1.215) e da SE Economia (1.122).

O número de cargos comissionados ocupados por servidores sem vínculos com o GDF é de 7.740, que corresponde a 6,56% do total de servidores. Em termos de cargos e funções comissionadas, os sem vínculo representam 50,04% do total, o que parece em desacordo com o artigo 2º da Lei nº 4.858 de 2012, estipulando que “pelo menos 50% do total de cargos em comissão, incluídos os cargos de natureza especial, da administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo, devem ser exercidos por servidores ocupantes de cargo de provimento efetivo”.

A SE Justiça e Cidadania é a unidade com maior número absoluto de comissionados de livre provimento (sem concurso) com 400, seguida da PMDF (383) e da SE Economia (336).

Em termos percentuais, duas unidades só tem pessoas indicadas (100%), ambos subsidiárias da Companhia Energética de Brasília (CEB), a CEB Gás e a CEB Participações ambas com 4.

Fora esses dois, os órgãos campeões de sem vínculos são a Administração Regional do Sol Nascente/Por do Sol com 96,88, seguida da Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap) (92,31%) e da Secretaria Extraordinária da Pessoa com Deficiência (SEPD) com 92,05%.

Confira os servidores do GDF em 31/03/2022 > Servidores mar 2022

Dezembro 2021/Março 2022

Pela primeira vez no Governo Ibaneis, o número de servidores concursados aumenta, e os cargos comissionados e os servidores sem vínculo baixam no mesmo trimestre. É uma inversão total de tendências.

Em alta: As forças de segurança tiveram bastante incorporações: 620 na PMDF e 219 no CBMDF. A terceira unidade com maior saldo no trimestre é a SE Saúde, com 157.

Na categoria dos comissionados sem vínculo, é a Terracap que recebeu o maior número de indicados (34), seguida da PMDF e da SE Transporte e Mobilidade (Semob) com 12 cada.

é a Secretaria de Desenvolvimento Econômico que recebeu o maior número de indicados (22), seguida da Administração do Lago Sul (10) e da SE Segurança Pública com 8.

Em baixa: O concurso em previsão na SE Educação não será superflu, a secretaria continua no topo do ranking das perdas de servidores: 633 a menos no trimestre, seguida da Caesb (-118) e da Polícia Civil (PCDF) (-58).

A Ceasa viu sua força ativa diminuir da metade no trimestre, com desligamento de 25 comissionados sem vínculo, enquanto a SE Agricultura exonerou 20 e a SE Governo 17. 

Confira a variação da força de trabalho do GDF entre dezembro de 2021 e março de 2022 > Servidores dez 2021-mar 2022

Históricos:

Confira a variação da força de trabalho total do GDF desde dezembro de 2014 > Total Força ativa GDF Roll Iba

Confira a variação dos cargos em comissão desde dezembro de 2014 > Cargos em comissão Roll Iba

Compare o número de servidores sem vínculo (indicados) nos governos Rollemberg e Ibaneis > Sem vínculo Roll Iba

2018, DF, Federal. Flávia Arruda, estreia vencedora

Flavia Arruda

Única candidata a ultrapassar os 100 mil votos (mais ainda longe de atingir sozinho o quociente eleitoral) e escolhida no trio de preferência em 16 das 19 zonas eleitorais, Flávia Arruda teve estreia eleitoral exitosa. Não foi a única: a metade da bancada do DF é composta de novatos na escolha dos eleitores (Flávia Arruda, Bia Kicis, Luis Miranda e Paula Belmonte).

E mais: o DF é a primeira unidade da União a ter representação na Câmara dos Deputados com maioria feminina com Flavia Arruda, Érika Kokay, Bia Kicis, Paula Belmonte e Celina Leão.

Por Zona Eleitoral

Flávia Arruda (PR) foi o preferida em 13 das 19 zonas eleitorais, com melhor resultado proporcional em Planaltina – como Leila para o Senado – (17,64% dos votos válidos).

Érika Kokay (PT) obteve seu terceiro mandato com votação ligeiramente inferior à de 2014 (89.986 contra 92.558) e recebeu preferência dos eleitores em Sobradinho e na Asa Norte, onde anotou seu melhor resultado proporcional (11,90%).

Bia Kicis (PRP) também estreante foi destacada por sua atuação na oposição nos governos precedentes. No entanto, suas melhores votações não foram nos mesmos locais que as de Jair Bolsonaro. Asa Sul, Cruzeiro/Sudoeste, Taguatinga/Águas Claras e Lago Sul/São Sebastião escolheram a procuradora do DF aposentada, com pico proporcional de 11,28% na Asa Sul.

En resumo, das 19 zonas eleitorais Flávia Arruda venceu em 13, Bia Kicis em 4 e Érika Kokay em 2.

Tabela da votação dos três candidatos mais votados a Deputado Federal no DF por Zona Eleitoral > 3 mais votados Federais

Por local de votação

Das 611 escolas locais de votação, Flávia Arruda (PR) foi a preferida em 305, Bia Kicis (PRP) em 98, Érika Kokay (PT) em 91, Júlio Cesar (PRB) em 33, Professor Israel (PV) em 17, Edimar Pireneus (MDB) e Professor Gadelha (PDT) em 9, Professor Pacco (PODE) em 8, Luis Miranda (DEM) e Tatu (PMB) em 6, Maria Abadia (PSB) e Renato Santana (PSD) em 5, Paula Belmonte (PPS) em 4, Etieno – o Agente de Saúde (PPL), Filippelli (MDB), Francimar (PSC) e Hélio José (Pros) em 2, Coronel Charles Magalhães (Pros), Isanil (Avante), Newton Lins (PSL), Sargento Eliomar Rodrigues (PTC), Suzângela Leão de Judá (PSC) e Zé Edmar (PMN) em 1.

2018, DF, Senador. Não tão simples quanto parece

Izalci-Lucas-e-Leila-Barros-1-e1631405380537-620x350

(foto Senado)

Únicos candidatos a ultrapassar os 400 mil votos e 15% dos votos cada, Leila Barros e Izalci Lucas saíram sem dúvida vitoriosos da eleição para o Senado, mas o estudo mais detalhado dos resultados mostra que algumas circunstâncias também ajudaram.

Por Zona Eleitoral

Leila Barros (PSB) foi o preferida em 14 das 19 zonas eleitorais, com melhor resultado proporcional em Planaltina (21,81% dos votos válidos). Izalci sempre apareceu em segundo onde Leila ganhou, exceto na ZE 18 (Lago Sul/São Sebastião) onde Cristovam teve 41 voto a mais que o tucano.

Izalci (PSDB) venceu no Guará e em Vicente Pires, e foi escolhido na segunda posição em 10 zonas eleitorais, exceto na ZE18, onde ficou em terceiro. Seu pico proporcional não foi onde venceu, mas sim em Taguatinga (ZE 03) com 17,43%, onde ficou em segundo atrás da Leila (18,36%).

Cristovam (PPS) foi o preferido na Asa Norte, e chegou em segunda posição na Asa Sul e no Cruzeiro/Sudoeste, atrás de Paulo Roque, e no Lago Sul/São Sebastião, perdendo para Leila.

Fadi Faraj (PRP) se beneficiou de sua regularidade. Não esteve no duo da frente em nenhuma zona eleitoral, mas em quase todas seu resultado fica entre 8 e 12%, com pico no Recanto das Emas a 12,51%.

Mesma constatação para Wasny (PT), só que com resultados mais modestos, entre 6 e 10%. Foi no Gama que atingiu sua maior votação proporcional com 10,36%.

Paulo Roque (Novo) padeceu de maior conhecimento tanto de seu nome quanto de seu partido nas zonas eleitorais mais populosas. Sua votação muita baixa em Ceilândia e no Gama tirou o brilho de suas duas vitórias, na Asa Sul e no Cruzeiro/Sudoeste, bem como sua segunda colocação na Asa Norte.

Gráfico da votação dos seis maiores candidatos ao Senado no DF por Zona Eleitoral >

2018 DF SEn graphique

Por local de votação

Das 610 escolas locais de votação, Leila (PSB) foi a preferida em 424, Izalci (PSDB) em 96, Paulo Roque (Novo) em 56, Cristovam (PPS) em 29, o Brigadeiro Átila Maia (PRTB) e Wasny (PT) em 2 cada,  Fadi Faraj (PRP) em 1.

