Novas regras para as “sobras” nas eleições proporcionais

A “colher de chá” que foi dada aos partidos que não atingem o quociente eleitoral (QE) nas eleições proporcionais (vereadores, deputados federais, estaduais e distritais) a partir da eleição de 2018 vai ficar menor e mais amarga em 2022.

Numa lei publicada em edição extra do DOU no dia 1º de outubro (ou seja dentro de prazo para valer nas eleições gerais de 2 de outubro de 2022), as regras de distribuição das “sobras” ficaram mais rígidas. As experiências de 2018 (eleição nacional) e de 2020 (eleição municipal) mostraram uma ampliação das distorções entre eleitos e não-eleitos, chegando alguns desses a ter o triplo ou o quadruplo dos votos dos primeiros em suas legendas.

Ademais, o número de partidos representados nas câmaras municipais, assembleias legislativas e na CLDF aumentaram, o que parece ir na contramão da vontade do legislador expressa na implantação das cláusulas de barreira, que não tiveram efeito prático até agora.

A principal novidade da nova lei está relacionada à distribuição das chamadas sobras. Nas eleições proporcionais, o primeiro número a definir e o quociente eleitoral (QE). Chama-se quociente (e não coeficiente) porque é o resultado de uma divisão: a do número de votos válidos divididos pelo número de vagas. No DF, são 8 parlamentares federais e 24 distritais. O QE para distrital representa cerca de 1/3 do QE para Federal (na prática, ele é um pouco maior porque há tradicionalmente mais votos válidos para distrital que para federal).

Definido o QE, é preciso buscar outro quociente, outra divisão: os votos de cada partido (as coligações não são mais permitidas para eleição proporcional) são somados (nominais + votos de legenda), e depois divididos pelo QE. O resultado é o quociente partidário (QP), que indica o número de eleitos pelo partido. E os eleitos são os que tiveram a maior votação nominal no partido.

O quociente partidário é necessariamente um numero inteiro. Não há como ter, por exemplo, 1,4 eleito. Assim, as frações são desprezadas, e o partido do exemplo terá num primeiro momento 1 só eleito. E obviamente a soma dos eleitos nunca atinge o número de cadeiras, justamente por terem sido descartadas as frações. Elas integram então as tais “sobras”, que são utilizadas para definir com quem ficam as vagas também “sobrando”. Por isso há dois “tipos” de eleitos na documentação oficial: os eleitos pelo QP, e os “pela média” (mais chique que “sobra”).

Voltando às novidades da lei. Até 2014, somente podiam participar à distribuição das sobras os partidos ou coligações que tinham atingido pelo menos 1 no QP. Favorecia os grandes partidos, e o quociente eleitoral era a temida linha de corte: abaixo dele, nem suplente era.

Nas eleições gerais de 2018, esta barreira foi suprimida: as vagas sobrando eram distribuídas as agremiações que tinham as maiores médias, sem olhar se já contavam ou não com um eleito. Assim, partidos que tinha ficado abaixo do QE podiam disputar e levar vagas.

Em 2022, a “benevolência” com os partidos menores fica mais condicionada: não precisa atingir exatamente o QE, mas pelo menos 80% dele para sentar à mesa da distribuição. E mais: para ser eleito, o mais votado do partido também terá que atingir 20% do QE, uma barreira não tão fácil como veremos no exemplo do DF em 2018. Por sinal, o entendimento deste blog é que há uma “discriminação” com os partidos pequenos: enquanto quem estiver num partido que atingiu o QP, o piso para se eleger é de 10% do QE, o mais votado numa agremiação menor terá que ter o dobro de votos.

Exemplos com o DF em 2018

Como um exemplo é sempre mais fácil de entender em qualquer alteração dos cálculos eleitorais, tomaremos o exemplo da última eleição no DF, a de 2018. Para definir os 24 deputados distritais, tivemos 1.513.773 votos válidos. Assim, o QE ficou em 63.074. A tabela a seguir mostra como foi a definição: 11 partidos ou coligação atingiram o QE, obtendo um QP de 1 + fração. O PSB, mais votado, ficou próximo de 2, sem alcançá-lo (1,96). Então, os 11 eleitos foram os mais votados desses onze partidos ou coligações (em verde na tabela, com a letra E maiúscula).

Sobraram então 13 vagas. Que foram distribuídas calculando as maiores médias (divisão do número de votos pelo número de eleito+1) de todos os partidos (incluído os em azul, que não tinha atingido o QE) até chegar a 24. Estas vagas aparecem com a letra S maiúscula, seguida da ordem da sobra).

Confira a ordem dos eleitos para distrital em 2018 >

Se as regras de 2022 tivessem sido aplicadas, o resultado seria diferente. Os 11 eleitos seriam os mesmos. Mas na distribuição de sobras, a mesa seria mais vazia: Por não terem atingido 80% do QE (50.459), PCB/PSOL e PHS não seriam convidados. Fábio Felix (PSOL) e Hermeto (PHS) não teriam sido nem suplentes. Dos cinco partidos/coligações aptos a disputar as sobras, em três deles o nome mais votado não alcançou 20% do QE (12.615 votos). Então Júlia Lucy (Novo), Leandro Grass (Rede) e Daniel Donizet (PRP) não poderiam ter sido eleitos. No lugar deles teriam entrado Telma Rufino (Pros), Anderson Medina (PP), Dr Gutemberg (PR), Sgt Bonina – Véi da 12 (PMN) e Luzia de Paula (PSB) >

Outro cálculo precisa ser feito: com o fim das coligações (que ainda eram permitidas em 2018), cada partido precisará cumprir as regras de QE e de 80% do QE sozinho. Continuamos com o exemplo de 2018, por pura ficção já que os nominatas dos partidos em 2022 certamente serão montadas de forma diferente com as novas regras. Somente 9 partidos (em verde) atingiram o QE pleno, e 6 (em azul) pelo menos 80% para disputar as sobras. Novo e PRP continuam impossibilitados de eleger seu nome mais votado, por este não ter alcançado 20% do QE.

Assim, em relação à hipótese precedente, não teriam sido eleitos Robério Negreiros (PSD), Jorge Vianna (Podemos) e Sgt Bonina – Véi da 12 (PMN) porque seus partidos não atingiram nem os 80% do QE. Para substituí-los, teriam sido eleitos Wellington Luiz (PMDB), Pastor Daniel de Castro (PSC) e Ziller (PSB) >

DF Federal 2018, uma situação embaraçosa

Certamente o panorama da eleição 2022 para a Câmara dos Deputados será inédito. Sem coligações, muitos partidos ameaçados pela cláusula de barreira (2% dos votos no Brasil ou pelo menos 11 eleitos em 9 estados), tradicional disputa pelo fundo partidário, a batalha tem novo componente, para distribuição do dinheiro (e não dos eleitos): candidatas e candidates autodeclarados negros terão coeficiente 2 no cálculo dos votos para os fundos (partidário e eleitoral da próxima eleição).

Com as novas variantes, a estratégia dos partidos deve mudar. Contrariamente aos outros anos, quando as agremiações focavam em dois ou três candidatos somente, desta vez as nominatas podem flertar com o máximo (número de vagas+1). Isto observando a regra dos 70/30. No caso do DF, cada partido pode apresentar até 9 candidates, sendo 6 de um gênero e 3 do outro.

Mas este post está concentrado nas regras de distribuição das sobras, então vamos ao exemplo de 2018. Só o PT se apresentou nas urnas sem coligação, os outros principais partidos acharam parceiros. Com um QE em 179.984, somente três dessas atingiram o número mágico, com QP superior a 1 (mas inferior a 2). Sobraram cinco vagas. Com todo mundo na mesa de distribuição, três outras coligações emplacaram seus mais votados, e as maiores médias ainda deram segundos eleitos para PR/DEM/PSDB e PRB/PODE/PSC/PPS/PSD/SD. Nota-se que, contrariamente ao que pode parecer ao avistar simplesmente o número de votos nominais, Celina Leão (PP, 31.610 votos) foi a 5ª eleita, Paula Belmonte (PPS, 46.069 votos) a 8ª.

Sem modificar as coligações e aplicando somente as novas regras, a bancada federal teria três modificações que dizem respeito a parlamentares importantes na atual legislatura: Érika Kokay (PT) e Bia Kicis (PRP) não teriam sido eleitos, apesar de terem ficado em 2º e 3º na preferência nominal do eleitorado!

Os três primeiros eleitos teriam sido os mesmos, mas na hora de convidar à mesa da distribuição das sobras, PT e PRTB/PRP teriam sido barrados, por não terem atingido 80% do QE (143.987). Vencida esta barreira, a coligação PP/MDB/PSL/Avante não teria passado a última porta de entrada: o nome mais votado, Celina Leão, não atingiu 20% do QE (35.996), e nem suplente seria.

Assim, somente as três coligações que atingiram o QE e já tinham eleito um parlamentar podem se disputar as cinco vagas. Com um detalhe amargo para a Celina: estes candidatos só precisam atingir 10% do QE (17.998). Assim, Laerte Bessa (PR, 28.526 votos) e Maria Abadia (PSB, 24.575 votos) estariam na Câmara dos Deputados. O Professor Pacco (Podemos), 8º mais votado, seria o último a entrar.

Como para a CLDF, é preciso realizar o cálculo na situação muito hipotética de usar a votação de 2018 para determinar como teria sido o resultado sem as coligações. Obviamente, as estratégias dos partidos teriam sido outras. Mas o exemplo serve para dirimir uma dúvida “extrema”. E se nenhum partido atingir o QE? Assim teria sido em 2018 para Federal no DF sem coligações. A dúvida poderia surgir sobre a distribuição de sobras, os 80%, os 20%, os 10%… Mas neste caso, é preciso observar o artigo 111 do Código Eleitoral >

Assim, os eleitos em 2018 teriam sido os oito mais votados, independentemente de partido ou coligação >

Para prosseguir no assunto, bem como vários outros relacionados à legislação, indicamos esta live realizada em 11/10/2021 pelo Odir “Pasarinho” Ribeiro com o cientista político Matheus Leone > https://www.youtube.com/watch?v=KigTvSsEX0M

Categorias:Uncategorized

Servidores GDF, junho 2021: de novo em queda, forte baixa na saúde

O Diário Oficial do DF de 12 de agosto de 2021 publica o quadro da força de trabalho ativa do Governo de Distrito Federal (GDF) em 30/06/2021.

Cópia do DODF > DODF 152 12-08-2021 INTEGRA-páginas-5-9

Junho de 2021

O total de servidores próprios ativos em 30 de junho de 2021 é de 120.404. A Secretaria de Saúde é o maior “empregador” do serviço público Distrital, com 33.626 servidores, seguida da Secretaria de Educação com 32.733 e da Polícia Militar com 10.426.

O total de cargos em comissão (concursados + livre provimento) é de 15.472. Em números absolutos, é SE Saúde que possui mais funções gratificadas (1.895), seguida da Polícia Civil (1.222) e da SE Economia (1.105).

O número de cargos comissionados ocupados por servidores sem vínculos com o GDF é de 7.779, que corresponde a 6,46 % do total de servidores. Em termos de cargos e funções comissionadas, os sem vínculo representam 50,28% do total, o que parece em desacordo com o artigo 2º da Lei nº 4.858 de 2012, estipulando que “pelo menos 50% do total de cargos em comissão, incluídos os cargos de natureza especial, da administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo, devem ser exercidos por servidores ocupantes de cargo de provimento efetivo”.

A SE Justiça e Cidadania é a unidade com maior número absoluto de comissionados de livre provimento (sem concurso) com 409, seguida da PMDF (371) e da SE Saúde (349).

Em termos percentuais, duas unidades só tem pessoas indicadas (100%), a Secretaria de Desenvolvimento de Região Metropolitana com 22 e a CEB Gás com 3. Na próxima atualização, em setembro, só haverá a CEB Gás, a Secretaria do Entorno foi extinta no início de julho, é a Casa Civil que cuidará do assunto.

Fora esses dois, os órgãos campeões de sem vínculos são Administração Regional do Sola Nascente/Por do Sol (96,88%), a SE Extraordinária da Pessoa com Deficiência (94,25%) e a Junta Comercial (93,41%).

Confira os servidores do GDF em 30/06/2021 > Servidores jun 2021

Março/Junho 2021

São quase 2 mil servidores a menos em um só trimestre. Quase todos da Secretaria de Saúde, em razão dos contratos temporários emergenciais que foram assinados o ano passado por causa da pandemia de CoVid-19, além dos habituais pedidos de aposentadoria.

Também é bom lembrar que a tabela não tem como retratar a passagem de 20 para 40 horas semanais dos servidores da pasta, praticada já várias vezes desde o início da pandemia a pedido dos interessados e que resulta num aumento real da força de trabalho.

A incorporação de novos bombeiros deixa um saldo que seria positivo nas forças de segurança se o PMDF e a PCDF não estivessem de novo no vermelho.

No caso da CEB, aparecem outras empresas da holding, que não estavam nos balanços precedentes, após a tomada de controle da Neoenergia.

Em alta: O Corpo de Bombeiros Militar é o campeão de recrutamento no trimestre (282), seguido da SE Desenvolvimento Social (Sedes) (59) e do BRB (55).

No computo dos comissionados sem vínculo, é a SE Saúde que recebeu o maior número de indicados (47), seguida da SE Desenvolvimento Urbano (Seduh) (8) e do CBMDF (7) e da AR Sol Nascente/Por do Sol (7).

Em baixa: É a Secretaria de Saúde que perde o maior número de servidores no trimestre: -1.796. Nos meses seguintes (julho e agosto), o GDF fez várias nomeações de concursados na secretaria. A Secretaria de Educação fica em segundo com 297 a menos, e a PMDF perdeu 166 membros.

No ranking dos sem vínculo a menos, a Caesb tem o maior saldo negativo (-52) seguida da Emater (-18) e da Semob (-7)

Ligeira baixa na força de trabalho das Administrações Regionais, que tem um total de 2.152 (-19) no trimestre. Os sem vínculo ficam estáveis (1.476) e correspondem a 68,59 % da força de trabalho das ARs.