2018, DF, Presidente da República. Jair Bolsonaro inatingível

Bolsonaro-02

(foto Rafaela Felicciano/Metrópoles)

(todas as informações referentes ao primeiro turno)

Por Zona Eleitoral

Jair Bolsonaro foi o preferido em todas as 19 zonas eleitorais, todas com de 50% dos votos com exceção da Asa Norte (49,11%). Seu melhor resultado foi em Vicente Pires, com 62,39% dos sufrágios.

Ciro Gomes foi o mais escolhido na segunda posição em todas as 19 zonas eleitorais, exceto em Planaltina (ZE 06), onde ficou em terceiro. Na Asa Norte, teve seu pico proporcional, com 24,78%.

Fernando Haddad foi o mais escolhido na terceira posição em todas as 19 zonas eleitorais, exceto em Planaltina (ZE 06), onde ficou em segundo. É também lá que obteve seu melhor resultado: 15,53%.

Geraldo Alckmin foi o quarto mais votado em 13 zonas eleitorais, e o quinto nas outras. Recebeu mais votos no Paranoá/Itapoã e Lago Norte (4,53%)

João Amoêdo foi o quarto mais votado no Plano Piloto, no Guará e em grande parte de Taguatinga (exceto no centro), mas teve votação pífia em bairros mais populares, rendendo a quinta colocação no geral. Como Ciro Gomes, teve seu pico proporcional na Asa Norte (5,38%).

Gráfico da votação dos três maiores candidatos à Presidência da República no DF por Zona Eleitoral > 2018 DF PR graphique par ZE

Por local de votação

Das 611 escolas locais de votação (contendo com o Mané Garrincha, que recebia os votos de eleitores de outros estados cadastrados em trânsito), Jair Bolsonaro venceu em 607, Fernando Haddad em 4.

Os 100 mais votados no DF em 2018

A seguir, a lista dos 100 (na verdade um pouquinho mais para incluir Leandro Grass, o último eleito) na eleição 2018 no Distrito Federal (candidatos a Presidente da República não incluídos) >

Propaganda do GDF no 1º trimestre 2022: R$ 39,9 milhões

 

Mulheres_Pioneiras-768x768

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) n° 067, de 07/04/2022, informa que os gastos do Governo com publicidade no primeiro trimestre de 2022 foram de R$ 39.911.699,36.

Cópia do DODF > DODF 067 07-04-2022 INTEGRA-páginas-67-83 

Confira a série histórica por trimestre desde 2015 > GASTOS EM PROPAGANDA GDF Tableau

Para o primeiro trimestre de 2022, o montante foi distribuído da forma seguinte (confira o gráfico por tipo de mídia e produção) > DODF 2022 1o tri midia graf

Veiculação em TV: R$ 13.222.859,46 (confira os montantes por emissora > DODF 2022 1o tri midia TV

Veiculação na Internet: R$ 11.524.542,91 (confira os montantes por endereço > DODF 2022 1o tri midia internet

Veiculação em suportes alternativos (*): R$ 5.150.609,82 (confira os montantes por empresa > DODF 2022 1o tri midia alternativa

Veiculação em Radio: R$ 3.744.481,77 (confira os montantes por emissora > DODF 2022 1o tri midia radio

Produção: R$ 2.912.397,83 (confira os montantes por empresa > DODF 2022 1o tri midia produção

Veiculação em Jornal: R$ 2.863.475,12 (confira os montantes por jornal > DODF 2022 1o tri midia jornal

Publicidade legal (DOU + jornais de grande circulação): R$ 338.985,94 > DODF 2022 1o tri midia legal

Veiculação em Revista: R$ 154.346,51 (confira os montantes por veículo > DODF 2022 1o tri midia revista

(*) a veiculação em suporte alternativos – outdoors, paradas de ônibus, carros de som – não deve ser confundida com a veiculação em mídia alternativa, objeto da Emenda 74/2014 ao artigo 149 da Lei Orgânica, de autoria da Deputada Luzia de Paula, que destina “no mínimo, dez por cento do total das despesas com publicidade do Poder Legislativo e dos órgãos ou entidades da administração direta e indireta do Poder Executivo para contratação de veículos alternativos de comunicação comunitária impressa, falada, televisada e on-line sediados no Distrito Federal.”

No primeiro trimestre de 2022, o GDF elencou nesta categoria de “veiculação em mídia alternativa” gastos num total de R$ 5.358.513,32 (que correspondem a 13,43 % da despesa total). Confira a lista e os montantes da mídia alternativa > DODF 2022 1o tri midia v alt

(NB: as despesas da “veiculação alternativa” estão também incluídas nas respectivas categorias – internet e jornal – nas listas precedentes)

 

 

2018, DF, Governador. Só o Plano Piloto resiste a Ibaneis

22 de março de 2022 3 comentários

Por Zona Eleitoral

Ibaneis foi o preferido em 17 das 19 zonas eleitorais, e obteve mais de 50 % dos votos em duas: a 16 (Brazlândia/parte de Ceilândia) e a 21 (Recanto das Emas/parte de Samambaia).

Rodrigo Rollemberg venceu em 2 zonas: Asa Norte e Asa Sul, sempre com Ibaneis na segunda opção.

Rogério Rosso não ganhou nenhuma zona eleitoral, mas foi o mais escolhido na segunda posição, em 9 delas.

O General Paulo Chagas foi o terceiro mais votado no Plano Piloto amplo (Asa Norte, Asa Sul, Cruzeiro/Sudoeste/Octogonal), com pico percentual no Cruzeiro com 12,56 % dos votos.

Eliana Pedrosa foi a terceira preferida em 5 Zonas Eleitorais, com melhor resultado na ZE 02 (Paranoá/Itapoã/Lago Norte) com 12,93 %.

Fraga aparece dez vezes no Top 5, com destaque no Gama, com 8,07 %.

Alexandre Guerra conseguiu disseminar o Novo particularmente na Asa Norte (8,69 %) e na Asa Sul (8,80 %).

Fátima Sousa também teve seus melhores resultados no Plano Piloto, com seu pico na Asa Norte com 8,21 %.

É o Gama que entregou o melhor resultado a Júlio Miragaya (5,43 %).

Com 117 votos, Guillen teve em Sobradinho seu maior percentual: 0,13 %.

Gráfico da votação dos quatro maiores candidatos a Governador no DF por Zona Eleitoral > 2018 DF Governador graphique

Por local de votação

Das 610 escolas locais de votação, Ibaneis venceu em 532, Rodrigo Rollemberg em 73, o General Paulo Chagas em 4 e Júlio Miragaya em 1.

Servidores GDF, dezembro 2021: mais um piso recorde na força ativa

Alguns dias após publicar o quadro da força de trabalho em setembro de 2021, o Governo de Distrito Federal (GDF) atualizou os números de seus servidores em dezembro de ano passado em publicação no Diário Oficial do DF de 19 de janeiro de 2022.

Cópia do DODF > DODF 013 19-01-2022 INTEGRA-páginas-4-7

Dezembro de 2021

O total de servidores próprios ativos no fim do ano de 2021 é de 117.561. A Secretaria de Saúde com 32.110 é o maior empregador público, seguida da Secretaria de Educação com 32.018 da Polícia Militar com 10.152.

O total de cargos em comissão (concursados + livre provimento) é de 15.522. Em números absolutos, é a SE Saúde que possui mais funções gratificadas (1.854), seguida da Polícia Civil (1.215) e da SE Economia (1.113).

O número de cargos comissionados ocupados por servidores sem vínculos com o GDF é de 7.763, que corresponde a 6,60% do total de servidores. Em termos de cargos e funções comissionadas, os sem vínculo representam 50,01% do total, o que parece em desacordo com o artigo 2º da Lei nº 4.858 de 2012, estipulando que “pelo menos 50% do total de cargos em comissão, incluídos os cargos de natureza especial, da administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo, devem ser exercidos por servidores ocupantes de cargo de provimento efetivo”.

A SE Justiça e Cidadania é a unidade com maior número absoluto de comissionados de livre provimento (sem concurso) com 396, seguida da PMDF (371) e da SE Economia (333).

Em termos percentuais, duas unidades só tem pessoas indicadas (100%), ambos subsidiárias da Companhia Energética de Brasília (CEB), a CEB Gás com 3 e a CEB Participações com 2.

Fora esses dois, os órgãos campeões de sem vínculos são a Administração Regional do Sola Nascente/Por do Sol com 96,88, seguida da Junta Comercial (92,31%), e a Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap) (92,31%).

Confira os servidores do GDF em 31/12/2021 > Servidores dez 2021

Setembro/Dezembro 2021

A queda no último trimestre de 2021 é menor, são 220 servidores a menos, mas confirma a força total abaixo da barra simbólica dos 120 mil servidores ativos, derrubada em setembro. Secretarias de Saúde e de Educação continuam se alternando com maior contingente de servidores.

Em alta: A SE Desenvolvimento Social (Sedes) é a campeã de “recrutamento” no trimestre (175), seguida da SE Economia (101) e do Banco de Brasília (BRB) (74), que está chamando aprovados em concurso.

No rol dos comissionados sem vínculo, é a Secretaria de Desenvolvimento Econômico que recebeu o maior número de indicados (22), seguida da Administração do Lago Sul (10) e da SE Segurança Pública com 8.

Em baixa: A SE Educação perdeu o posto de maior empregador do DF e figura em primeiro na lista das perdas de força de trabalho no trimestre, com 270 servidores a menos. A Polícia Militar (PMDF) aparece em segunda colocação com menos 84, e em terceiro o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) com saldo de 74 negativo

A SE Saúde exonerou 22 comissionados, 10 na SE Justiça e Cidadania e SE Turismo 8. 

Confira a variação da força de trabalho do GDF entre setembro e dezembro de 2021 > Servidores set-dez 2021

Históricos:

Confira a variação da força de trabalho total do GDF desde dezembro de 2014 > Total Força Ativa GDF Rollemberg Ibaneis

Confira a variação dos cargos em comissão desde dezembro de 2014 > Cargos em comissão Rollemberg Ibaneis

Compare o número de servidores sem vínculo (indicados) nos governos Rollemberg e Ibaneis > Comissionados sem vínculo Rollemberg Ibaneis

Novas regras para a eleição proporcional: salve-se quem puder

A menos de um mês da data fatídica para o prazo de filiação, candidatos e sobretudo partidos estão na fase de cálculo das probabilidades e possibilidades. Para as agremiações, o temido quociente eleitoral (número de votos validos divido pelo número de cadeiras em jogo) é a medalha de ouro. Ou pelo menos os 80% para continuar no jogo das sobras.

Há outra questão que preocupa os diretórios nacionais: as finanças. A cláusula de barreira sobe mais um degrau, e o partido que não atingir 2% nacionalmente verá a torneira do generoso fundo partidário minguar.

Não zera completamente, porque a legislação prevê um “salário mínimo” para os partidos que não pulam a tal de barreira: é de R$ 3,45 milhões para 2022 (fundo partidário, não o eleitoral). Mas que diferença para agremiações como o PTB (R$ 131 milhões este ano), o Solidariedade (R$ 129,5 mi) ou o Pros (R$ 105 mi).

Esses três flertaram perigosamente com os 2% em 2018: Pros (2,07%), PTB (2,05%), Solidariedade (1,98%). E estão claramente em perigo Avante (1,87%), PSC (1,79%), PV (1,62%), Cidadania (1,61%), Patriota (1,45%), PCdoB (1,35%) ou Rede (0,83%).

Já os candidatos não visam tão alto: se tiver certeza que a nominata do partido passar o QE, 10% bastam para pretender à cadeira. Mas se a agremiação for da “série B”, a turma dos 80%, a barra é mais alta: 20% do QE. E volta a eterna questão: melhor ser grande num partido médio ou médio num partido grande?

Em razão das novas barreiras para conseguir uma cadeira, pode-se pensar que o objetivo não dissimulado de redução do número total de partidos será mais fácil de atingir. Não necessariamente: em 2018, 25 partidos atingiram o quociente eleitoral em pelo menos uma unidade da federação.

E como este blog adora pegar hipóteses diferentes para realizar projeções… no passado, não podíamos deixar passar a mudança de regra para olhar no retrovisor, na última eleição para deputados federais, em 2018. Como teria sido com as regras atuais?

Antes de olharmos o resultado, é claro que se trata de um simples exercício. Se as regras de 2022 estivessem em aplicação há quatro anos, as estratégias de nominatas teriam sido diferentes, como o serão em outubro, com mais candidatos em cada partido, e presença maior de negras e negros, e candidatas, em razão do coeficiente 2 aplicado a esses votos para a contagem proporcional no fundo partidário.

2018: nenhum partido atingiu o quociente partidário na metade do País

Coligações, alianças, acordos e conchavos, a dinâmica muda em 2022, cada partido tendo que maximizar seus votos para atingir o graal: o quociente eleitoral. E não é tão fácil: em 2018, mesmo o partido que atingiu o QE em mais estados não chegou nem à metade do Brasil! 25 partidos passaram a barra pelo menos uma vez >

Olhando no detalhe para cada estado, fica claro que a dificuldade de atingir o quociente eleitoral muda com o tamanho do eleitorado: menor a unidade, maior o desafio. Acre, Distrito Federal, Rondônia e Roraima comprovam o challenge: nenhuma partido chegou à altura da barra. Neste caso, como prevê a legislação, teriam sido eleitos os mais votados, independentemente de soma partidária ou de qualquer quociente.

Em outros estados também com bancada mínima de 8 federais, uma só agremiação marcou o número mágico. Imaginando que se repita a situação em 2022, oito candidatos e candidatas do mesmo partido teriam ganho a passagem para Brasília, ressalvada a cláusula dos 10% dos votos válidos. O PT conseguiu a façanha no Rio Grande do Norte e em Sergipe, o PR no Amapá e o PSL no Mato Grosso.

Já em grandes colégios eleitorais, o QE foi garantido por vários partidos: 19 em Minas Gerais, 16 em São Paulo e 11 no Rio de Janeiro.

A tabela a seguir apresenta os números da eleição 2018, e a hipótese de quem teriam sido os eleitos em caso de aplicação da regra atual. As distorções (falta de candidatos por exemplo nos estados onde um só partido alcançou o QE, como mencionado acima) foram preenchidas segundo a lei.

Os nomes em vermelho são de candidatos que foram de fato eleito, mas não teriam sido. Em verde, os que ficaram em seus estados porém teriam ido à Brasília com a nova regra. Em alguns casos, há duas opções. Apesar de compulsar os artigos, o blog não conseguiu determinar os critérios de eleição no caso seguinte: terminada a lista dos partidos com QE e seus candidatos com mais de 10%, e depois terminada a lista dos partidos com 80% do QE e seus candidatos com mais de 20%, como preencher as vagas ainda existentes? Seguindo a ordem de votação dos partidos, ou nominal dos candidatos? Por isso as duas opções foram indicadas >

Categorias:Uncategorized

Servidores GDF, setembro 2021: abaixo de 120 mil na ativa pela 1ª vez

12 de fevereiro de 2022 Deixe um comentário

O Governo de Distrito Federal (GDF) atrasou muito a publicação do quadro da força de trabalho referente a setembro de 2021, que só saiu na edição nº 9 de 2022 do Diário Oficial do DF em 13 de janeiro de 2022.

Cópia do DODF > DODF 009 13-01-2022 INTEGRA-páginas-5-9

Setembro de 2021

O total de servidores próprios ativos em 30 de setembro de 2021 é de 117.781. A Secretaria de Educação é o maior “empregador” do serviço público Distrital, com 32.288 servidores, seguida da Secretaria de Saúde com 32.179 e da Polícia Militar com 10.236.

O total de cargos em comissão (concursados + livre provimento) é de 15.363. Em números absolutos, é SE Saúde que possui mais funções gratificadas (1.841), seguida da Polícia Civil (1.208) e da SE Economia (1.107).