Confira a variação da força de trabalho do GDF entre março e junho de 2021 > Servidores mar – jun 2021

Históricos:

Confira a variação da força de trabalho total do GDF desde dezembro de 2014 > Força Ativa Rollemberg Ibaneis

Confira a variação dos cargos em comissão desde dezembro de 2014 > Cargos em comissão Rollemberg Ibaneis

Compare o número de servidores sem vínculo (indicados) nos governos Rollemberg e Ibaneis > Sem vínculo desde 2014

Propaganda do GDF no 2º trimestre 2021: R$ 32 milhões

22.7.-GDF-Presente.-Foto-GDF-Presente-1200x800

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) n° 125, de 06/07/2021, informa que os gastos do Governo com publicidade no segundo trimestre de 2021 foram de R$ 31.956.066,61.

Cópia do DODF > DODF 125 06-07-2021 INTEGRA-pages-48-52

Confira a série histórica por trimestre desde 2015 > GASTOS EM PROPAGANDA GDF Tableau

Para o segundo trimestre de 2021, o montante foi distribuído da forma seguinte (confira o gráfico por tipo de mídia e produção) > DODF 2021 2o tri midia pizza tipo

Veiculação em TV: R$ 17.204.406,62 (confira os montantes por emissora > DODF 2021 2o tri midia TV

Veiculação na Internet: R$ 5.130.720,06 (confira os montantes por endereço > DODF 2021 2o tri midia internet

Veiculação em Jornal: R$ 2.862.891,25 (confira os montantes por jornal > DODF 2021 2o tri midia jornal

Produção: R$ 2.535.689,60 (confira os montantes por empresa > DODF 2021 2o tri midia produção

Veiculação em Radio: R$ 1.864.042,36 (confira os montantes por emissora > DODF 2021 2o tri midia radio

Veiculação em suportes alternativos (*): R$ 1.785.920,48 (confira os montantes por empresa > DODF 2021 2o tri midia alternativa

Publicidade legal (DOU + jornais de grande circulação): R$ 535.635,63 > DODF 2021 2o tri midia legal

Veiculação em Revista: R$ 36.760,61 (confira os montantes por veículo > DODF 2021 2o tri midia revista

(*) a veiculação em suporte alternativos – outdoors, paradas de ônibus, carros de som – não deve ser confundida com a veiculação em mídia alternativa, objeto da Emenda 74/2014 ao artigo 149 da Lei Orgânica, de autoria da Deputada Luzia de Paula, que destina “no mínimo, dez por cento do total das despesas com publicidade do Poder Legislativo e dos órgãos ou entidades da administração direta e indireta do Poder Executivo para contratação de veículos alternativos de comunicação comunitária impressa, falada, televisada e on-line sediados no Distrito Federal.”

No primeiro trimestre de 2021, o GDF elencou nesta categoria de “veiculação em mídia alternativa” gastos num total de R$ 2.876.978,24 (que correspondem a 9,00 % da despesa total). Confira a lista e os montantes da mídia alternativa > DODF 2021 2o tri midia v alt

(NB: as despesas da “veiculação alternativa” estão também incluídas nas respectivas categorias – internet e jornal – nas listas precedentes)

 

 

Servidores GDF, março 2021: estabilidade

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de 18 de maio de 2021 publica o quadro da força de trabalho ativa do Governo de Distrito Federal (GDF) em 31/03/2021.

Cópia do DODF > Portaria-134

Março de 2021

O total de servidores próprios ativos em 31 de março de 2021 é de 122.365. A Secretaria de Saúde é o maior “empregador” do serviço público Distrital, com 35.422 servidores, seguida da Secretaria de Educação com 33.030 e da Polícia Militar com 10.592.

O total de cargos em comissão (concursados + livre provimento) é de 15.373. Em números absolutos, é SE Saúde que possui mais funções gratificadas (1.860), seguida da Polícia Civil (1.218) e da SE Economia (1.089).

O número de cargos comissionados ocupados por servidores sem vínculos com o GDF é de 7.756, que corresponde a 6,34 % do total de servidores. Em termos de cargos e funções comissionadas, os sem vínculo representam 50,45% do total, o que parece em desacordo com o artigo 2º da Lei nº 4.858 de 2012, estipulando que “pelo menos 50% do total de cargos em comissão, incluídos os cargos de natureza especial, da administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo, devem ser exercidos por servidores ocupantes de cargo de provimento efetivo”.

A SE Justiça e Cidadania é a unidade com maior número absoluto de comissionados de livre provimento (sem concurso) com 415, seguida da PMDF (365) e da SE Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) (326).

Em termos percentuais, fora as duas unidades que só tem pessoas indicadas (100%), a Secretaria de Desenvolvimento de Região Metropolitana com 22 e a CEB Gás com 3, os órgãos campeões de sem vínculos são SE Atendimento à Comunidade (Seac) (96,30%), Sejus (93,26%) e a SE Extraordinária da Pessoa com Deficiência (92,77%).

Confira os servidores do GDF em 31/03/2021 > Servidores mar 2021

Dezembro 2020/Março 2021

Os números indicam uma diminuição de 392 servidores de qualquer categoria no trimestre. Mas há duas notícia que interferem no balanço: a Neoenergia, empresa privada que assumiu o controle da CEB Distribuição, absorveu boa parte dos servidores, somente 89 deles foram versados na nova estatal, CEB Iluminação.

Por outro lado, houve um acréscimo substancial na força de trabalho da TCB, que mais que dobrou de tamanho na tabela, com servidores estatutários. Uma nota de rodapé indica que “estão contemplados os empregados públicos que estão sob gestão da SE Economia”, por força de um decreto de 2006.

No mais, apesar dos anúncios recorrentes de contratações na SE Saúde, o balanço do órgão continua negativo pelo segundo semestre consecutivo. Todavia, a tabela não tem como retratar a passagem de 20 para 40 horas semanais dos servidores da pasta, praticada já várias vezes desde o início da pandemia a pedido dos interessados e que resulta num aumento real da força de trabalho.

Em alta: A Polícia Civil é a campeã de recrutamento no trimestre (210), seguida do BRB (84) e da Sejus (60).

No computo dos comissionados sem vínculo, é a Policia Militar que recebeu o maior número de indicados (29), seguida da Casa Civil (11) e da SE Desenvolvimento Social (Sedes) (5).

Em baixa: É a Secretaria de Educação que ocupa mais uma vez o topo do ranking de perdas de servidores no trimestre, com 190 a menos. A Novacap de novo ocupa a segunda colocação, com 179 funcionários a menos. Em menos de um ano, o total de saídas na estatal é de 520. A tabela indica que SE Economia tem perdido 167 concursados, mas fica a dúvida em razão da incorporação na TCB de servidores que prestam serviço na SEEC.

No ranking dos sem vínculo, a SE Saúde aparece em primeiro (-47) seguida da Seduh (-8) e da SE Governo (-6)

Estabilidade na força de trabalho das Administrações Regionais, que chega a um total de 2.171 (+3 no trimestre. Os sem vínculo (1.476) correspondem a 67,99 % da força de trabalho das ARs.

Confira a variação da força de trabalho do GDF entre dezembro de 2020 e março de 2021 > Servidores dez 2020 – mar 2021

Históricos:

Confira a variação da força de trabalho total do GDF desde dezembro de 2014 > Força Ativa GDF março 2021

Confira a variação dos comissionados sem vínculo desde dezembro de 2014 > Sem vínculo Rollemberg Ibaneis

Compare a força ativa nos governos Rollemberg e Ibaneis > Total Força Ativa GDF Rollemberg Ibaneis

Compare o número de servidores sem vínculo (indicados) nos governos Rollemberg e Ibaneis > Sem vínculo Rollemberg Ibaneis

Filiados partidos BR abril 2021: PSL naufraga, PSOL emerge

O Brasil conta com 33 partidos políticos cadastrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Duas vezes ao ano, em abril e outubro, as agremiações devem atualizar suas relações de filiações, que são transmitidas e verificadas pelo TSE.

Este post, continuando a série começada em outubro de 2013, relata os números do cadastro atualizado em abril de 2021.

Brasil: 

O semestre é de queda para os dois indicadores gerais: o de eleitores, e o de filiados a um dos  150.519.635 eleitores brasileiros (+ 2,70% em relação a abril de 2020), um total de 16.453.092 está filiado a um dos 33 partidos políticos em funcionamento no Brasil em abril de 2021. Segundo a tabela publicada no site do TSE, são contabilizados 145.955.230 eleitores. O que representa uma queda de quase 2 milhões desde a eleição de 2020! O número total de filiados segue a mesma tendência: 16.200.892, baixa de 1,53%. Mas este último resultado tem uma explicação: o náufrago do PSL.

A saída do partido do presidente da República Jair Bolsonaro não tinha provocado até então onda de desfiliação. Desta vez, é um tsunami: quase 360 mil eleitores rasgaram a carteirinha (-82,34%), e o PSL fica perto de poder ser chamado de “nanico”. Os piores resultados foram registrados no Rio de Janeiro (-88,95%), no Amapá (- 95,04%) e no Distrito Federal, onde 96,25% dos filiados desertaram a agremiação. Na capital do Brasil, somente 218 eleitores ficaram no partido, que contava mais de 5,8 mil. A militância é a metade do PSTU ou do PCB.

Já o PSOL seguiu o caminho do desenho que ilustra sua sigla: foi em direção ao sol: +60,45% na Bahia, +91,87% em Alagoas e o recorde de +157,28% no Sergipe! No total, são 76 mil psolistas a mais no Brasil, um crescimento de 41,33% e uma entrada no Top 20 do ranking. Em São Paulo, onde Guilherme Boulos alcançou o segundo turno da eleição municipal, o crescimento é de 56,52%.

Dos partidos do Top 10, somente dois estão no verde: o PT ganha quase 38 mil aderentes, 9 mil deles no Tocantins (+71,39%), 3,7 mil no Amazonas (+18,03%), onde se torna o partido número 1, e 1,4 mil no Amapá (+22,01%), onde sobe no pódio. Já o Republicanos progride de 25,4 mil filiados, com destaque no Sergipe (+48,26%), em São Paulo (+15,97%) e no Rio Grande do Sul (+10,62%).

LISTA DOS PARTIDOS, NÚMERO DE FILIADOS NO BRASIL > 2021 abril filiados BR total

Estado por Estado 

AC – ACRE

Habitantes: 894.470 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 549.914 (-2,02 %)

Eleitores filiados: 78.236 (14,23 % do eleitorado)

Partido do Governador: PP

Partido do Prefeito da Capital: PP

Comentário do semestre: A briga para a liderança da preferência continua apertada: o PT lidera por 35 militantes a mais que o MDB. Ambos estão no campo negativo, é preciso descer um pouco para encontrar agremiações com saldo positivo. O PSOL entra no Top 10.

Top 5: PT, MDB, PCdoB, PP, PSDB. Sem mudança.

No ranking o PSOL ganha cinco posições, e o PSL perde 10 lugares.

Proporcionalmente, destaque positivo para PSOL (36,72%), PDT (+15,21%) e PSB (+3,86%). No campo negativo: PSL (-69,91%), Novo (-12,90%) e PCO (-5,41%).

Confira o ranking dos partidos no Acre em abril de 2021 > 2021 abril AC

AL – ALAGOAS

Habitantes: 3.351.543 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.217.919 (-0,06 %)

Eleitores filiados: 184.743 (8,33 % do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Partido do Prefeito da Capital: PSB

Comentário do semestre: O PSOL quase dobra de tamanho, e está na porta do Top 10. O PT também cresce, assim como os dois líderes do ranking, MDB e PP, permitindo ao total geral de não sofrer tanto dos 4 mil desfilados do PSL.

Top 5: MDB, PP, PSB, PSDB, PTB.

PSOL ganha 4 posições no ranking, enquanto o PSL perde 10 lugares.

Proporcionalmente, destaques positivo para PSOL (+91,87%), UP (+20,39 %) e Novo (+9,87 %), e negativo para PSL (-73,65 %), PCB (-2,70 %) e PCO (-1,32 %).

Confira o ranking dos partidos em Alagoas em abril de 2021 > 2021 abril AL

AM – AMAZONAS

Habitantes: 4.207.714 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.421.243 (-3,28 %)

Eleitores filiados: 2659.675 (10,72 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSC

Partido do Prefeito da Capital: Avante

Comentário do semestre: É o segundo melhor resultado do PT no Brasil (+18%, só perde para os 71% do Tocantins) e vem com prêmio: o partido se torna o primeiro na preferência dos filiados, desbancando o Republicanos. A maioria das agremiações experimentam aumento de militantes, o que reduz a queda do total geral, devida aos 8,2 mil PSListas a menos.

Top 5: PT (+1), Republicanos (-1), PCdoB, PSC, MDB.

PSD ganha duas posições no ranking, as outras subidas são devidos às 15 posições perdidas do PSL.

Proporcionalmente, destaque para o PSOL (+19,66 %), PT (+18,03 %) e PMN (+13,59 %). Destaque negativo para PSL (-85,47 %), PCO (-2,67 %) e Novo (-2,10 %).

Confira o ranking dos partidos no Amazonas em abril de 2021 > 2021 abril AM

AP-AMAPÁ

Habitantes: 861.773 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 516.910 (-0,04 %)

Eleitores filiados: 103.080 (19,94 % do eleitorado)

Partido do Governador: PDT

Partido do Prefeito da Capital: DEM

Comentário do semestre: O Amapá deixou de ser o estado onde havia a maior percentual de filiados a um partido político, ficando agora atrás do Tocantins. A culpa é da queda do total, que podia ser muito mais acentuada se não fossem os bons resultados do Solidariedade, que mais que dobra de tamanho, do PSOL e do PT, que aproveita seu melhor resultado de todos os estados para subir no pódio. Compensaram em parte os 7,4 mil PSListas a menos, o segundo pior resultado do partido de Luciano Bivar.

Top 5: PSOL, PDT, PT (+2), PSDB, DEM (+1). O PSL era 3º.

Várias agremiações ganham posição no ranking pela queda do PSL da 3ª a 28ª posição.

Proporcionalmente, os melhores resultados ficam com Solidariedade (+123,94 %), Novo (+22,73 %) e PT (22,01 %). Destaque negativo para PSL (-95,04 %), PRTB (-2,05 %) e PTC (-1,73 %).

Confira o ranking dos partidos no Amapá em abril de 2021 > 2021 abril AP

BA-BAHIA

Habitantes: 14.930.634 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 10.119.074 (-7,65 %)

Eleitores filiados: 976.675 (9,65 % do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: DEM

Comentário do semestre: Há muita variação de eleitorado na Bahia. A queda de 7,65 % deste semestre desmancha o aumento de 7,69% do período precedente. O PSOL obtém seu maior resultado nacional, com aumento de mais de 60% de seus filiados. O PT conforta sua liderança diante do Democratas e vê o MDB se distanciar para baixo.

Top 5: PT, DEM, MDB, PP, PSDB. Sem mudança.

PSOL e PSL estavam um atrás do outro em outubro de 2020. Agora PSOL é 13º (+4), PSL 26º (-10).

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (+89,66 %), PSOL (+60,45 %) e Rede (+5,72 %), e negativo para PSL (-80,42 %), Novo (-5,56 %) e MDB (-4,11 %).

Confira o ranking dos partidos na Bahia em abril de 2021 > 2021 abril BA

CE-CEARÁ

Habitantes: 9.187.103 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 6.213.059 (-5,40 %)

Eleitores filiados: 528.901 (8,51 % do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: PDT

Comentário do semestre: Forte baixa do eleitorado no Ceará, que continua como um dos estados com menos filiados proporcionalmente. Os partidos do campo da esquerda têm bons resultados, exceto o PT, líder incontestado. Como no resto do Brasil, o PSL literalmente se desfaz, perdendo 13,5 mil militantes.

Top 5: PT, PSDB, MDB, PDT (+1), PP (-1).

PDT e PCdoB sobem uma posição, o PSL perde 12.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (+77,78 %), PSOL (+30,12 %) e Pros (+14,06 %), e negativo para PSL (-81,42 %), Novo (-3,42 %) e PSTU (-1,51 %).

Confira o ranking dos partidos no Ceará em abril de 2021 > 2021 abril CE

DF: DISTRITO FEDERAL

Habitantes: 3.055.149 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.094.085 (+0,27 %)

Eleitores filiados: 213.303 (10,19 % do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Comentário do semestre: uma das somente quatro unidades da federação que tiveram aumento no número de eleitores no semestre, o Distrito Federal é também destaque para o PSL. Só que negativo, e muito. O antigo partido do maior hóspede do DF passou de 5,8 mil para meros 218 militantes, queda de 96%. O MDB do Governador sobe à vice-liderança, tanto por seu próprio desempenho (+14,20 %) quanto pelo mau resultado do PSDB (-19,59 %), que ainda era o preferido há um ano e meia   

O Top 5: PT, MDB (+1), PSDB (-1), PP, DEM.

No ranking, PSOL ganha 5 posições, PSL perde 19.

Em termos percentuais, os três partidos que mais sobem no semestre são PSOL (+45,34 %), Pros (+43,35 %) e MDB (+14,20 %). As três maiores quedas são do PSL (-96,25 %), PSDB (-19,59 %) e Novo (-6,51 %).

Confira o ranking dos partidos no DF em abril de 2021 > 2021 abril DF

ES-ESPÍRITO SANTO

Habitantes: 4.064.052 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.810.132 (-1,21 %)

Eleitores filiados: 325.346 (11,72 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSB

Partido do Prefeito da Capital: Republicanos

Comentário do semestre: Semestre de movimentos não muito significativos que podia terminar com pequena percentual para baixo ou para cima… se não fosse o PSL perdendo mais de 8 mil filiados e desabando mais de 87%!

Top 5: MDB, PDT, PP, PSDB, PT. Sem mudança.

Republicanos ganha 2 posições, PSL perde 15.

Proporcionalmente, destaques positivo para o PSOL (+31,53 %), Republicanos (+5,14 %) e Patriota (+2,61 %), e negativo para PSL (-87,09 %), Novo (-15,03 %) e PSD (-2,49 %).

Confira o ranking dos partidos no Espírito Santo em abril de 2021 > 2021 abril ES

GO-GOIÁS

Habitantes: 7.113.540 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 4.615.957 (+0,21 %)

Eleitores filiados: 661.061 (14,32 % do eleitorado)

Partido do Governador: DEM

Partido do Prefeito da Capital: Republicanos

Comentário do semestre: teria sido mais um semestre de relativa tranquilidade para o conjunto dos partidos, com alterações moderadas, se não fosse a queda fenomenal do PSL (-80%, 15 mil militantes a menos). No Top 10, o Podemos ultrapassa por poucas carteirinhas o PSB.

Top 5: MDB, PSDB, PP, DEM, PT. Sem mudança.

No ranking, a UP ganha duas posições, enquanto o PSL desaba 15.

Proporcionalmente, destaque positivo para partidos na parte inferior da tabela como a UP (+1.285,71 %), PSOL (+24,85 %) e PRTB (+3,42 %). No campo negativo, PSL (-80,94 %), Rede (-20,63 %) e PCO (-6,45 %).

Confira o ranking dos partidos em Goiás em abril de 2021 > 2021 abril GO

MA-MARANHÃO

Habitantes: 7.114.598 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 4.526.473 (-4,88 %)

Eleitores filiados: 563.451 (12,45 % do eleitorado)

Partido do Governador: PCdoB

Partido do Prefeito da Capital: Podemos

Comentário do semestre: Queda expressiva do número de eleitores, que anula o aumento registrado no semestre anterior. Na tabela de filiados, equilíbrio só rompido, como em vários outros estados, pelo desabamento do PSL. Os 15 mil militantes a menos causam a queda geral, coincidentemente, de 15 mil filiados a qualquer partido. 

Top 5: MDB, PDT, PTB, DEM, PP. Sem mudança

As 11 posições perdidas no ranking pelo PSL provocam a subida automática de um lugar para vários partidos, só o PSOL ganha dois postos.

Proporcionalmente, destaques positivo para o PSOL (+15,96 %), Rede (+7,97 %), PSOL (+0,17 %) e Solidariedade (+2,18 %), e negativo para PSL (-81,41 %), PMN (-0,88 %) e PTB (-0,81 %).

Confira o ranking dos partidos no Maranhão em abril de 2021 > 2021 abril MA

MG – MINAS GERAIS

Habitantes: 21.292.666 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 15.686.153 (-1,53 %)

Eleitores filiados: 1.686.153 (10,78 % do eleitorado)

Partido do Governador: Novo

Partido do Prefeito da Capital: PSD

Comentário do semestre: Minas Gerais segue o padrão na média nacional e de vários estados: queda do eleitorado e do número total de filiados, sem grandes modificações para a imensa maioria dos partidos exceto a derrocada do PSL e a subida do PSOL.

Top 5: MDB, PT, PSDB, DEM, PTB. Sem mudança.

PSL perde 11 posições no ranking, permitindo a subida automática de um posto para 11 outras agremiações e a Rede.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP pelo segundo semestre consecutivo (+223,17 %), PSOL (+33,92 %) e Patriota (+3,61 %) e negativo para PSL (-76,44 %), Novo (-7,43 %) e PCO (-2,79 %).

Confira o ranking dos partidos em Minas Gerais em abril de 2021 > 2021 abril MG

MS – MATO GROSSO DO SUL

Habitantes: 2.809.394 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 1.840.143 (-4,77 %)

Eleitores filiados: 296.887 (16,13 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: PSD

Comentário do semestre: Estado com uma das maiores baixas de eleitores no semestre. O MDB amarga mau resultado, mas sua folga na liderança ainda é grande. Podemos já tem o Top 10 em linha de mira. PSL não foge ao resultado nacional e perde 4/5 de seus efetivos.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PDT, PTB. Sem mudança

Democratas e Podemos ganham uma posição no ranking por mérito próprio, os outros sobem automaticamente pela perda de 11 lugares do PSL

Proporcionalmente, destaques positivo para o PSOL (+43,52 %), Podemos (+9,96 %) e Patriota (+2,51 %), e negativo para PSL (-82,04 %), Novo (-11,87 %) e PMN (-2,06 %).

Confira o ranking dos partidos no Mato Grosso do Sul em abril de 2021 > 2021 abril MS

MT – MATO GROSSO

Habitantes: 3.526.220 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.219.438 (-4,21 %)

Eleitores filiados: 350.291 (15,78 % do eleitorado)

Partido do Governador: DEM

Partido do Prefeito da Capital: MDB

Comentário do semestre: faltaram poucos novos aderentes para o PT ultrapassar o PDT, mas já encostou. O Top 5 inteiro experimenta baixa de militantes, mas sem troca de posições. Como no cenário nacional, forte queda do PSL, já o PSOL fica aquém de sua média. 

Top 5: DEM, MDB, PSDB, PL, PPS. Sem mudança.

No ranking, a queda de 8 posições do PSL é aproveitada pelos outros partidos. PMB e Rede ganham mais uma posição por seus bons resultados próprios.

Proporcionalmente, destaques positivo para Patriota (+16,90 %), PMB (+15,11 %) e Podemos (+6,71 %), e negativo para PSL (-81,84 %), Novo (-16,69 %) e Avante (-1,63 %).

Confira o ranking dos partidos no Mato Grosso em abril de 2021 > 2021 abril MT

PA – PARÁ

Habitantes: 8.690.745 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 5.470.772 (-4,99 %)

Eleitores filiados: 600.451 (10,98 % do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Partido do Prefeito da Capital: PSOL

Comentário do semestre: Outro estado com baixa significativa de eleitores (-5%) mas com aumento dos filiados (só o Pará e o Tocantins tem crescimento total de militantes). O recém eleito prefeito de Belém vê sua torcida crescer de mais de 50%, e seu partido, o PSOL, entrar no Top 10. Há outras grandes variações positivas, contrabalançadas somente com a queda do PSL.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PRB, PL. Sem mudança.

No ranking Solidariedade ganha 4 posições e PSOL 3, enquanto o PSL perde 7.

Proporcionalmente, destaques positivo para a Rede (+77,16 %), PSOL (+52,75 %) e PCO (+23,53 %), e negativo para PSL (-84,17 %), Novo (-6,17 %) e DC (-1,04 %).

Confira o ranking dos partidos no Pará em abril de 2021 > 2021 abril PA

PB – PARAÍBA

Habitantes: 4.039.277 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.962.964 (-0,13 %)

Eleitores filiados: 332.271 (11,21 % do eleitorado)

Partido do Governador: Cidadania

Partido do Prefeito da Capital: PP

Comentário do semestre: A perda de 7,8 mil militantes e sua queda de 13 posições no ranking fazem do PSL o único partido em destaque no semestre, já que os outros números são marcados pela estabilidade. As variações são de menor intensidade, exceto os aumento do PSOL e da UP.

Top 5: MDB, DEM, PSDB, PT, PP. Sem mudança.

Ranking com queda de 13 posições do PSL, 13 partidos sobem um degrau.

Proporcionalmente, destaques positivo para PSOL (+23,71 %), UP (+22,05 %) e Pros (+6,13 %), e negativo para PSL (-73,96 %), Novo (-6,64 %) e PCO (-2,63 %).

Confira o ranking dos partidos na Paraíba em abril de 2021 > 2021 abril PB

PE-PERNAMBUCO

Habitantes: 9.616.621 (Estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 6.576.450 (-2,36 %)

Eleitores filiados: 580.395 (8,83 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSB

Partido do Prefeito da Capital: PSB

Comentário do semestre: Crescimento significativo no campo da esquerda, com PT disparando na liderança, UP, PSOL, Rede e PSB subindo no ranking. O PSL, que tinha entrado no Top 10 no semestre passado, perde 17 de seus 21 mil aderentes. 

Top 5: PT, PP, MDB, PDT, PSDB. Sem mudança.

PSOL ganha 7 posições, contrabalançando as 16 perdidas pelo PSL para os partidos afetados.

Proporcionalmente, destaques positivo para a UP (+100,41 %), PSOL (+52,57 %) e PT (+8,32 %), e negativo para PSL (-79,97 %), Novo (-8,33 %) e PCO (-2,78 %).

Confira o ranking dos partidos em Pernambuco em abril de 2021 > 2021 abril PE

PI – PIAUÍ

Habitantes: 3.281.480 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.453.332 (-0,11 %)

Eleitores filiados: 306.382 (12,49 % do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: MDB

Comentário do semestre: Um semestre calmo nos números tanto no eleitorado quanto no universo total dos filiados. Quer dizer, teria sido calmo sem os 3,5 mil militantes a menos do PSL, paradoxalmente um dos “menos piores” resultados do partido no Brasil. No rol dos partidos em crescimento, só um com variação a dois dígitos, o PSTU, com números reais não suficientes para reverter a queda geral.

Top 5: MDB, PT, PP, PTB, PSDB. Sem mudança.

No ranking, 9 partidos ganham uma posição automaticamente pela queda de 9 posições do PSL.

Proporcionalmente, destaque positivo para o PSTU (+13,53 %), UP (+5,00 %) e PSOL (+4,69 %), e negativo para PSL (-68,77 %), Novo (-6,96 %) e PCO (-3,70 %).

Confira o ranking dos partidos no Piauí em abril de 2021 > 2021 abril PI

PR – PARANÁ

Habitantes: 11.516.840 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 8.015.079 (-1,69 %)

Eleitores filiados: 976.252 (12,18 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSD

Partido do Prefeito da Capital: DEM

Comentário do semestre: O número total de filiados recai abaixo do milhão, só o PSL é responsável por quase 27 mil a menos. Os outros partidos têm um balanço global positivo, mas longe de debelar a queda da ex-agremiação do presidente da República. Do resultado positivo do PT cruzado com o negativo do PSDB decorre uma mudança no pódio.  

Top 5: MDB, PP, PT (+1), PSDB (-1), PDT.