O número de cargos comissionados ocupados por servidores sem vínculos com o GDF é de 7.741, que corresponde a 6,57 % do total de servidores. Em termos de cargos e funções comissionadas, os sem vínculo representam 50,39% do total, o que parece em desacordo com o artigo 2º da Lei nº 4.858 de 2012, estipulando que “pelo menos 50% do total de cargos em comissão, incluídos os cargos de natureza especial, da administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo, devem ser exercidos por servidores ocupantes de cargo de provimento efetivo”.

A SE Justiça e Cidadania é a unidade com maior número absoluto de comissionados de livre provimento (sem concurso) com 406, seguida da PMDF (367) e da SE Desenvolvimento Urbano (Seduh) (331).

Em termos percentuais, duas unidades só tem pessoas indicadas (100%), a Administração Regional do Sola Nascente/Por do Sol com 31 servidores e a CEB Gás com 3.

Fora esses dois, os órgãos campeões de sem vínculos são a Junta Comercial (93,33%), a SE Extraordinária da Família (92,86%) e a Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap) (92,31%).

Confira os servidores do GDF em 31/09/2021 > Servidores set 2021

Junho/Setembro 2021

A barra simbólica dos 120 mil servidores ativos está derrubada, com uma queda de mais de 2,6 mil no trimestre, mais da metade na Secretaria de Saúde, em razão dos contratos temporários emergenciais que foram assinados o ano passado por causa da pandemia de CoVid-19, além dos habituais pedidos de aposentadoria.

Também é bom lembrar que a tabela não tem como retratar a passagem de 20 para 40 horas semanais dos servidores da pasta, praticada já várias vezes desde o início da pandemia a pedido dos interessados e que resulta num aumento real da força de trabalho.

Mas o resultado está aí: a Secretaria de Educação volta a ser a unidade com mais servidores, apesar de também ter um saldo negativo no trimestre.

Uma nova unidade aparece no trimestre: a Defesa Civil, que deixou de ser uma SubSecretaria na SE Segurança Pública por decreto em julho de 2021, e está agora diretamente vinculada ao Gabinete do Governador, mas numa contagem separada. Seus 28 servidores explicam em parte a diminuição do efetivo da SSP.

Por outro lado, desaparecem da tabela a Fundação Universidade Aberta do Distrito Federal (Funab), com a criação da Universidade do Distrito Federal Jorge Amaury Maia Nunes; a Secretaria de Desenvolvimento da Região Metropolitana, que integra a Casa Civil; e a Secretaria do Empreendedorismo, absorvida pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Nos casos das duas secretarias extintas, o saldo é negativo em termos de força de trabalho: a soma de seus servidores era 123, dos quais 94 sem vínculo, Casa Civil e SDE recuperaram 48 deles, sendo 28 sem vínculo. Ou seja saldo de -75 para os servidores de todas as categorias, 66 deles sem vínculo.

Em alta: O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) é o campeão de “recrutamento” no trimestre (86), seguido da SE Desenvolvimento Social (Sedes) (48) e da Governadoria (43).

No computo dos comissionados sem vínculo, é a Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) que recebeu o maior número de indicados (55), seguida da SE Desenvolvimento Econômico (26) e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) com 18.

Em baixa: Apesar das nomeações de concursados em julho e agosto, é a Secretaria de Saúde que perde o maior número de servidores, pelo segundo trimestre consecutivo: -1.447, devolvendo assim o posto de maior “empregador” da administração à SE Educação. A Sociedade de Transportes Coletivos de Brasilia (TCB) aparece em segunda colocação com 488 servidores a menos.

Todavia, a força de trabalho de fato volta aos relatórios antes de março de 2021, quando uma nota de roda pé indicava que estavam “contemplados os empregados públicos que estão sob gestão da SE Economia”, por força de um decreto de 2006. Não há explicação desta vez pela retirada destes 488 servidores.

A terceira unidade com mais saídas no trimestre é a Polícia Militar (PMDF), ironicamente com saldo negativa de 190 membros.

No ranking dos sem vínculo a menos, a Saúde tem o maior saldo negativo (-57) seguida da Secretaria de Segurança Pública (SSP) (-30) e da Secretaria de Educação (-12).

Ligeira baixa na força de trabalho das Administrações Regionais, que tem um total de 2.141 (-11) no trimestre. Foram 27 concursados a menos, mas 16 sem vínculo a mais (1.492), que correspondem a 69,69% da força de trabalho das ARs.

Confira a variação da força de trabalho do GDF entre junho e setembro de 2021 > Servidores jun-set 2021

Históricos:

Confira a variação da força de trabalho total do GDF desde dezembro de 2014 > Total Força Ativa GDF Rollemberg Ibaneis

Confira a variação dos cargos em comissão desde dezembro de 2014 > Cargos em comissão Rollemberg Ibaneis

Compare o número de servidores sem vínculo (indicados) nos governos Rollemberg e Ibaneis > Sem vínculo Rollemberg Ibaneis

Propaganda do GDF no 4º trimestre 2021: R$ 44 milhões

 

 

SELO-2-1200x800

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) n° 003, de 05/02/2022, informa que os gastos do Governo com publicidade no quarto trimestre de 2021 foram de R$ 44.114.164,71.

Cópia do DODF > DODF 003 05-01-2022 INTEGRA-páginas-46-51 

Confira a série histórica por trimestre desde 2015 > GASTOS EM PROPAGANDA GDF Tableau

Para o quarto trimestre de 2021, o montante foi distribuído da forma seguinte (confira o gráfico por tipo de mídia e produção) > DODF 2021 4o tri midia

Veiculação em TV: R$ 22.251.945,44 (confira os montantes por emissora > DODF 2021 4o tri midia TV

Veiculação na Internet: R$ 8.211.376,55 (confira os montantes por endereço > DODF 2021 4o tri midia internet

Produção: R$ 4.476.825,79 (confira os montantes por empresa > DODF 2021 4o tri midia produção

Veiculação em Jornal: R$ 3.230.223,25 (confira os montantes por jornal > DODF 2021 4o tri midia jornal

Veiculação em suportes alternativos (*): R$ 3.037.772,32 (confira os montantes por empresa > DODF 2021 4o tri midia alternativa

Veiculação em Radio: R$ 2.402.463,42 (confira os montantes por emissora > DODF 2021 4o tri midia radio

Publicidade legal (DOU + jornais de grande circulação): R$ 384.692,08 > DODF 2021 4o tri midia legal

Veiculação em Revista: R$ 118.866,06 (confira os montantes por veículo > DODF 2021 4o tri midia revista

(*) a veiculação em suporte alternativos – outdoors, paradas de ônibus, carros de som – não deve ser confundida com a veiculação em mídia alternativa, objeto da Emenda 74/2014 ao artigo 149 da Lei Orgânica, de autoria da Deputada Luzia de Paula, que destina “no mínimo, dez por cento do total das despesas com publicidade do Poder Legislativo e dos órgãos ou entidades da administração direta e indireta do Poder Executivo para contratação de veículos alternativos de comunicação comunitária impressa, falada, televisada e on-line sediados no Distrito Federal.”

No quarto trimestre de 2021, o GDF elencou nesta categoria de “veiculação em mídia alternativa” gastos num total de R$ 3.217.163,46 (que correspondem a 7,29 % da despesa total). Confira a lista e os montantes da mídia alternativa > DODF 2021 4o tri midia v alt

(NB: as despesas da “veiculação alternativa” estão também incluídas nas respectivas categorias – internet e jornal – nas listas precedentes)

 

 

Filiados partidos BR outubro 2021: PT único grande que cresce graças a Pernambuco

O Brasil conta com 33 partidos políticos cadastrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Duas vezes ao ano, em abril e outubro, as agremiações devem atualizar suas relações de filiações, que são transmitidas e verificadas pelo TSE.

Este post, continuando a série começada em outubro de 2013, relata os números do cadastro atualizado em outubro de 2021.

Brasil: 

A contagem dos eleitores no Brasil no semestre retoma uma trajetória de subida, após um abril negativo. Mas a dos filiados a um dos 33 partidos políticos em funcionamento continua apontando para baixo. Segundo a tabela publicada no site do TSE, são contabilizados 146.347.551 eleitores, o que ainda representa uma queda de quase 1,5 milhão desde a eleição de 2020!

O número total de filiados segue a tendência de baixa já vista em abril, em percentual mais ameno: -0,67% contra -1,53% no semestre precedente. 16.091.810 eleitores têm carteirinhas de partido político.

Somente quatro partidos registram saldo positivo: PT, Avante, PTC, UP. O resultado do partido de Lula, ainda longe dos mais de 2,1 milhões de MDBistas mas cada vez mais distante do 1,3 milhão de tucanos em terceiro, é notável mas precisa de um reparo. Se no total Brasil são 35 mil militantes suplementares com a estrela vermelha, o reforço veio de Pernambuco, onde mais de 50 mil eleitores a mais optaram pelo PT. Logo, o saldo no conjunto dos outros estados é negativo.

Para o PSOL o semestre é de “ressaca” do forte crescimento de abril. A posição no Top 20 é preservada, mais são 39 mil filiados a menos. No entanto, o saldo no ano continua na zona verde: + 37 mil novos militantes. Já o Novo continua sua trajetória de queda, amargando o pior resultado proporcional com -17,47%. Em um ano, mais de um quinto dos filiados se foram.

No ranking, somente duas agremiações progridem, somente de uma colocação, e pela mesma razão: cair menos que quem estava na frente. É o caso do PCdoB (13º) que recupera a posição perdida em abril para o Podemos, e da Rede Sustentabilidade (28º), que assiste ao Novo afundar.

LISTA DOS PARTIDOS, NÚMERO DE FILIADOS NO BRASIL > 2021 outubro filiados BR total

Estado por Estado 

AC – ACRE

Habitantes: 906.876 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,39% em um ano)

Eleitores: 553.818 (+0,71% no semestre)

Eleitores filiados: 77.394 (13,97 % do eleitorado)

Partido do Governador: PP

Partido do Prefeito da Capital: PP

Comentário do semestre: O PT, único dos grandes a crescer no semestre, aumenta a vantagem sobre o MDB. O PSOL não se sustenta no Top 10 que tinha atingido em abril. PSL e Novo continuam a cair

Top 5: PT, MDB, PCdoB, PP, PSDB. Sem mudança.

No ranking, PL e Patriota ganham uma posição, e PSOL e DC perdem uma.

Proporcionalmente, destaque positivo para PCB (1 filiado, 1,37%), Avante (+1,34%) e Rede (1 filiado, +1,18%). No campo negativo: Novo (-18,52%), Psol (-13,74%) e PSL (-13,68%).

Confira o ranking dos partidos no Acre em outubro de 2021 > 2021 outubro AC

AL – ALAGOAS

,

Habitantes: 3.365.351 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,41% em um ano)

Eleitores: 2.229.040 (+0,50% no semestre)

Eleitores filiados: 181.654 (8,15 % do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Partido do Prefeito da Capital: PSB

Comentário do semestre: Se não fossem os 4 novos filiados ao PV, o semestre seria completamente negativo para todos os partidos. O PSOL, que tinha quase dobrado de tamanho em abril, conhece um revés.

Top 5: MDB, PP, PSB, PSDB, PTB.

Cinco partidos ganham uma posição no ranking, em razão de queda de cinco lugares do PSOL e de uma do PMN.

Proporcionalmente, destaques positivo para PV (+0,11%), único positivo, e negativo para PSOL (-24,50%), Novo (-18,56%) e UP (-9,68%).

Confira o ranking dos partidos em Alagoas em outubro de 2021 > 2021 outubro AL

AM – AMAZONAS

Habitantes: 4.269.995 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,48% em um ano)

Eleitores: 2.438.867 (+0,73% no semestre)

Eleitores filiados: 255.440 (10,47 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSC

Partido do Prefeito da Capital: Avante

Comentário do semestre: O PT tem um tipo de ressaca neste semestre, após a espetacular subida em abril. Mas o essencial é preservado: a liderança da preferência no estado. O resultado global é negativo, e poucas agremiações estão no verde.

Top 5: PT, Republicanos, PCdoB, PSC, MDB (sem mudança)

Cinco partidos ganham uma posição, muitos por perder menos que outros. Solidariedade perde duas.

Proporcionalmente, destaque para o Pros (+0,78%), PV (+0,75%) e PMB (+0,24%). Destaque negativo para Novo (-23,01%), Rede (-10,07%) e Psol (-9,29%).

Confira o ranking dos partidos no Amazonas em outubro de 2021 > 2021 outubro AM

AP-AMAPÁ

Habitantes: 877.613 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,84% em um ano)

Eleitores: 520.234 (+0,64% no semestre)

Eleitores filiados: 101.725 (19,55 % do eleitorado)

Partido do Governador: PDT

Partido do Prefeito da Capital: Cidadania

Comentário do semestre: Semestre de “correições” no Amapá: Os três partidos que tiveram crescimento recorde em abril têm ressaca em outubro. E isto mexe no ranking: o Psol perde a liderança para o partido do Governador, o PT desce do pódio e o Solidariedade sai do Top 10. PDT com excelente resultado vira líder, mas ainda frágil, com menos de 70 filiados de vantagem

Top 5: PDT (+1), PSOL (-1), PSDB (+1), PT (-1), DEM.

PDT, PSDB, Podemos e PL ganham uma posição cada, Solidariedade perde duas.

Proporcionalmente, os melhores resultados ficam com PDT (+21,99%), PCdoB (+1,99%) e Podemos (+0,37%). Destaque negativo para Solidariedade (-28,10%), Novo (-22,22%) e PT (-9,98%).

Confira o ranking dos partidos no Amapá em outubro de 2021 > 2021 outubro AP

BA-BAHIA

Habitantes: 14.985.284 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,37% em um ano)

Eleitores: 10.177.373 (+0,58% no semestre)

Eleitores filiados: 965.290 (9,48 % do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: DEM

Comentário do semestre: As fortes variações do dois semestres precedentes não se repetem, e o resultado total, negativo, está na média do País. O PSOL sofre uma “ressaca” da importante alta de abril, e perde duas das quatro posições ganhas. O PT, em ligeira baixa como os outros partidos ditos progressistas, ainda conserva uma dianteira confortável na liderança.

Top 5: PT, DEM, MDB, PP, PSDB. Sem mudança.

PSOL perde duas posições no ranking, PCO uma.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP pelo segundo semestre consecutivo (+29,09%), Republicanos (+1,34%) e PTB (+0,36%), e negativo para PSL (-18,80%), Novo (-12,74%) e Rede (-4,37%).

Confira o ranking dos partidos na Bahia em outubro de 2021 > 2021 outubro BA

CE-CEARÁ

Habitantes: 9.240.580 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,58% em um ano)

Eleitores: 6.245.105 (+0,52% no semestre)

Eleitores filiados: 525.675 (8,41 % do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: PDT

Comentário do semestre: Um Top 10 com mudanças moderadas, todas em negativo exceto o PDT. Como em muitos estados onde cresceu fortemente no semestre passado, o PSOL registra um recuo. E o Novo continua sua descida…

Top 5: PT, PSDB, MDB, PDT, PP. (sem mudança)

No ranking Psol perde duas posições, DC uma.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCB (+5,85%), Republicanos (+4,67%) e Avante (+1,30%), e negativo para Novo (-18,23%), UP (-16,96%) e PSOL (-11,46%).

Confira o ranking dos partidos no Ceará em outubro de 2021 > 2021 outubro CE

DF: DISTRITO FEDERAL

Habitantes: 3.094.325 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,28% em um ano)

Eleitores: 2.106.052 (+0,57% no semestre)

Eleitores filiados: 213.303 (10,12 % do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Comentário do semestre: Resultado global negativo, todos os grandes partidos estão no amarelo ou no vermelho, com exceção do PL. O PTC dá um salto na parte de baixo do ranking, aumentando seus militantes em quase um terço. O Psol que tinha chegado às portas do Top 10 vê a entrada mais longe.

O Top 5: PT, MDB, PSDB, PP, DEM (sem mudança)

PTC e Rede ganham duas posições cada no ranking, Novo perde duas.