No ranking Pros ganha 2 posições e PSL perde 14.

Proporcionalmente, destaques positivo para PSOL (+45,06 %), Republicanos (+6,27 %) e Pros (+4,84 %), e negativo para PSL (-78,75 %), PMB (-21,04 %) e PCO (-6,25 %)

Confira o ranking dos partidos no Paraná em abril de 2021 > 2021 abril PR

RJ – RIO DE JANEIRO

Habitantes: 17.366.189 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 12.417.839 (-0,30 %)

Eleitores filiados: 1.038.797 (8,36 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSC

Partido do Prefeito da Capital: DEM

Comentário do semestre: De novo o Rio de Janeiro conhece uma baixa do percentual de filiados a qualquer partido, e já está próximo de Alagoas, o estado onde há o menor índice do Brasil. O PSL carioca representa hoje pouco mais de 10% do que era há seis meses. E o Top 10 não ajuda já que todos os integrantes, com exceção do PT, estão em baixa.

Top 5: PDT, MDB, PT, PSDB, PP. Sem mudança.

No ranking são 17 posições a menos para o PSL e 4 a mais para o PSOL.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (+114,67 %), PSOL (+16,22 %) e PCB (+2,58 %), e negativo para PSL (-88,95 %), Novo (-6,69 %) e Rede (-5,30 %).

Confira o ranking dos partidos no Rio de Janeiro em abril de 2021 > 2021 abril RJ

RN – RIO GRANDE DO NORTE

Habitantes: 3.534.165 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.443.099 (-0,17 %)

Eleitores filiados: 267.299 (10,94 % do eleitorado)

Partido da Governadora: PT

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

Comentário do semestre: O PSDB do Prefeito de Natal é quem cresce mais no Top 10, o PT da Governadora ganha uma posição por cair menos que o PSB, PSOL e Rede em crescimento, os partidos de esquerda e de centro-esquerda estão no campo positivo. Já o PSL, que ainda estava longe do Top 10, desaba para a 28ª posição.

Top 5: MDB, DEM, PSDB, PP, PL. Sem mudança

PSOL ganha 2 posições no ranking, PSL perde 8.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (+771,43 %), Rede (+48,40 %), e PSOL (+23,99 %), e negativo para PSL (-85,38 %), Novo (-11,40 %) e PCO (-6,06%).

Confira o ranking dos partidos no Rio Grande do Norte em abril de 2021 > 2021 abril RN

RO – RONDÔNIA

Habitantes: 1.796.460 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 1.158.867 (-2,66 %)

Eleitores filiados: 165.485 (14,28 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSL

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

Comentário do semestre: o PT já tem o pódio em linha de mira com um crescimento de mais de 10% no semestre. Já a parte de baixo da tabela está no campo negativo. Incluindo agora o PSL que cai vertiginosamente, e leva o total dos filiados à queda, mas nem tanto quanto o de eleitores. 

Top 5: MDB, PSDB, PP, PT, PTB. Sem mudança.

Ranking indica queda de 13 posições do PSL, e avanço de dois degraus do Pros

Proporcionalmente, destaques positivo para PSOL (+18,37 %), PT (+10,15 %) e Republicanos (+7,47 %), e negativo para PSL (-86,91 %), PSTU (-7,38 %) e PMB (-3,85 %).

Confira o ranking dos partidos em Rondônia em abril de 2021 > 2021 abril RO

RR – RORAIMA

Habitantes: 631.181 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 342.691 (+0,0 %)

Eleitores filiados: 59.279 (17,30 % do eleitorado)

Partido do Governador: sem partido (ex-PSL)

Partido da Prefeita da Capital: MDB

Comentário do semestre: Um dos únicos três estados a registrar aumento do número de eleitores. Mas de queda dos filiados, sempre em razão do PSL, ex-partido do Governador, que já pode ser chamado de nanico no estado. O republicanos pula dois degraus para entrar no Top 10.

Top 5: Patriota, PP, PSDB, PDT, PTB. Sem mudança.

Republicanos e PSOL ganham duas posições, enquanto o PSL perde 15.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCB (+21,05 %), PSOL (+17,81 %) e Rede (+10,43 %), e negativo para PSL (-77,95 %), PSTU (-3,70 %) e Podemos (-1,16 %).

Confira o ranking dos partidos em Roraima em abril de 2021 > 2021 abril RR

RS – RIO GRANDE DO SUL

Habitantes: 11.422.973 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 8.371.942 (-0,61 %)

Eleitores filiados: 1.334.747 (15,94 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: MDB

Comentário do semestre: Moderação é a palavra para resumir os números no estado gaúcho: eleitores e filiados em baixa, mas moderada no geral. No detalhe, o estado não foge à regra da queda abrupta do PSL e do crescimento do PSOL. Na liderança, o MDB começa a ter uma vantagem interessante sobre o PDT, de quase 9 mil militantes.

Top 5: MDB, PDT, PP, PT, PTB. Sem mudança

Os 10 lugares perdidos pelo PSL no ranking favorecem os partidos do meio da tabela. UP ganha 2 posições.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (+119,13 %), PMB (+50,00 %) e PSOL (+29,64 %), e negativo para PSL (-83,31 %), Novo (-8,81 %) e PCO (-6,37 %).

Confira o ranking dos partidos no Rio Grande do Sul em abril de 2021 > 2021 abril RS

SC – SANTA CATARINA

Habitantes: 7.252.502 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 5.156.844 (-0,94 %)

Eleitores filiados: 872.553 (16,92 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSL

Partido do Prefeito da Capital: DEM

Comentário do semestre: A filiação do Governador ao PSL não impediu o partido de conhecer no estado a mesma trajetória catastrófica que nas outras unidades da federação: -82 %! E os 17,5 mil militantes a menos resultaram num total geral negativo, apesar de várias agremiações conhecer belos crescimentos, como no caso de PL, Podemos, PSOL, Avante, PRTB, Pros e UP. 

Top 5: MDB, PP, PSDB, DEM, PT. Sem mudança

PSL perde 9 posições mas se mantém no Top 20, PSOL sobre 3 degraus.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP pelo segundo semestre consecutivo (+4.500,00 %), PSOL (+47,06 %) e Pros (+32,09 %), e negativo para PSL (-82,53 %), PCO (-1,64 %) e PMN (-1,21 %).

Confira o ranking dos partidos em Santa Catarina em abril de 2021 > 2021 abril SC

SE – SERGIPE

Habitantes: 2.318.822 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 1.607.053 (-0,21 %)

Eleitores filiados: 174.901 (10,88 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSD

Partido do Prefeito da Capital: PDT

Comentário do semestre: Semestre agitado no painel dos filiados no Sergipe: é no estado que dois partidos registram seus melhores resultados nacionais: o PSOL mais que dobra de tamanho (+157%) e o Republicanos ganha 2,3 mil militantes a mais (+48%). No Top 10, só números negativos, exceto para o Cidadania. Sem surpresa, o PSL cai fortemente.

Top 5: PT, MDB, DEM, PP, PDT. (Sem mudança)

PSOL ganha 4 posições e Republicanos 3 no ranking, enquanto o PSL perde 11.

Proporcionalmente, destaques positivo para PSOL (+157,28 %), Republicanos (+48,26 %) e Rede (+8,84 %), e negativo para PSL (-79,61 %), Novo (-17,22 %) e PSTU (-1,60 %).

Confira o ranking dos partidos em Sergipe em abril de 2021 > 2021 abril SE

SP – SÃO PAULO

Habitantes: 46.289.333 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 31.660.369 (-5,67 %)

Eleitores filiados: 3.046.304 (9,62 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

Comentário do semestre: São Paulo perdeu 1,9 milhão de eleitores desde outubro de 2020, pelos números do TSE. A maior queda do Brasil, e mesmo o número de filiados tendo também baixado, o percentual de cidadãos militantes numa agremiação aumentou de 9,11 para 9,62%. Igual ao cenário nacional, o PSL derreteu, perdendo 74 mil carteirinhas. Já o PSOL subiu mais de 50%, mas ficando ainda longe do Top 10. O MDB continua na frente com vantagem confortável, mas esta passou de 88 a 66 mil filiados a mais que o PT, vice-líder, em seis meses.

Top 5: MDB, PT, PTB, PSDB, PP. Sem mudança.

PSOL ganha cinco posições no ranking, enquanto o PSL cai 14 degraus.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (+104,76 %), PSOL (+56,52 %) e Republicanos (+15,97 %), e negativo para PSL (-85,60 %), Novo (-6,83 %) e PCO (-3,75 %).

Confira o ranking dos partidos em São Paulo em abril de 2021 > 2021 abril SP

TO – TOCANTINS

Habitantes: 1.590.248 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 1.034.186 (-0,11 %)

Eleitores filiados: 208.899 (20,20 % do eleitorado)

Partido do Governador: DEM

Partido da Prefeita da Capital: PSDB

Comentário do semestre: Tocantins é o estado do Brasil onde a população mais se interessa por política. Ou mais exatamente, onde há o maior percentual de eleitores filiados a uma da agremiações disponíveis. E chega a tanto com um aumento substancial do PT, que pula para a segunda colocação com 9 mil militantes a mais, passando para 21 mil. O PSL tocantinense também conhece uma severa queda, com menos amplitude que a nacional.

Top 5: MDB, PT (+3), PP (-1), DEM (-1), PSDB (-1).

São 9 posições para baixo para o PSL e 3 para cima para o PT

Proporcionalmente, destaques positivo para PT (+71,39 %), PSTU (+22,22 %) e PSOL (+9,08 %), e negativo para PSL (-72,09 %), PCO (-33,33 %) e Novo (-3,14 %).

Confira o ranking dos partidos no Tocantins em abril de 2021 > 2021 abril TO

ZZ – BRASILEIROS NO EXTERIOR

Habitantes: segundo o TSE, dos quase 3 milhões de brasileiros que moram fora do país, estima-se que pelo menos 1,5 milhão poderiam participar do pleito.

Eleitores: 526.497 registrados (+3,23 %)

Eleitores filiados: 9.075 (1,72 % do eleitorado)

Partido do Presidente da República: sem partido (ex-PSL)

Comentário do semestre: O número de eleitores, na prática de brasileiros registrados nos consulados, aumenta. Já o de filiados não, “culpa” do PSL que segue a tendência nacional e perde 221 de seus militantes abroad para terminar só com 35.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PP, PTB. Sem mudança

PSL perde 13 posições no ranking, que se transformam em ganhos de um degrau para os partidos do intervalo.

Destaque proporcional positivo para Novo (+8,70 %), PSOL (+7,23 %) e PDT (+1,53 %). Do lado negativo, PSL (-86,33 %), PSB (-0,62 %) e MDB (-0,41 %).

Confira o ranking dos partidos para os brasileiros no exterior em abril de 2021 > 2021 abril ZZ

TABELA RECAPITULATIVA BRASIL abril 2021 > 2021 abril Recapitulatif

Propaganda do GDF no 1º trimestre 2021: R$ 15 milhões

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) n° 066, de 09/04/2021, informa que os gastos do Governo com publicidade no primeiro trimestre de 2021 foram de R$ 14.909.187,77.

Cópia do DODF > DODF 066 09-04-2021 INTEGRA-páginas-66-75

Confira a série histórica por trimestre desde 2015 > GASTOS EM PROPAGANDA GDF Tableau

Para o primeiro trimestre de 2021, o montante foi distribuído da forma seguinte (confira o gráfico por tipo de mídia e produção) > DODF 2021 1o tri midia pizza

Veiculação em TV: R$ 4.969.127,20 (confira os montantes por emissora > DODF 2021 1o tri midia TV

Veiculação em Jornal: R$ 2.595.380,74 (confira os montantes por jornal > DODF 2021 1o tri midia jornal

Veiculação na Internet: R$ 2.235.923,53 (confira os montantes por endereço > DODF 2021 1o tri midia internet

Produção: R$ 1.636.501,33 (confira os montantes por empresa > DODF 2021 1o tri midia produção

Veiculação em suportes alternativos (*): R$ 1.570.576,32 (confira os montantes por empresa > DODF 2021 1o tri midia produção

Veiculação em Radio: R$ 1.492.357,91 (confira os montantes por emissora > DODF 2021 1o tri midia radio

Veiculação em Revista: R$ 47.138,02 (confira os montantes por veículo > DODF 2021 1o tri midia revista

Publicidade legal (DOU + jornais de grande circulação): R$ 362.182,72 > DODF 2021 1o tri midia legal

(*) a veiculação em suporte alternativos – outdoors, paradas de ônibus, carros de som – não deve ser confundida com a veiculação em mídia alternativa, objeto da Emenda 74/2014 ao artigo 149 da Lei Orgânica, de autoria da Deputada Luzia de Paula, que destina “no mínimo, dez por cento do total das despesas com publicidade do Poder Legislativo e dos órgãos ou entidades da administração direta e indireta do Poder Executivo para contratação de veículos alternativos de comunicação comunitária impressa, falada, televisada e on-line sediados no Distrito Federal.”

No primeiro trimestre de 2021, o GDF elencou nesta categoria de “veiculação em mídia alternativa” gastos num total de R$ 1.849.629,53 (que correspondem a 12,41 % da despesa total). Confira a lista e os montantes da mídia alternativa > DODF 2021 1o tri midia v alt

(NB: as despesas da “veiculação alternativa” estão também incluídas nas respectivas categorias – internet e jornal – nas listas precedentes)

 

 

Servidores GDF, dezembro 2020: Sem vínculos continuam crescendo

7 de fevereiro de 2021 Deixe um comentário

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de 20 de janeiro de 2021 publica o quadro da força de trabalho ativa do Governo de Distrito Federal (GDF) em 31/12/2020.

Cópia do DODF > DODF 20_01_2021 Força GDF

Dezembro de 2020

O total de servidores próprios ativos no final de 2020 é de 122.757. A Secretaria de Saúde é o maior “empregador” do serviço público Distrital, com 35.447 servidores, seguida da Secretaria de Educação com 33.220 e da Polícia Militar com 10.610.

O total de cargos em comissão (concursados + livre provimento) é de 15.307. Em números absolutos, é SE Saúde que possui mais funções gratificadas (1.899), seguida da Polícia Civil (1.204) e da SE Economia (1.093).

O número de cargos comissionados ocupados por servidores sem vínculos com o GDF é de 7.746, que corresponde a 6,31 % do total de servidores. Em termos de cargos e funções comissionadas, os sem vínculo representam 50,60% do total, o que parece em desacordo com o artigo 2º da Lei nº 4.858 de 2012, estipulando que “pelo menos 50% do total de cargos em comissão, incluídos os cargos de natureza especial, da administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo, devem ser exercidos por servidores ocupantes de cargo de provimento efetivo”.

A SE Justiça e Cidadania é a unidade com maior número absoluto de comissionados de livre provimento (sem concurso) com 416, seguida da SE Saúde (349) e da PMDF (336).

Duas unidades só tem pessoas indicadas (100%): a Secretaria de Desenvolvimento de Região Metropolitana, com 23 e a CEB Gás, com 3.

Confira os servidores do GDF em 31/12/2020 > Servidores dez 2020

 

Setembro/Dezembro 2020

Após uma aumento de concursados no terceiro trimestre, graças à forte contratação na SE Saúde, a força total de trabalho efetiva volta a diminuir, e termina o ano menor que no final de 2019, passando de nova abaixo dos 123 mil servidores, todas as situações e categorias somadas.

Por outro lado, o ritmo de crescimento dos cargos de confiança e funções comissionadas (+171) e na contratação de sem vínculo (+134) voltou à média trimestral desde o início de 2019. Os “apadrinhados” representam hoje 6,31 % do total de servidores, um recorde nos últimos anos.

Um nova Secretaria foi criada, Extraordinária da Família, em contrapartida a de Relações Parlamentares deixou de existir e foi incorporada à Casa Civil.

 

Em alta: A Polícia Militar é a campeã de novas recrutas no trimestre (256), seguida da de Desenvolvimento Social (108) (que chamou concursados da carreira de Assistência Social) e da do Trabalho (46), todos sem vínculo.

A Secretaria Extraordinária da Família estreia com 56 servidores, dos quais somente 4 são concursados.

No computo dos comissionados sem vínculo, é a SE Trabalho que recebeu o maior número de indicados (51), seguida da de Atendimento à Comunidade (38) e da Seduh (24).

A Casa Civil tem saldo positivo de 42 comissionados, mas são oriundos da incorporação da SE Relações Parlamentares, que tinha 44 apadrinhados.

 

(NB: Na tabela, o maior crescimento é da Secretaria de Administração Penitenciária (SEAPE), com 2.007 servidores, que estão oriundos da SE Segurança Pública (SSP), que perde 1.959 membros.)

Entra pela primeira vez na lista a recém-criada Secretaria de Empreendedorismo, com força de trabalho de 91 pessoas. Muitas delas vêm da SE Desenvolvimento Econômico (SDE) que tem baixa de 77 servidores.

Mais um ligeiro aumento do total de comissionados sem vínculo, que passa de 7.560 para 7.612. O crescimento maior foi na Administração Regional de Brazlândia, com 33 funcionários suplementares, seguida da Administração do Sol Nascente/Por do Sol com 16. O Iprev e a SE Saúde ganham 15 integrantes indicados à mais.

Em baixa: É a Secretaria de Educação que ocupa mais uma vez o topo do ranking de perdas de servidores no trimestre, com 496 a menos, dos quais 52 apadrinhados. A Novacap que já perdeu 99 funcionários no trimestre passado, vê a saída de 242 outros, aderentes ao PDV proposto pela empresa. Já a situação no Instituto Brasília Ambiental (Ibram) volta a preocupar: com 137 servidores a menos, é um quarto do efetivo que foi embora.

No ranking dos sem vínculo, a SE Educação também aparece em primeiro (-52) seguida da PMDF (-42) e da Governadoria (-14)

 

Mais um ligeiro aumento da força de trabalho das Administrações Regionais, que chega a um total de 2.174 (+12 no trimestre), com destaque para a AR Taguatinga (+16).  Os sem vínculo (1.463) correspondem a 67,30 % da força de trabalho das ARs.

Confira a variação da força de trabalho do GDF entre setembro e dezembro de 2020 > Servidores set-dez 2020

 

Históricos:

Confira a variação da força de trabalho total do GDF desde dezembro de 2014 > Tableau servidores GDF

Confira a variação dos comissionados sem vínculo desde dezembro de 2014 > Tableau servidores sem vínculo

Compare a força ativa nos governos Rollemberg e Ibaneis > Força ativa GDF Rollemberg Ibaneis

Compare os cargos em comissão nos governos Rollemberg e Ibaneis > Cargos em comissão Rollemberg Ibaneis

Compare o número de servidores sem vínculo (indicados) nos governos Rollemberg e Ibaneis > Sem vínculo Rollemberg Ibaneis

Propaganda do GDF no 4o trimestre 2020: R$ 25 milhões

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) n° 004, de 07/01/2021, informa que os gastos do Governo com publicidade no quarto trimestre de 2020 foram de R$ 25.155.448,92.

Cópia do DODF > DODF 004 07-01-2021 GDF 4° tri

Confira a série histórica por trimestre desde 2015 > GASTOS EM PROPAGANDA GDF Tableau

Para o quarto trimestre de 2020, o montante foi distribuído da forma seguinte (confira o gráfico por tipo de mídia e produção) > DODF 2020 4o tri midia tipo

Veiculação em TV: R$ 6.388.752,64 (confira os montantes por emissora > DODF 2020 4o tri midia TV

Veiculação em suportes alternativos (*): R$ 6.364.146,44 (confira os montantes por empresa > DODF 2020 4o tri midia alternativa

Veiculação na Internet: R$ 4.030.19,50 (confira os montantes por endereço > DODF 2020 4o tri midia internet

Veiculação em Jornal: R$ 3.459.208,42 (confira os montantes por jornal > DODF 2020 4o tri midia jornal

Produção: R$ 2.919.224,334 (confira os montantes por empresa > DODF 2020 4o tri midia produção

Veiculação em Radio: R$ 1.823.168,21 (confira os montantes por emissora > DODF 2020 4o tri midia radio

Veiculação em Revista: R$ 119.816,49 (confira os montantes por veículo > DODF 2020 4o tri midia revista

Diário Oficial da União (DOU): R$ 51.112,88

(*) a veiculação em suporte alternativos – outdoors, paradas de ônibus, carros de som – não deve ser confundida com a veiculação em mídia alternativa, objeto da Emenda 74/2014 ao artigo 149 da Lei Orgânica, de autoria da Deputada Luzia de Paula, que destina “no mínimo, dez por cento do total das despesas com publicidade do Poder Legislativo e dos órgãos ou entidades da administração direta e indireta do Poder Executivo para contratação de veículos alternativos de comunicação comunitária impressa, falada, televisada e on-line sediados no Distrito Federal.”

No quarto trimestre de 2020, o GDF elencou nesta categoria de “veiculação em mídia alternativa” gastos num total de R$ 3.234.141,40 (que corresponde a 12,85 % da despesa total). Confira a lista e os montantes da mídia alternativa > DODF 2020 3o tri midia v alt

(NB: as despesas da “veiculação alternativa” estão também incluídas nas respectivas categorias – internet e jornal – nas listas precedentes)

(NB: Neste trimestre, em razão do atraso na licitação de seleção da agência que cuida da conta do Detran-DF, a Secom assumiu em convênio companha de quase R$ 2 milhões, que estão incluídos nas tabelas acima. Um detalhe chamou à atenção: a classificação de alguns veículos. Por exemplo, o site Diário do Poder, que consta como “veículo alternativo” no entendimento do GDF, foi considerado “internet” pela Propeg na campanha do Detran) 

 

Filiados partidos BR outubro 2020: semestre de ligeira baixa para todos, PT estável

21 de dezembro de 2020 Deixe um comentário

O Brasil conta com 33 partidos políticos cadastrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Duas vezes ao ano, em abril e outubro, as agremiações devem atualizar suas relações de filiações, que são transmitidas e verificadas pelo TSE.

Este post, continuando a série começada em outubro de 2013, relata os números do cadastro atualizado em abril de 2020.

 

Brasil: 

Dos 150.519.635 eleitores brasileiros (+ 2,70% em relação a abril de 2020), um total de 16.453.092 está filiado a um dos 33 partidos políticos em funcionamento no Brasil em abril de 2020. O número representa uma baixa de 0,24%, em seis meses, num semestre de pouco movimento em razão da legislação pré-eleição que exclui da corrida os filiados de menos de seis meses.

Em pouquíssimos estados, o cadastro ainda menciona filiados a três partidos que foram absorvidos por outros em 2019. Como já fizemos no post precedente, decidimos somar os filiados dos partidos incorporados. Aderentes do PPL estão somados aos do PCdoB, os do PRP figuram no PATRI e militantes do PHS se encontram no PODE.

Os números na tabela está quase todos de cor laranja ou vermelha. O laranja indica uma baixa inferior à média geral, o vermelho indica uma queda maior. Somente quatro partidos estão verdes, no campo positivo, mas com aumento muito pequeno.

Sem modificação no ranking, dada a estabilidade para todos os partidos, nenhum dos grandes ou médios tendo variação acima de 1%. O PSL, que tinha sido destaque nos dois semestres precedentes, não tem comportamento diferente dos outros.

Em números absolutos, os partidos que conseguem avançar desde abril registram aumento modesto: +506 para o PT, +73 para a Rede, +38 para o Pros e +2 para o recém lançado UP.

Em termos proporcionais, é a Rede que comemora o maior percentual no novos adeptos, pelos segundo semestre consecutivo (+0,22 %), seguido da UP (+0,18 %) e de PT e PROS ambos com +0,03 %.

O PSDB é quem mais perde filiados no semestre (-5.378), seguido de PMN (-5.290) e do MDB (-4.050). Proporcionalmente, a maior diminuição está no PMN (-2,42 %), seguido do PSOL (-1,31 %) e do Novo (-0,98 %)

 

LISTA DOS PARTIDOS, NÚMERO DE FILIADOS NO BRASIL > 2020 outubro filiados BR total

 

Estado por Estado 

AC – ACRE

 

Habitantes: 894.470 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 561.261 (+2,31 %)

Eleitores filiados: 78.237 (13,94 % do eleitorado)

Partido do Governador: PP

Partido do Prefeito da Capital: PSB (PP eleito em novembro)

 

Comentário do semestre: Resultado negativo para quase todos os partidos. O MDB, que já estava ameaçando a liderança do PT, vê a distancia aumentar ligeiramente. Tem que descer até os partidos menores para ver aumentos de filiados, mas são mínimos.

Top 5: PT, MDB, PCdoB, PP, PSDB. Sem mudança.

No ranking o PTB ganha uma posição, por cair menos que o PSOL, e o PMN perde duas.

Proporcionalmente, destaques positivo somente para Avante que, com dois filiados a mais, registra aumento de 0,30 %, e para o PTC, com um só militante suplementar (+0,11 %). Os maiores números negativos são para PMN (-8,62 %), PCO (-5,13 %) e Novo (-3,13 %).

Confira o ranking dos partidos no Acre em outubro de 2020 > 2020 outubro AC

 

AL – ALAGOAS

Habitantes: 3.351.543 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.219.318 (+0,32 %)

Eleitores filiados: 185.529 (8,39 % do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Partido do Prefeito da Capital: PSDB (PSB eleito em novembro)

 

Comentário do semestre: O PSDB não aproveitou muito o lugar no pódio. Um semestre depois de ter atingido o terceiro lugar, os tucanos o devolvem ao PSB. O PP, que ameaçava o MDB na liderança, baixa mais que este.

Top 5: MDB, PP, PSB (+1), PSDB (-1), PTB.

Avante ganha duas posições, nem tanto por seu ligeiro aumento mas sobretudo pela queda do PMN e do PCdoB.

Proporcionalmente, destaques positivo para Pros, pelo segundo semestre consecutivo (+0,99 %), Rede (+0,82 %) e PSTU (+0,45 %), e negativo para PMN (-3,95 %), DEM (-2,74 %) e Novo e PCO (ambos -1,30 %).

Confira o ranking dos partidos em Alagoas em outubro de 2020 > 2020 outubro AL

 

AM – AMAZONAS

Habitantes: 4.207.714 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.503.269 (+2,30 %)

Eleitores filiados: 262.755 (10,50 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSC

Partido do Prefeito da Capital: PSDB (Avante eleito em novembro

 

Comentário do semestre: Só três partidos ficam estáveis no Top 20 (PT, PP e PV), o que já é um ganho haja visto que os outros caem. Amazonas continua o único estado onde o Republicanos é o partido preferido dos filiados.

Top 5: Republicanos, PT, PCdoB, PSC, MDB. Sem mudança.

PSB e Pros ganham uma posição no ranking, por cair menos que a agremiação que está à frente deles.

Só três partidos estão no campo positivo: PRTB (+0,07 %), PV (+0,02 %) e PP (+0,01 %). Destaque negativo para PMN (-3,78 %), PSD (-3,58 %) e Patriota (-2,02 %).

Confira o ranking dos partidos no Amazonas em outubro de 2020 > 2020 outubro AM

 

AP-AMAPÁ

Habitantes: 861.773 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 517.102 (+0,33 %)

Eleitores filiados: 104.803 (20,27 % do eleitorado)

Partido do Governador: PDT

Partido do Prefeito da Capital: REDE (eleito em dezembro: DEM)

 

Comentário do semestre: O Amapá continua sendo o estado onde há proporcionalmente mais filiados: um em cada cinco eleitores tem carteira numa das agremiações. Que são agora 32, já que o PCO, ausente até o semestre passado, conta um filiado. Para todos os outros, mesma situação: baixa de militantes, exceto DEM e PSTU.

Top 5: PSOL, PDT, PSL, PSDB, PT. Sem mudança

Só o PSTU ganha uma posição no ranking, por um militante a mais que o PCB.