Em termos percentuais, os três partidos que mais sobem no semestre são PTC (+30,17%), PSL (6 filiados a mais, +2,75 %) e Rede (+2,59%). As três maiores quedas são do UP (-26,47%), Novo (-21,19%) e Psol (-16,29%).

Confira o ranking dos partidos no DF em outubro de 2021 > 2021 outubro DF

ES-ESPÍRITO SANTO

Habitantes: 4.108.508 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,09% em um ano)

Eleitores: 2.794.009 (+0,64% no semestre)

Eleitores filiados: 325.876 (11,66 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSB

Partido do Prefeito da Capital: Republicanos

Comentário do semestre: No semestre passado, foi o PSL que puxou o resultado total para baixo. Neste, é o PT que o leva para cima, já que os movimentos nas outras agremiações, quase todos negativos, são moderados. Como em outros estados, o PSOL tem “ressaca” da subida de abril, e o Novo continua despencando.

Top 5: MDB, PDT, PP, PT (+1), PSDB (-1).

Uma posição ganha por PT, PV e Rede.

Proporcionalmente, destaques positivo para o PT (+9,99%), Pros (+1,07%) e Rede (+0,49%), e negativo para Novo (-17,41%), Psol (-13,51%) e PSL (-3,52%).

Confira o ranking dos partidos no Espírito Santo em outubro de 2021 > 2021 outubro ES

GO-GOIÁS

Habitantes: 7.206.589 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,31% em um ano)

Eleitores: 4.658.599 (+0,92% no semestre)

Eleitores filiados: 656.337 (14,09 % do eleitorado)

Partido do Governador: DEM

Partido do Prefeito da Capital: Republicanos

Comentário do semestre: Goiás é o segundo estado onde mais aumento do eleitorado (+0,92%, atrás do Pará), e o total de filiados tem resultado negativo no trimestre, o que faz o porcentagem de militante de qualquer partido baixar para 14,09%, ainda a cima da média no Brasil. O troca-troca de posição entre PSB e Podemos continua, mas todos os partidos estão no negativo, exceto a Rede.

Top 5: MDB, PSDB, PP, DEM, PT. Sem mudança.

No ranking, PSB, Rede e PSTU ganham uma posição.

Proporcionalmente, só uma partido está no verde, a Rede (+0,16%). No campo negativo, UP (-42,61%), Novo (-13,82%) e PSOL (-10,43%).

Confira o ranking dos partidos em Goiás em outubro de 2021 > 2021 outubro GO

MA-MARANHÃO

Habitantes: 7.153.262 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,54% em um ano)

Eleitores: 4.529.359 (-0,06% no semestre)

Eleitores filiados: 560.914 (12,38% do eleitorado)

Partido do Governador: PCdoB

Partido do Prefeito da Capital: Podemos

Comentário do semestre: De novo o Maranhão registra baixa de número total de eleitores, somente dois outros estados também estão no negativo. Os filiados também têm tamanho menor, um só está no verde: o PT, com 9 militantes a mais (o UP também cresce, com uma carteirinha suplementar).

Top 5: MDB, PDT, PTB, DEM, PP. Sem mudança

Só uma mudança de posição no ranking: +1 para o Pros, -1 para o PSOL.

Proporcionalmente, destaques positivo para o UP (+20,00%) e PT (+0,03%), e negativo para Novo (-18,24%), PSOL (-7,44%) e Rede (-4,47%).

Confira o ranking dos partidos no Maranhão em outubro de 2021 > 2021 outubro MA

MG – MINAS GERAIS

Habitantes: 21.411.923 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,56% em um ano)

Eleitores: 15.368.826 (-1,78% no semestre, maior baixa do Brasil)

Eleitores filiados: 1.674.362 (10,89 % do eleitorado)

Partido do Governador: Novo

Partido do Prefeito da Capital: PSD

Comentário do semestre: Novo semestre com baixa no eleitorado mineiro. E também no número total de filiados, que atinge todas os partidos, exceto o Republicanos e os dois militantes a mais na Rede. Mas a não ser na parte baixa do ranking, as quedas foram moderadas, e não houve mudanças de posições.

Top 5: MDB, PT, PSDB, DEM, PTB. Sem mudança.

Sem mudança no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo só para Republicanos (+0,44%) e Rede (+0,04%) e Patriota (+3,61 %) e negativo para Novo (-13,78%), PSOL (-13,10%) e UP (-7,55%).

Confira o ranking dos partidos em Minas Gerais em outubro de 2021 > 2021 outubro MG

MS – MATO GROSSO DO SUL

Habitantes: 2.839.188 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,06% em um ano)

Eleitores: 1.847.442 (+0,40% no semestre)

Eleitores filiados: 294.083 (15,92 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: PSD

Comentário do semestre: Resultado negativo no semestre para todas as agremiações, exceto o Republicanos e o Cidadania. No Top 5, baixas moderadas, mais para baixo as quedas são maiores. PSOL e Novo, como em outros estados, lideram os partidos com pior baixa.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PDT, PTB. Sem mudança

PSB ganha uma posição somente por baixar menos que o Podemos.

Proporcionalmente, destaques positivo para o Cidadania (+0,15%), e Republicanos (+0,13%), e negativo para PSOL (-15,28%), Novo (-14,90%) e Podemos (-4,98%).

Confira o ranking dos partidos no Mato Grosso do Sul em outubro de 2021 > 2021 outubro MS

MT – MATO GROSSO

Habitantes: 3.567.234 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,16% em um ano)

Eleitores: 2.232.115 (+0,57% no semestre)

Eleitores filiados: 347.369 (15,56% do eleitorado)

Partido do Governador: DEM

Partido do Prefeito da Capital: MDB

Comentário do semestre: Com exceção do PMB, que mostra um crescimento real, e dos 18 militantes a mais tanto no PTC e na UP, todas as agremiações estão no negativo, algumas com baixa superior a 1%. Com esta queda generalizada, o ranking quase não é modificado.  

Top 5: DEM, MDB, PSDB, PL, PPS. Sem mudança.

No ranking, duas posições a mais para o PMB, e uma para o PV, que cai menos que o Podemos.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (8 militantes a mais, +200,00%), PMB (+13,51%) e PTC (+0,73%), e negativo para Novo (-23,45%), Patriota (-7,87%) e PSL (-4,27%).

Confira o ranking dos partidos no Mato Grosso em outubro de 2021 > 2021 outubro MT

PA – PARÁ

Habitantes: 8.777.124 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,99% em um ano)

Eleitores: 5.539.957 (+1,26% no semestre, maior alta do Brasil)

Eleitores filiados: 591.387 (10,67% do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Partido do Prefeito da Capital: PSOL

Comentário do semestre: Muitos sinais se inverteram neste semestre em relação a abril: após forte queda do eleitorado, o Pará agora é o estado com maior crescimento; o número total de filiados, recorde em abril, recai abaixo de outubro de 2020; e o PSOL só ficou um semestre no Top 10. PT único partido positivo no Top 15 no semestre.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PRB, PL. Sem mudança.

No ranking, PSOL e Solidariedade perdem as 3 posições que tinham ganho no semestre passado.

Proporcionalmente, destaques positivo para o PT (+1,68%), PSL (+0,12%) e PCdoB (+0,09%), e negativo para PSOL (-17,46%), Rede (-15,03%) e Novo (-12,23%).

Confira o ranking dos partidos no Pará em outubro de 2021 > 2021 outubro PA

PB – PARAÍBA

Habitantes: 4.059.905 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,51% em um ano)

Eleitores: 2.971.251 (+0,28% no semestre)

Eleitores filiados: 329.720 (11,10 % do eleitorado)

Partido do Governador: Cidadania

Partido do Prefeito da Capital: PP

Comentário do semestre: Semestre de baixa também na Paraíba, PT sendo o único partido em verde no Top 20 da tabela, por pouco. O total de filiados também recua a um nível inferior ao de outubro de 2020. Seguindo a tendência nacional, o PSOL tem recuo após forte aumento no semestre passado.

Top 5: MDB, DEM, PSDB, PT, PP. Sem mudança.