Proporcionalmente, não há destaque positivo, o melhor resultado sendo não perder nenhum filiado, como constataram o DEM e o PSTU. Destaque negativo para Novo, pelo segundo semestre consecutivo, (-4,35 %), MDB (-3,99 %) e PMN (-3,79 %).

Confira o ranking dos partidos no Amapá em outubro de 2020 > 2020 outubro AP

 

BA-BAHIA

Habitantes: 14.930.634 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 10.893.320 (+7,69 %)

Eleitores filiados: 988.915 (9,08 % do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: DEM (eleito em novembro: DEM)

 

Comentário do semestre: Após perder eleitores no semestre passado, a tendência se inverte, e o aumento é o maior do Brasil. Mesmo assim, o número de filiados conhece uma ligeira baixa. Mas o Top 20 é equilibrado entre pequenas perdas e modestos ganhos.

Top 5: PT, DEM, MDB, PP, PSDB. Sem mudança.

Não há mudança de posição no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede, pelo segundo semestre consecutivo (+0,61 %), PT (+0,19 %) e PL e Cidadania (+0,17 %), e negativo para PMN (-3,74 %), Novo (-0,74 %) e PSTU (-0,39 %).

Confira o ranking dos partidos na Bahia em outubro de 2020 > 2020 outubro BA

 

CE-CEARÁ

Habitantes: 9.187.103 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 6.567.760 (+0,07 %)

Eleitores filiados: 539.926 (8,22 % do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: PDT (eleito em novembro PDT)

 

Comentário do semestre: O resultado negativo do semestre vem da segunda parte da tabela. No Top 10, só o PCdoB no vermelho, e que ainda perde uma posição para o Cidadania. O PDT, apesar de ficar na prefeitura de Fortaleza, não repete a boa performance do semestre passado que o colocou no Top 5.

Top 5: PT, PSDB, MDB, PP, PDT. Sem mudança.

Cidadania, DC, Avante e Pros sobem uma posição cada, por cair menos que o partido que estava à frente.

Proporcionalmente, destaques positivo para PMB, mas que fica longe de recuperar os – 4,36 % do semestre passado (+0,49 %), PCB (+0,31 %) e PSB e Solidariedade (+0,08 %), e negativo para PCO (-4,60 %), PMN (-4,21 %) e UP (-1,56 %).

Confira o ranking dos partidos no Ceará em outubro de 2020 > 2020 outubro CE

 

DF: DISTRITO FEDERAL

Habitantes: 3.055.149 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.088.380 (-0,39 %)

Eleitores filiados: 216.581 (10,37 % do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

 

Comentário do semestre: Só duas unidades da União perdem eleitores no semestre: Rio de Janeiro e o Distrito Federal. Na capital do País, o reflexo no número de filiados é claro: todos os partidos perdem, exceto o PCO que empata.

O Top 5 não tem modificações: PT, PSDB, MDB, PP, DEM.

No ranking, Cidadania, Avante e PTC ganham uma posição por cair menos que quem estava à frente.

Em termos percentuais, os três partidos que mais caíram no semestre foram PMN (-8,78 %), Novo (-2,43 %) e PSD (-1,81 %).

O PCO é o único destaque positivo, por não perder nenhum militante

Confira o ranking dos partidos no DF em outubro de 2020 > 2020 outubro DF

 

ES-ESPÍRITO SANTO

Habitantes: 4.064.052 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.810.132 (+ 1,48%)

Eleitores filiados: 334.449 (11,90 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSB

Partido do Prefeito da Capital: PPS (eleito em novembro: Republicanos)

 

Comentário do semestre: Semestre de ligeira baixa no total, com movimentos de pequena amplitude, para cima ou para baixo, para todos. O PSDB, que estava flertando com o terceiro lugar há um ano, vê agora o PT se aproximar para pegar seu quarto.

Top 5: MDB, PDT, PP, PSDB, PT. Sem mudança.

Não há troca de posições no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para o PCB (+0,30 %, 1 militante a mais), PSD (+0,26 %) e PSTU (+0,23 %, 1 filiado suplementar), e negativo para PSDB (-1,71 %), Novo (-0,94 %) e PSL (-0,86 %).

Confira o ranking dos partidos no Espírito Santo em outubro de 2020 > 2020 outubro ES

 

GO-GOIÁS

Habitantes: 7.113.540 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 4.606.112 (+0,69 %)

Eleitores filiados: 676.642 (14,69 % do eleitorado)

Partido do Governador: DEM

Partido do Prefeito da Capital: MDB (reeleito em novembro)

 

Comentário do semestre: Mais um estado com ligeira perda de filiados, os três partidos na liderança estão no negativo mas têm uma margem confortável antes de serem ameaçados pelos outros. Partidos médios sofrem um pouco mais.

Top 5: MDB, PSDB, PP, DEM, PT. Sem mudança.

Não há ganho ou perda de posição no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para os partidos menores, para os quais poucos militantes a mais representam um percentual mais importante. É o caso de Rede (+1,78 %) e PSTU (+1,29 %), mas há também o PT (+0,80 %). Destaques negativos: PMN (-7,30 %), PCdoB (-2,94 %) e PSC (-1,43 %).

Confira o ranking dos partidos em Goiás em outubro de 2020 > 2020 outubro GO

 

MA-MARANHÃO

Habitantes: 7.114.598 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 4.758.629 (+4,85 %)

Eleitores filiados: 578.643 (12,16 % do eleitorado)

Partido do Governador: PCdoB

Partido do Prefeito da Capital: PDT (eleito em novembro: Podemos)

 

Comentário do semestre: Baixa pequena, mais generalizada: somente seis partidos experimentam crescimento de filiados. As variações modestas não modificam o ranking, mesmo se o Patriota continua do olho no Top 10.

Top 5: MDB, PDT, PTB, DEM, PP. Sem mudança

Ranking sem modificação.

Proporcionalmente, destaques positivo para a Rede pelo quarto semestre consecutivo (+1,18 %), PSOL (+0,17 %) e Avante e Pros (+0,08 %), e negativo para PMN (-0,84 %), Novo (-0,60 %) e DC (-0,34 %).

Confira o ranking dos partidos no Maranhão em outubro de 2020 > 2020 outubro MA

 

MG – MINAS GERAIS

Habitantes: 21.292.666 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 15.889.559 (+0,63 %)

Eleitores filiados: 1.723.046 (10,84 % do eleitorado)

Partido do Governador: Novo

Partido do Prefeito da Capital: PSD (reeleito em novembro)

 

Comentário do semestre: Minas Gerais é o único estado a verificar aumento no número de filiados, mesmo assim inferior ao crescimento do eleitorado. O Top 10 inteiro está no campo positivo, é na segunda parte da tabela que os partidos médios sofrem um pouco. Mas nada que consiga mudar o ranking.

Top 5: MDB, PT, PSDB, DEM, PTB. Sem mudança.

Não há subida nem descida nas posições

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (3 militantes a mais, o que corresponde a 3,80 %), PMB (+1,01 %) e Rede (+0,50 %) e negativo para Novo, pelo segundo semestre consecutivo (-0,72 %), PSTU (-0,68 %) e Avante (-0,59 %).

Confira o ranking dos partidos em Minas Gerais em outubro de 2020 > 2020 outubro MG

 

MS – MATO GROSSO DO SUL

Habitantes: 2.809.394 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 1.932.293 (+2,65 %)

Eleitores filiados: 301.780 (15,62 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: PSD (reeleito em novembro)

 

Comentário do semestre: Somente cinco partidos têm saldo positivo de filiados nestes semestre, dos quais um só no Top 10: o PT, que dá um “chega para lá” ao PSDB que se aproximava da Vice-Liderança. Não há mudança no ranking mas as vagas no meio da tabela estão disputadas.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PDT, PTB. Sem mudança

Ranking sem modificação.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede, pelo segundo semestre consecutivo (+0,54 %), PRTB (+0,23 %) e PSB (+0,19 %), e negativo para PMN (-5,39 %), PCO (-4,55 %) e Republicanos (-3,00 %).

Confira o ranking dos partidos no Mato Grosso do Sul em outubro de 2020 > 2020 outubro MS

 

MT – MATO GROSSO

Habitantes: 3.526.220 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.317.102 (+4,96 %)

Eleitores filiados: 355.435 (15,34 % do eleitorado)

Partido do Governador: DEM

Partido do Prefeito da Capital: MDB (reeleito em novembro)

 

Comentário do semestre: Um semestre mato-grossense similar ao nacional: pequena baixa geral, pequenas variações individuais. Único estado onde o preferido é o Democratas, apesar de sua queda um pouco maior que os outros do Top 5, mas o partido do Governador tem margem suficiente para não ser importunado por enquanto.

Top 5: DEM, MDB, PSDB, PL, PPS. Sem mudança.

Uma só modificação no ranking: o DC passa o PMN para entrar no Top 20.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCB (1 militante a mais, +3,85 %), Avante (+1,56 %) e DC (+1,11 %), e negativo para PSB (-2,32 %), Novo (-1,90 %) e PL (-0,97 %).

Confira o ranking dos partidos no Mato Grosso em outubro de 2020 > 2020 outubro MT

 

PA – PARÁ

Habitantes: 8.690.745 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 5.758.119 (+5,68 %)

Eleitores filiados: 594.666 (10,41 % do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Partido do Prefeito da Capital: PSDB (eleito em novembro: PSOL)

 

Comentário do semestre: Ressaca negativa após o recorde de aumento de filiados no semestre passado. Somente quatro partidos podem sorrir, ainda que com moderação. As baixas não são de grande monta, mas consta delas o PSOL, que no entanto acaba de eleger mais uma vez o Prefeito de Belém.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PRB, PL. Sem mudança.

Sem modificação no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para o Pros (+0,32 %), Cidadania (+0,29 %) e PCB (+0,16 %), e negativo para PCO (1 militante a menos, -5,56 %, PRTB (-3,70 %) e Republicanos (-3,06 %).

Confira o ranking dos partidos no Pará em outubro de 2020 > 2020 outubro PA

 

PB – PARAÍBA

Habitantes: 4.039.277 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.966.759 (+1,10 %)

Eleitores filiados: 339.425 (11,44 % do eleitorado)

Partido do Governador: Cidadania

Partido do Prefeito da Capital: PV (eleito em novembro PP)

 

Comentário do semestre: Estabilidade marca o semestre. O número de eleitores filiados tem ligeira baixa, mas não influencia no ranking, onde todos os partidos conservam suas posições. O PSDB, terceiro, começa a perder de vista o DEM e a segunda colocação.

Top 5: MDB, DEM, PSDB, PT, PP. Sem mudança.

Ranking sem modificação.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (+4,10 %), Cidadania (1 militante a mais, +3,85 %) e PSTU (+3,30 %), e negativo para Novo, pelo segundo semestre consecutivo (-1,54 %), PMB (-1,29 %) e PV (-1,13 %).

Confira o ranking dos partidos na Paraíba em outubro de 2020 > 2020 outubro PB

 

PE-PERNAMBUCO

Habitantes: 9.616.621 (Estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 6.735.391 (+0,30 %)

Eleitores filiados: 590.183 (8,76 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSB

Partido do Prefeito da Capital: PSB (eleito em novembro: PSB)

 

Comentário do semestre: Ligeira baixa do total dos filiados no semestre, inferior à média nacional. Apesar de eleger outro integrante na Prefeitura da capital, o PSB, que ganhou duas posições no semestre passado, vê de novo o DEM e PTB se reaproximarem. PSL entra no Top 10 por cair menos que o PCdoB

Top 5: PT, PP, MDB, PDT, PSDB. Sem mudança.

Só o PSL ganha uma posição, a 10ª, por cair menos que o PCdoB

Proporcionalmente, destaques positivo para a PMB (+3,45 %), Rede (+0,21 %) e PSD (+0,18 %), e negativo para PSTU (-1,41 %), Republicanos (-1,26 %) e Novo (-1,01 %).

Confira o ranking dos partidos em Pernambuco em outubro de 2020 > 2020 outubro PE

 

PI – PIAUÍ

Habitantes: 3.281.480 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.456.056 (+0,79 %)

Eleitores filiados: 309.994 (12,62 % do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: PSDB (eleito em novembro: MDB)

 

Comentário do semestre: Semestre também morninho no Piauí, após os altos e baixos dos dois precedentes. O pódio está verde, enquanto a quarta posição vira uma batalha tríplice entre PTB, PSDB e DEM. PMN segue sua trajetória de queda, agora abaixo de 4 mil militantes.

Top 5: MDB, PT, PP, PTB, PSDB. Sem mudança.

No ranking, só o PSC ganha uma posição, pela queda do PMN.

Proporcionalmente, destaque positivo para o Avante (+0,78 %), PMB (+0,27 %) e DC (+0,25 %), e negativo para PMN (-4,47 %), Novo (-0,94 %) e PSOL (-0,73 %).

Confira o ranking dos partidos no Piauí em outubro de 2020 > 2020 outubro PI

 

PR – PARANÁ

Habitantes: 11.516.840 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 8.152.710 (+2,01 %)

Eleitores filiados: 1.001.400 (12,28 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSD

Partido do Prefeito da Capital: DEM (reeleito em novembro)

 

Comentário do semestre: Baixa generalizada, sobre tudo no Top 10 onde só o PT está em verde. Mas a barra do milhão de filiados é mantida. A fratura entre os 15 primeiros e o resto também permanece. PV, 15º, tem o dobro de militantes de Republicanos, 16º.

Top 5: MDB, PP, PSDB, PT, PDT. Sem mudança

Ranking sem modificação.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede (+0,71 %), Pros (+0,49 %) e DC (+0,41 %), e negativo para Republicanos (-2,69 %), PSOL (-1,86 %) e PCO (1 militante a menos, -0,88 %)

Confira o ranking dos partidos no Paraná em outubro de 2020 > 2020 outubro PR

 

RJ – RIO DE JANEIRO

Habitantes: 17.366.189 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 12.455.812 (-0,11 %)

Eleitores filiados: 1.074.654 (8,63 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSC

Partido do Prefeito da Capital: Republicanos (eleito em novembro DEM)

 

Comentário do semestre: Rio de Janeiro perde de novo filiados, e também eleitores, o que só ocorreu também no Distrito Federal, e já é o terceiro (depois de Ceará e Alagoas) estado onde o eleitor menos se filia. As variações negativas são pequenas, mas atingem quase todos: só 4 partidos estão com crescimento, também muito pequeno. O Top 10 inteiro perde militantes.

Top 5: PDT, MDB, PT, PSDB, PP. Sem mudança.

Só o Cidadania movimenta o ranking, ganhando a posição do PSOL que cai mais.

Proporcionalmente, destaques positivo para PRTB (+0,09 %), PTC (+0,04 %) e Pros (+0,03 %), e negativo para PMN (-3,16 %), PSOL (-0,91 %) e Republicanos (-0,73 %).

Confira o ranking dos partidos no Rio de Janeiro em outubro de 2020 > 2020 outubro RJ

 

RN – RIO GRANDE DO NORTE

Habitantes: 3.534.165 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 2.447.178 (+0,71 %)

Eleitores filiados: 270.465 (11,05 % do eleitorado)

Partido da Governadora: PT

Partido do Prefeito da Capital: PSDB (reeleito em novembro)

 

Comentário do semestre: PSDB e PT, respectivamente no comando da Prefeitura de Natal e do governo do Estado, são os únicos do Top 10 a subir no semestre. E estão no clube bem pequeno das agremiações no campo positivo: só cinco.

Top 5: MDB, DEM, PSDB, PP, PL. Sem mudança

Ranking sem modificação.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCB (2 militantes suplementares, +1,35 %), PT (+0,47 %), e PSC (+0,17 %), e negativo para PCO (1 filiado a menos, -2,94 %), PMN (-2,40 %) e PSOL (-1,69%).

Confira o ranking dos partidos no Rio Grande do Norte em outubro de 2020 > 2020 outubro RN

 

RO – RONDÔNIA

Habitantes: 1.796.460 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 1.190.505 (+2,99 %)

Eleitores filiados: 168.697 (14,17 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSL

Partido do Prefeito da Capital: PSDB (eleito em novembro PSDB)

 

Comentário do semestre: O Top 10 está caindo, num estado que conheceu um aumento de quase 3% do eleitorado e uma baixa de quase 1% dos filiados. Somente 4 partidos estão no campo positivo, com número pouco expressivo de militantes.

Top 5: MDB, PSDB, PP, PT, PTB. Sem mudança.

Não há movimentação no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para PMB (4 militantes a mais, +18,18 %), PRTB (+0,82 %) e Novo (+0,67 %), e negativo para PTB (-6,07 %), PCO (1 filiado a menos, -5,88 %) e PMN (-2,99 %).

Confira o ranking dos partidos em Rondônia em outubro de 2020 > 2020 outubro RO

 

RR – RORAIMA

Habitantes: 631.181 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 342.651 (+0,41 %)

Eleitores filiados: 60.325 (17,63 % do eleitorado)

Partido do Governador: sem partido (ex-PSL)

Partido da Prefeita da Capital: MDB (eleito em novembro MDB)

 

Comentário do semestre: Queda significativa dos filiados no semestre no estado que no entanto continua o terceiro (atrás de Amapá e Tocantins) em porcentagem de militantes. Há de descer até a 18ª posição para encontrar a primeira agremiação no campo positivo.

Top 5: Patriota, PP, PSDB, PDT, PTB. Sem mudança.

Única modificação no ranking: o tombo de duas posições do PL, que está a um passo de sair do Top 10

Proporcionalmente, destaques positivo para PSC (+0,62 %), Rede (+0,27 %) e Pros (+0,14 %), e negativo para PL (-10,09 %), DEM (-7,85 %) e PP (-6,82 %).

Confira o ranking dos partidos em Roraima em outubro de 2020 > 2020 outubro RR

 

RS – RIO GRANDE DO SUL

Habitantes: 11.422.973 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 8.423.308 (+0,48 %)

Eleitores filiados: 1.339.508 (15,90 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: PSDB (eleito em novembro MDB)

 

Comentário do semestre: No geral do estado, a baixa do número de filiados não é muito elevada, mas é generalizada. Com exceção do MDB, líder, em verde, é preciso sair do Top 20 para encontrar outro partido no campo positivo. Mas como os percentuais são moderados, não há modificação importante na correlação de forças.

Top 5: MDB, PDT, PP, PT, PTB. Sem mudança

PRTB sobe mais uma posição no ranking, passando o Patriota.

Proporcionalmente, destaques positivo para PRTB, pelo segundo semestre consecutivo (+0,70 %), PTC (+0,21 %) e DC (1 militante a mais, +0,07 %), e negativo para PMN (-4,30 %), PL (-2,70 %) e PMB (1 filiado a menos, -1,89 %).

Confira o ranking dos partidos no Rio Grande do Sul em outubro de 2020 > 2020 outubro RS

 

SC – SANTA CATARINA

Habitantes: 7.252.502 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 5.205.931 (+1,25 %)

Eleitores filiados: 882.476 (16,95 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSL

Partido do Prefeito da Capital: DEM (reeleito em novembro)

 

Comentário do semestre: Filiados em baixa como em todos os estados, com um Top 10 mais heterogêneo: 6 partidos no negativo, 4 no positivo. As maiores quedas estão além do Top 20.

Top 5: MDB, PP, PSDB, DEM, PT. Sem mudança

DC e Avante ganham uma posição no ranking cada. Este último por cair menos que o PSOL que está à frente dele.

Proporcionalmente, destaques positivo para UP (passou de 1 para 2 militantes, +100 %), Rede (+2,44 %) e PCB (1 filiado a mais, +2,38 %), e negativo para PSOL (-7,06 %), PMN (-5,76 %) e Avante (-2,95 %).

Confira o ranking dos partidos em Santa Catarina em outubro de 2020 > 2020 outubro SC

 

SE – SERGIPE

Habitantes: 2.318.822 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 1.610.407 (+0,52 %)

Eleitores filiados: 175.674 (10,91 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSD

Partido do Prefeito da Capital: PDT (reeleito em novembro)

 

Comentário do semestre: Somente cinco partidos podem comemorar crescimento no semestre, três deles no Top 5. O PT aumenta sua vantagem de líder com a queda do MDB, e PP vê sua quarta posição conquistada no semestre passado tanto pelo PDT quanto pelo PSDB

Top 5: PT, MDB, DEM, PP, PDT. (Sem mudança)

Sem modificação de posições no ranking

Proporcionalmente, destaques positivo para PCB (1 militante suplementar, +0,13 %), PSC (+0,06 %) e PDT e PSDB (+0,04 %), e negativo para PP(-4,16 %), PMN (-3,26 %) e Novo (-2,70 %).

Confira o ranking dos partidos em Sergipe em outubro de 2020 > 2020 outubro SE

 

SP – SÃO PAULO

Habitantes: 46.289.333 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 33.565.294 (+5,80 %)

Eleitores filiados: 3.085.566 (9,19 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: PSDB (reeleito em novembro)

 

Comentário do semestre: Baixa do número de filiados também em São Paulo, moderada e que atinge quase todos partidos, exceto seis. Apesar de reeleger o prefeito da capital, o PSDB não consegue se aproximar do PTB, e consequentemente do pódio. O PSOL, que chegou ao segundo turno da eleição municipal, está entre os três partidos que mais perdem militantes, proporcionalmente, no semestre.

Top 5: MDB, PT, PTB, PSDB, PP. Sem mudança.

Não há modificação de posição no ranking.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede, pelo segundo semestre consecutivo (+0,46 %), PRTB (+0,15 %) e DEM (+0,06 %), e negativo para Up (3 militantes a menos, -6,67 %), PMN (-2,71 %) e PSOL (-2,11 %).

Confira o ranking dos partidos em São Paulo em outubro de 2020 > 2020 outubro SP

 

TO – TOCANTINS

Habitantes: 1.590.248 (estimativa IBGE 07/2020)

Eleitores: 1.035.289 (+1,12 %)

Eleitores filiados: 204.553 (19,76 % do eleitorado)

Partido do Governador: DEM

Partido da Prefeita da Capital: PSDB (reeleita em novembro)

 

Comentário do semestre: Efêmero estado líder em percentual filiados/eleitores, a queda de quase 1% este semestre deixa a Amapá como única unidade da federação a ter mais de 20% de militantes em uma dos partidos. No entanto, mais da metade das agremiações estão no campo positivo. O tombo provem, especialmente, de PSDB, PDT, Republicanos e PMN.

Top 5: MDB, PP, DEM, PSDB, PT. Sem mudança

A queda do PMN lhe faz perder duas posições no ranking, para o proveito de PCdoB (21°) e Pros (22°)

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede (+2 filiados, + 0,81 %), Novo (1 militante a mais, +0,72 %) e PCdoB (+0,64 %), e negativo para PMN (-8,73 %), PSDB (-4,77 %) e PDT (-3,77 %).

Confira o ranking dos partidos no Tocantins em outubro de 2020 > 2020 outubro TO

 

ZZ – BRASILEIROS NO EXTERIOR

Habitantes: segundo o TSE, dos quase 3 milhões de brasileiros que moram fora do país, estima-se que pelo menos 1,5 milhão poderiam participar do pleito.

Eleitores: 509.988 registrados (+1,92 %)

Eleitores filiados: 8.739 (1,83 % do eleitorado)

Partido do Presidente da República: sem partido (ex-PSL)

 

Comentário do semestre: Mais um semestre de crescimento do pequeno número de eleitores domiciliados no exterior e filiados a um partido. Na contramão do quadro geral, o percentual está em alta, mesmo se ainda está longe (1,83 %) até mesmo do estado com menor grau de interesse político-partidário (Ceará, 8,22 %). Nenhuma agremiação perde militante no semestre.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PP, PTB. Sem mudança

Republicanos, PTC e PSOL ganham uma posição cada no ranking.

Destaque proporcional para Rede (que passa de 6 a 8 filiados) (+33,33 %), PSOL (+18,57 %) e Solidariedade (+17,65 %). Não tem destaque negativo.

Confira o ranking dos partidos para os brasileiros no exterior em outubro de 2020 > 2020 outubro ZZ

 

 

TABELA RECAPITULATIVA BRASIL outubro 2020 > 2020 outubro Recapitulatif

 

Servidores GDF, setembro 2020: Saúde em alta, sem vínculos também

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de 23 de outubro de 2020 publica o quadro da força de trabalho ativa do Governo de Distrito Federal (GDF) em 30/09/2020.

Cópia do DODF > DODF 202 23-10-2020 INTEGRA-páginas-7-11

Setembro de 2020

O total de servidores próprios ativos em 30/09/2020 é de 123.656. A Secretaria de Saúde é o maior “empregador” do serviço público Distrital, com 35.514 servidores, seguida da Secretaria de Educação com 33.716 e da Polícia Militar com 10.354.

O total de cargos em comissão (concursados + livre provimento) é de 15.136. Em números absolutos, é SE Saúde que possui mais funções gratificadas (1.874), seguida da Polícia Civil (1.201) e da SE Economia (1.062).

O número de cargos comissionados ocupados por servidores sem vínculos com o GDF é de 7.612, que corresponde a 6,16 % do total de servidores. Em termos de cargos e funções comissionadas, os sem vínculo representam 50,29% do total, o que parece em desacordo com o artigo 2º da Lei nº 4.858 de 2012, estipulando que “pelo menos 50% do total de cargos em comissão, incluídos os cargos de natureza especial, da administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo, devem ser exercidos por servidores ocupantes de cargo de provimento efetivo”.

A SE Justiça e Cidadania é a unidade com maior número absoluto de comissionados de livre provimento (sem concurso) com 419, seguida da PMDF (378) e da SE Saúde (349).

Duas unidades só tem pessoas indicadas (100%): a Secretaria de Desenvolvimento de Região Metropolitana, com 26 e a CEB Gás, com 4.

Confira os servidores do GDF em 30/09/2020 > Servidores set 2020

Junho/Setembro 2020

Pela primeira vez desde o início do governo Ibaneis, o número total da força de trabalho efetiva tem aumento no trimestre: são 1.609 servidores a mais, quase todos na SE Saúde (+1.461), que agora se distancia na liderança dos órgãos empregadores na administração.

Apesar de menor que nos trimestres precedentes, verifica-se de novo ampliação dos cargos de confiança e funções comissionadas (+109) e na contratação de sem vínculo (+52). Com o aumento da força total, o porcentagem de apadrinhados tem pequena baixa, passando de 6,19 % para 6,16 %.

É o segundo trimestre consecutivo no qual o GDF não respeita mais o limite mínimo de 50% de provimento dos cargos em comissão por servidores de carreira. É o Supremo Tribunal Federal (STF) que agora deverá se pronunciar sobre a validade desta artigo, a pedido do governador.

Espera-se que a corte dirime as dúvidas sobre a correta aplicação da porcentagem. O GDF sempre militou pelo entendimento global, ou seja que os 50% sejam verificados sobre o conjunto da força. Já o Ministério Público compreende o texto legal aplicando a regra a cada órgão em separado.

As criações e extinções de secretarias, e sobretudo a ausência de carreira específica para as administrações regionais parecem impossibilitar que se cumpra a regra dos 50% por unidade. Das 104 UOs, 62 fogem do limite, das quais todas as ARs, com exceção de Gama e Taguatinga.

O não-cumprimento por órgão é histórico, mas o desrespeito ao limite global é recente, data do levantamento de março deste ano. Servidores de carreira ocupam hoje 49,71% dos cargos comissionados.

Em alta: A Secretaria de Saúde ganha 1.461 profissionais à mais, o que corresponde a quase todos novos integrantes do GDF. O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) recebe mais 144 servidores e a SE Educação 103.

(NB: Na tabela, o maior crescimento é da Secretaria de Administração Penitenciária (SEAPE), com 2.007 servidores, que estão oriundos da SE Segurança Pública (SSP), que perde 1.959 membros.)