Única mudança no ranking: PTC ganha uma posição por perder menos que o Pros.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (+4,52%), PCB (1 militante, +3,70%) e Solidariedade (+0,24%), e negativo para PSOL (-10,45%), Novo (-7,95%) e Pros (-3,06%).

Confira o ranking dos partidos na Paraíba em outubro de 2021 > 2021 outubro PB

PE-PERNAMBUCO

Habitantes: 9.674.793 (Estimativa IBGE 07/2021) (+0,60% em um ano)

Eleitores: 6.608.228 (+0,48% no semestre)

Eleitores filiados: 622.521 (9,42 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSB

Partido do Prefeito da Capital: PSB

Comentário do semestre: O PT registra quase 52 mil militantes a mais no semestre, e quase dobra de tamanho em um ano. Já líder da preferência, ele agora dispara, contando mais de dobro de aderentes do segundo colocado. Os petistas pernambucanos também contribuem ao crescimento nacional do partido. Com estes números, o estado foge da tendência nacional e anota forte crescimento do total de filiados a qualquer partido.

Top 5: PT, PP, MDB, PDT, PSDB. Sem mudança.

PSOL perde 4 das 7 posições ganhas no semestre passado.

Proporcionalmente, destaques positivo para a PT (+81,78%) e Rede (+0,20%), e negativo para UP (-19,05%), PSOL (-18,06%) e Novo (-14,10%).

Confira o ranking dos partidos em Pernambuco em outubro de 2021 > 2021 outubro PE

PI – PIAUÍ

Habitantes: 3.289.290 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,24% em um ano)

Eleitores: 2.462.130 (+0,36% no semestre)

Eleitores filiados: 304.515 (12,37 % do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: MDB

Comentário do semestre: Se não fossem os 19 militantes a mais na Unidade Popular (UP), o comentário seria unânime: ruim para todos os partidos. E pelo segundo semestre consecutivo o total de filiados a qualquer um deles está em baixa. Pelo menos as quedas não são importantes, a única de dois dígitos é a do Novo.

Top 5: MDB, PT, PP, PTB, PSDB. Sem mudança.

No ranking, por perde menos que o PRTB, o Podemos sobe um degrau.

Proporcionalmente, destaque positivo somente para a UP (+45,24%) e negativo para Novo (-11,22%), PSTU (-5,96%) e PSOL (-3,08%).

Confira o ranking dos partidos no Piauí em outubro de 2021 > 2021 outubro PI

PR – PARANÁ

Habitantes: 11.597.484 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,70% em um ano)

Eleitores: 8.051.967 (+0,46% no semestre)

Eleitores filiados: 965.957 (12,00 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSD

Partido do Prefeito da Capital: DEM

Comentário do semestre: Há um ano o total de filiados ultrapassava 1 milhão. Desde então, só despenca. E o resultado do semestre comprova a queda generalizada: é preciso descer até a 20ª posição para encontrar o primeiro partido em terreno positivo. O PT devolve ao PSDB a terceira colocação ganha em abril.  

Top 5: MDB, PP, PSDB (+1), PT (-1), PDT.

No ranking PSDB ganha um lugar.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (1 militante a mais, +50,00%), Rede (+4,00%) e PMB (+3,21%), e negativo para Novo (-17,20%), PSOL (-15,4 %) e PSTU (-3,47%)

Confira o ranking dos partidos no Paraná em outubro de 2021 > 2021 outubro PR

RJ – RIO DE JANEIRO

Habitantes: 17.463.349 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,55% em um ano)

Eleitores: 12.466.013 (+0,39% no semestre)

Eleitores filiados: 1.032.865 (8,29% do eleitorado)

Partido do Governador: PL

Partido do Prefeito da Capital: PSD

Comentário do semestre: Com somente 5 partidos com saldo positivo, o Rio de Janeiro segue a tendência nacional, com perda total moderada e queda do PSOL e do Novo. O número total de filiados em baixa consolida o estado com o segundo menor interessado na vida partidária, após Alagoas.

Top 5: PDT, MDB, PT, PSDB, PP. Sem mudança.

No ranking, o PSOL devolve 3 das 4 posições ganhas em abril.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP pelo segundo semestre consecutivo (+6,84%), PSB (+0,89%) e PSD (+0,08%), e negativo para Novo (-19,11%), PSOL (-7,47%) e PCB (-2,75%).

Confira o ranking dos partidos no Rio de Janeiro em outubro de 2021 > 2021 outubro RJ

RN – RIO GRANDE DO NORTE

Habitantes: 3.560.903 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,76% em um ano)

Eleitores: 2.450.385 (+0,30% no semestre)

Eleitores filiados: 265.599 (10,84 % do eleitorado)

Partido da Governadora: PT

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

Comentário do semestre: PT crescendo (acompanhado do PTB no Top 10), PSOL de ressaca, Novo seguindo sua trajetória negativa, total de filiados em baixa moderada… A fotografia do eleitorado potiguar não destoa do panorama nacional.

Top 5: MDB, DEM, PSDB, PP, PL. Sem mudança

PSOL perde as duas posição no ranking ganhas em abril.

Proporcionalmente, destaques positivo para PROS (+3,92%), PT (+3,89%), e PTB (+0,05%), e negativo para UP (-29,51%), Rede (-18,30%) e Novo (-14,15%).

Confira o ranking dos partidos no Rio Grande do Norte em outubro de 2021 > 2021 outubro RN

RO – RONDÔNIA

Habitantes: 1.815.278 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,05% em um ano)

Eleitores: 1.165.420 (+0,57% no semestre)

Eleitores filiados: 163.739 (14,10 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSL

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

Comentário do semestre: Rondônia não segue o padrão nacional, a não ser na queda do número total de filiados. Mas o Top 10 não é homogêneo, com crescimentos e baixas. O PT perde o pódio de vista, enquanto o MDB se reforça na líder. Até o PSL está no campo positivo, mesmo que simbolicamente com 3 militantes a mais. 

Top 5: MDB, PSDB, PP, PT, PTB. Sem mudança.

PTC e PRTB ganham uma posição cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para PMB (+24,00%), PTC (+0,64%) e PSL (+0,45%), e negativo para Novo (-19,18%), PSOL (-7,64%) e PT (-5,53%).

Confira o ranking dos partidos em Rondônia em outubro de 2021 > 2021 outubro RO

RR – RORAIMA

Habitantes: 652.713 (estimativa IBGE 07/2021) (+3,41% em um ano)

Eleitores: 344.811 (+0,62% no semestre)

Eleitores filiados: 59.092 (17,14 % do eleitorado)

Partido do Governador: PP

Partido da Prefeita da Capital: MDB

Comentário do semestre: Único estado onde a preferência do eleitorado filiado vai ai Patriota, Roraima, como quase todos os outros, constata uma baixa no número total de militantes, mais moderada que a média nacional. A filiação do Governador ao PP por enquanto não rendeu mais carteirinhas ao Progressistas. A queda é mais severa na segunda parte do ranking.

Top 5: Patriota, PP, PSDB, PDT, PTB. Sem mudança.

Sem modificação no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para PROS (+4,64%), Republicanos (+4,29%) e PV (+0,82%), e negativo para Novo (-12,33%), PCB (2 filiados, -8,70 %) e PSOL (-7,99%).

Confira o ranking dos partidos em Roraima em outubro de 2021 > 2021 outubro RR

RS – RIO GRANDE DO SUL

Habitantes: 11.466.630 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,38% em um ano)

Eleitores: 8.385.336 (+0,16% no semestre)

Eleitores filiados: 1.322.329 (15,77 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: MDB

Comentário do semestre: Basta escrever que somente PSB estaria em verde no semestre se a causa operária não tivesse atraído um militante. As maiores quedas estão na segunda parte da tabela, em particular com o Novo, que tinha em terra gaúcha chegado às portas do Top 20.

Top 5: MDB, PDT, PP, PT, PTB. Sem mudança

PTC ganha 2 lugares no ranking, Patriotas uma, por cair menos que os à frente deles.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCO (1 filiado, +0,68%) e PSB (+0,15%), e negativo para PMB (-24,36%), UP (-22,22%) e Novo (-20,07%).

Confira o ranking dos partidos no Rio Grande do Sul em outubro de 2021 > 2021 outubro RS

SC – SANTA CATARINA

Habitantes: 7.338.473 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,19% em um ano)

Eleitores: 5.127.961 (-0,56% no semestre)

Eleitores filiados: 863.232 (16,83 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSL

Partido do Prefeito da Capital: DEM

Comentário do semestre: A situação do todos os partidos no semestre catarinense é simples de resumir: todos no vermelho, exceto o PMB. Apesar do mau resultado coletivo, a queda ainda resta moderada, em 1%. É na segunda parte do ranking que os tombos são maiores. O PSOL tem recuo após o bom resultado de abril, mais ainda ganha uma posição por cair menos que o Novo.

Top 5: MDB, PP, PSDB, DEM, PT. Sem mudança

No ranking, o PSOL ganha a posição do Novo, mas ambos em forte queda.

Proporcionalmente, destaques positivo somente para o PMB (+40,20%), e negativo para UP (-33,70%), Novo (-21,13%) e PSOL (-16,20%).

Confira o ranking dos partidos em Santa Catarina em outubro de 2021 > 2021 outubro SC

SE – SERGIPE

Habitantes: 2.338.474 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,85% em um ano)

Eleitores: 1.612.796 (+0,36% no semestre)

Eleitores filiados: 172.707 (10,71 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSD

Partido do Prefeito da Capital: PDT

Comentário do semestre: Semestre de “ressaca” para os dois partidos que conseguiram em abril seus melhores resultados nacionais: Republicanos e PSOL, esse perdendo até uma posição. No top 15, todo mundo é tirado para baixo, com exceção do líder PT, com crescimento modesto mas positivo.

Top 5: PT, MDB, DEM, PP, PDT. (Sem mudança)

PTC e PCB ganham uma posição no ranking, por cair menos que PSOL e Rede

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (+1.650,00%), PMB (+1,23%) e DC (+1,02%), e negativo para PSOL (-30,78%), Novo (-14,09%) e Republicanos (-7,89%).

Confira o ranking dos partidos em Sergipe em outubro de 2021 > 2021 outubro SE

SP – SÃO PAULO

Habitantes: 46.649.132 (estimativa IBGE 07/2021) (+0,78% em um ano)

Eleitores: 31.871.934 (+0,67% no semestre)

Eleitores filiados: 3.008.808 (9,44 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: MDB

Comentário do semestre: Em São Paulo, 1º colégio eleitoral e 1º em numéro de filiados, qualquer modificação impacta a esfera nacional. Por isso, sem surpresa, o balanço do semestre é negativo para quase todos, somente 3 agremiações registram avanços positivos: Avante, PTC e UP. Partido do Governador atual e de outros no passado, somente agora o PSDB sobe no pódio, fazendo o PTB descer.

Top 5: MDB, PT, PSDB (+1), PTB (-1) PP.

Alguns partidos ganham uma posição no ranking, por cairem menos que quem estava à frente deles.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP pelo segundo semestre consecutivo (+374,42%), PTC (+16,52%) e Avante (+8,74%), e negativo para Novo (-18,12%), PSOL (-18,00%) e PMB (-6,81%).

Confira o ranking dos partidos em São Paulo em outubro de 2021 > 2021 outubro SP

TO – TOCANTINS

Habitantes: 1.607.363 (estimativa IBGE 07/2021) (+1,08% em um ano)

Eleitores: 1.037.077 (+0,28% no semestre)

Eleitores filiados: 203.920 (19,66% do eleitorado)

Partido do Governador: sem partido

Partido da Prefeita da Capital: PSDB

Comentário do semestre: Apesar de mostrar a maior queda do Brasil (-2,38%), Tocantins continua o estado proporcionalmente com mais militantes. No ranking, o PT que tinha conhecido um salto de mais de 70% em abril vive um ajuste para baixo, perdendo 2 das 3 posições ganhas. Somente 3 partidos estão no verde.

Top 5: MDB, PP (+1), DEM (+1), PT (-2), PSDB.

PT perde duas posições, Pros e Rede uma.

Proporcionalmente, destaques positivo para PSL (+0,93%), PSB (+0,48%) e PL (+0,24%), e negativo para PT (-18,17%), Novo (-10,77%) e PSTU (1 militante, -9,09%).

Confira o ranking dos partidos no Tocantins em outubro de 2021 > 2021 outubro TO

ZZ – BRASILEIROS NO EXTERIOR

Habitantes: segundo o TSE, dos quase 3 milhões de brasileiros que moram fora do país, estima-se que pelo menos 1,5 milhão poderiam participar do pleito.

Eleitores: 553.446 registrados (+5,12% no semestre)

Eleitores filiados: 9.139 (1,65 % do eleitorado)

Partido do Presidente da República: PL

Comentário do semestre: O número de eleitores, na prática de brasileiros registrados nos consulados, aumenta de novo, o de filiados também mas numa menor proporção. As diferenças no trio da frente (MDB, PT, PSDB) continuam pequenas. PSL e Novo são os dois únicos no vermelho.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PP, PTB. Sem mudança

PSOL é o único a ganhar uma posição no ranking.

Destaque proporcional positivo para Pros, PCO e Rede, cada um com 1 militante a mais (+12,50%). Do lado negativo, PSL (-5,71%) e Novo (-3,20%).

Confira o ranking dos partidos para os brasileiros no exterior em outubro de 2021 > 2021 outubro ZZ

TABELA RECAPITULATIVA BRASIL outubro 2021 > 2021 outubro Recapitulatif

Propaganda do GDF no 3º trimestre 2021: R$ 31 milhões

WhatsApp-Image-2019-07-12-at-20.04.10-1024x1024

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) n° 189, de 06/10/2021, informa que os gastos do Governo com publicidade no terceiro trimestre de 2021 foram de R$ 30.858.689,50.

Cópia do DODF > DODF 189 06-10-2021 INTEGRA-páginas-68-74

Confira a série histórica por trimestre desde 2015 > GASTOS EM PROPAGANDA GDF Tableau

Para o terceiro trimestre de 2021, o montante foi distribuído da forma seguinte (confira o gráfico por tipo de mídia e produção) > DODF 2021 3o tri midia tipo

Veiculação na Internet: R$ 7.871.813,79 (confira os montantes por endereço > DODF 2021 3o tri internet

Veiculação em TV: R$ 6.977.012,50 (confira os montantes por emissora > DODF 2021 3o tri TV

Produção: R$ 5.031.512,31 (confira os montantes por empresa > DODF 2021 3o tri produção

Veiculação em Jornal: R$ 3.838.234,12 (confira os montantes por jornal > DODF 2021 3o tri jornal

Veiculação em suportes alternativos (*): R$ 3.700.608,33 (confira os montantes por empresa > DODF 2021 3o tri alternativa

Veiculação em Radio: R$ 2.990.536,42 (confira os montantes por emissora > DODF 2021 3o tri radio

Publicidade legal (DOU + jornais de grande circulação): R$ 370.972,71 > DODF 2021 3o tri legal

Veiculação em Revista: R$ 77.998,92 (confira os montantes por veículo > DODF 2021 3o tri revista

(*) a veiculação em suporte alternativos – outdoors, paradas de ônibus, carros de som – não deve ser confundida com a veiculação em mídia alternativa, objeto da Emenda 74/2014 ao artigo 149 da Lei Orgânica, de autoria da Deputada Luzia de Paula, que destina “no mínimo, dez por cento do total das despesas com publicidade do Poder Legislativo e dos órgãos ou entidades da administração direta e indireta do Poder Executivo para contratação de veículos alternativos de comunicação comunitária impressa, falada, televisada e on-line sediados no Distrito Federal.”

No primeiro trimestre de 2021, o GDF elencou nesta categoria de “veiculação em mídia alternativa” gastos num total de R$ 4.054.410,67 (que correspondem a 13,14 % da despesa total). Confira a lista e os montantes da mídia alternativa > DODF 2021 3o tri v alter

(NB: as despesas da “veiculação alternativa” estão também incluídas nas respectivas categorias – internet e jornal – nas listas precedentes)