Entra pela primeira vez na lista a recém-criada Secretaria de Empreendedorismo, com força de trabalho de 91 pessoas. Muitas delas vêm da SE Desenvolvimento Econômico (SDE) que tem baixa de 77 servidores.

Mais um ligeiro aumento do total de comissionados sem vínculo, que passa de 7.560 para 7.612. O crescimento maior foi na Administração Regional de Brazlândia, com 33 funcionários suplementares, seguida da Administração do Sol Nascente/Por do Sol com 16. O Iprev e a SE Saúde ganham 15 integrantes indicados à mais.

Em baixa: É a Novacap que ocupa o topo do ranking das perdas de servidores do no trimestre, com 99 funcionários a menos. A empresa encerrou o prazo de adesão a seu PDV em setembro, e esperava uma adesão acima de 500 dos mais de 1,3 mil servidores elegíveis. A PMDF conta 89 integrantes a menos, e o BRB 32.

As diminuições de cargos indicados não são significativas, podendo corresponder a um momento de troca de pessoal: SE Esporte e Lazer (- 12), SE Justiça e Cidadania (- 11) e PMDF (- 11).

Mais um ligeiro aumento da força de trabalho das Administrações Regionais, que chega a um total de 2.162 (+46 no trimestre), com destaque para a AR Brazlândia (+ 33) e a AR Pôr do Sol/Sol Nascente (+ 16).  Os sem vínculo (1.433) correspondem a 66,28 % da força de trabalho das ARs.

Confira a variação da força de trabalho do GDF entre junho e setembro de 2020 > Servidores jun-set 2020

Histórico:

Confira a variação da força de trabalho total do GDF desde dezembro de 2014 > Tableau servidores GDF

Confira a variação dos comissionados sem vínculo desde dezembro de 2014 > Tableau servidores sem vínculo

Propaganda do GDF no 3o trimestre 2020: R$ 44 milhões

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) n° 191, de 07/10/2020, informa que os gastos do Governo com publicidade no terceiro trimestre de 2020 foram de R$ 43.839.556,83.

Cópia do DODF > DODF 191 07-10-2020 GDF 3o tri

Confira a série histórica por trimestre desde 2015 > GASTOS EM PROPAGANDA GDF Tableau

Para o terceiro trimestre de 2020, o montante foi distribuído da forma seguinte (confira o gráfico por tipo de mídia e produção  DODF 2020 3o tri midia pizza tipo

Veiculação em TV: R$ 13.011.600,11 (confira os montantes por emissora > DODF 2020 3o tri midia TV

Veiculação na Internet: R$ 9.676.997,95 (confira os montantes por endereço > DODF 2020 3o tri midia internet

Veiculação em suportes alternativos (*): R$ 6.428.362,57 (confira os montantes por empresa > DODF 2020 3o tri midia alternativa

Veiculação em Jornal: R$ 5.713.710,04 (confira os montantes por jornal > DODF 2020 3o tri midia jornal

Veiculação em Radio: R$ 4.492.605,06 (confira os montantes por emissora > DODF 2020 3o tri midia radio

Produção: R$ 4.306.786,39 (confira os montantes por empresa > DODF 2020 3o tri midia produção

Veiculação em revistas: R$ 170.657,27 (confira os montantes por veículo > DODF 2020 3o tri midia revista

Diário Oficial da União (DOU): R$ 40.837,44

(*) a veiculação em suporte alternativos – outdoors, paradas de ônibus, carros de som – não deve ser confundida com a veiculação em mídia alternativa, objeto da Emenda 74/2014 ao artigo 149 da Lei Orgânica, de autoria da Deputada Luzia de Paula, que destina “no mínimo, dez por cento do total das despesas com publicidade do Poder Legislativo e dos órgãos ou entidades da administração direta e indireta do Poder Executivo para contratação de veículos alternativos de comunicação comunitária impressa, falada, televisada e on-line sediados no Distrito Federal.”

No terceiro trimestre de 2020, o GDF elencou nesta categoria de “veiculação em mídia alternativa” gastos num total de R$ 5.554.510,97 (que corresponde a 12,67 % da despesa total) (confira a lista e os montantes da mídia alternativa > DODF 2020 3o tri midia v alt

(NB: as despesas da “veiculação alternativa” estão também incluídas nas respectivas categorias – internet e jornal – nas listas precedentes)

 

Filiados a partido político no DF: a diferença que Ceilândia faz

Foto: Tony Winston/Agência Brasília

Na última atualização do cadastro dos eleitores filiados a um dos partidos políticos existentes no Distrito Federal, o Partido dos Trabalhadores (PT-DF) ampliou ainda mais sua vantagem diante do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB-DF) na preferência dos militantes.

A tal ponto que os tucanos, que já perderam a liderança em 2019, agora tem até a segunda posição ameaçada pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB-DF), partido do governador Ibaneis Rocha.

Os números já foram analisados em post com os levantamentos em todo o País, o objetivo deste é olhar de mais perto onde a liderança do PT se afirma nas regiões administrativas.

E Ceilândia faz toda a diferença: no maior colégio eleitoral do DF, o partido atualmente presidido por Jacy Afonso, antes diretor de mobilização da agremiação, registra seus maiores percentuais, em particular na parte norte da cidade, onde 18,67% dos filiados têm carteira com a estrela vermelha.

Os mais de 30 mil filiados ao PT não estão concentrados em Ceilândia. Afinal, com liderança em 9 das 19 zonas eleitorais, o partido é também quem mais aparece no topo das preferências.

Mas o MDB, que também lidera em 7 outras divisões cartoriais, poderia reduzir sua desvantagem de mais de 6 mil filiados. Se não fosse sua completa ausência na cidade da caixa d´água, onde não aparece no Top 5 das preferências, deixando terreno ao PSDB, que domina Ceilandia sul, e 2 outras zonas eleitorais.

Somente esses três partidos (PT, PSDB e MDB) chegam ao topo da militância numa das 19 zonas eleitorais.

Confira a tabela do Top 5 dos filiados a partido político no DF por zona eleitoral (fonte dos números: TSE, abril de 2020) > 2020 abril por ZE

 

Servidores GDF, junho 2020: Saúde ultrapassa Educação apesar de baixa

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de 22 de julho de 2020 publica o quadro da força de trabalho ativa do Governo de Distrito Federal (GDF) em 30/06/2020.

Cópia do DODF > DODF 137 22-07-2020 INTEGRA-páginas-5-9

 

Junho de 2020

O total de servidores próprios ativos em 30/06/2020 é de 122.047. A Secretaria de Saúde é o maior “empregador” do serviço público Distrital, com 34.053 servidores, seguida da Secretaria de Educação com 33.613 e da Polícia Militar com 10.443.

O total de cargos em comissão (concursados + livre provimento) é de 15.027. Em números absolutos, é SE Saúde que possui mais funções gratificadas (1.829), seguida da Polícia Civil (1.175) e da SE Economia (1.056).

O número de cargos comissionados ocupados por servidores sem vínculos com o GDF é de 7.560, que corresponde a 6,19 % do total de servidores. Em termos de cargos e funções comissionadas, os sem vínculo representam 50,30% do total, o que parece em desacordo com o artigo 2º da Lei nº 4.858 de 2012, que estipula que “pelo menos 50% do total de cargos em comissão, incluídos os cargos de natureza especial, da administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo, devem ser exercidos por servidores ocupantes de cargo de provimento efetivo”.

A SE Justiça e Cidadania é a unidade com maior número absoluto de comissionados de livre provimento (sem concurso) com 430, seguida da PMDF (389) e da SE Saúde (334).

Duas unidades só tem pessoas indicadas (100%): a Secretaria de Desenvolvimento de Região Metropolitana, com 26 e a CEB Gás, com 4.

Confira os servidores do GDF em 30/06/2020 > Servidores jun 2020

 

Março/junho 2020

Apesar de ultrapassar a SE Educação pela primeira vez, e também das contratações em razão da pandemia do novo coronavírus, a SE Saúde tem um saldo negativo no trimestre: 82 profissionais a menos. Explicações podem ser encontradas nesta matéria do portal Metrópoles. A SES vira maio empregador do DF porque a SE Educação perde muito mais no trimestre: -893, reflexo dos pedidos de aposentadorias que continuam em volume elevado.

O trimestre é de ampliação das mesmas tendências desde o início do governo Ibaneis: alta nos cargos de confiança e funções comissionadas (+703) e na contratação de sem vínculo (+564), e baixa nos concursados (-1.172)

O saldo da força total no trimestre é negativo em 608 servidores.

 

Em alta: A Polícia Civil (PCDF) é a única unidade que integra mais de 100 servidores no trimestre. A SE Economia aparece em segundo com 97 seguida de SE Trabalho e da SE Extraordinária da Pessoa com Deficiência, criada há menos de um ano. Ambas vê o efetivo aumentar em 72 pessoas, quase todas sem vinculo.

Entra pela primeira vez na lista a recém-criada Secretaria de Empreendedorismo, com força de trabalho de 91 pessoas. Muitas delas vêem da SE Desenvolvimento Econômico (SDE) que tem baixa de 77 servidores.

O total de comissionados sem vínculo cresceu 8,06% e ultrapassou 7,5 mil, contingente que não se via desde o governo Agnelo. Os destaques de alta foram a SE Extraordinária da Pessoa com Deficiência (+68), a SE Trabalho (+61) e a SE Justiça e Cidadania (Sejus) com 57.

 

Em baixa: A SE Educação é a maior perdedora de força de trabalho no trimestre, mais uma vez, com 893 servidores a menos. A seguir, forças de segurança: PMDF (-230) e CBMDF (-147).

Com saldo positivo de entrada de 564 servidores sem vínculo no trimestre, foram poucas as unidades a perder esta categoria de funcionários. Os 52 da Secretaria de Desenvolvimento Econômico foram realocados na SE Empreendedorismo. A SE Economia se separou de 36 sem vínculo, a SE Saúde de 36 e a CEB dispensou 15.

A SE Trabalho teve reorganização e viu seu contingente de “indicados” passar de 143 para 86 (-57), seguida da SE Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEDUH) que perdeu 15 “sem vínculo” e do Gabinete do Governador com -13.

 

Ligeiro aumento da força de trabalho das Administrações Regionais, que chega a um total de 2.116 (+66 no trimestre), sendo 1.389 “apadrinhados”, 81 a mais que no fim de março. Os “fora do quadro” representam 65,64 % da força de trabalho das ARs.

Confira a variação da força de trabalho do GDF entre março e junho de 2020 > Servidores mar-jun 2020

 

Histórico:

Confira a variação da força de trabalho total do GDF desde dezembro de 2014 > Tableau servidores GDF

Confira a variação dos comissionados sem vínculo desde dezembro de 2014 > Tableau sem vínculo GDF

 

Propaganda do GDF no 2o trimestre 2020: R$ 37 milhões

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) n° 125, de 06/07/2020, informa que os gastos do Governo com Publicidade no segundo trimestre de 2020 foram de R$ 36.957.744,46.

Cópia do DODF > DODF gastos prop GDF 2o tri 2020

 

Confira a série histórica por trimestre desde 2015 > GASTOS EM PROPAGANDA GDF Tableau

Para o segundo trimestre de 2020, o montante foi distribuído da forma seguinte (confira o gráfico por tipo de mídia e produção > DODF 2020 2o tri pizza tipo

 

Veiculação em TV: R$ 18.274.994,00 (confira os montantes por emissora > DODF 2020 2o tri midia TV

Veiculação em suportes alternativos (*): R$ 5.101.157,51 (confira os montantes por empresa > DODF 2020 2o tri midia alternativa

Veiculação em Jornal: R$ 4.769.630,53 (confira os montantes por jornal > DODF 2020 2o tri midia jornal

Veiculação na Internet: R$ 4.154.909,25 (confira os montantes por endereço > DODF 2020 2o tri midia internet

Veiculação em Radio: R$ 2.396.708,58 (confira os montantes por emissora > DODF 2020 2o tri midia radio

Produção: R$ 1.791.206,53 (confira os montantes por empresa > DODF 2020 2o tri midia produção

Veiculação de anúncios legais > R$ 433.261,57 (confira os montantes por veículo > DODF 2020 2o tri midia legal

Veiculação em cinema: R$ 35.876,49 no Flix Mídia.

(*) a veiculação em suporte alternativos – outdoors, paradas de ônibus, carros de som – não deve ser confundida com a veiculação em mídia alternativa, objeto da Emenda 74/2014 ao artigo 149 da Lei Orgânica, de autoria da Deputada Luzia de Paula, que destina “no mínimo, dez por cento do total das despesas com publicidade do Poder Legislativo e dos órgãos ou entidades da administração direta e indireta do Poder Executivo para contratação de veículos alternativos de comunicação comunitária impressa, falada, televisada e on-line sediados no Distrito Federal.”

No segundo trimestre de 2020, o GDF elencou nesta categoria de “veiculação em mídia alternativa” gastos num total de R$ 3.449.057,54 (que corresponde a 9,33 % da despesa total) (confira a lista e os montantes da mídia alternativa > DODF 2020 2o tri midia v alt

(NB: as despesas da “veiculação alternativa” estão também incluídas nas respectivas categorias – internet e jornal – nas listas precedentes)

Filiados partidos BR abril 2020: recuperação no semestre para todos, PSL continua crescendo

8 de junho de 2020 2 comentários

O Brasil conta com 33 (*) partidos políticos cadastrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Duas vezes ao ano, em abril e outubro, as agremiações devem atualizar suas relações de filiações, que são transmitidas e verificadas pelo TSE.

(*) Desde a última atualização em outubro de 2019, foi aprovado em 10 de dezembro de 2019 pelo TSE a criação da Unidade Popular (UP), partido que se declara socialista.

Este post, continuando a série começada em outubro de 2013, relata os números do cadastro atualizado em abril de 2020.

 

Brasil: 

Dos 146.560.933 eleitores brasileiros (-0,71% em relação a outubro de 2019), um total de 16.492.478 está filiado a um dos 33 partidos políticos em funcionamento no Brasil em abril de 2020. O número representa um crescimento de 4,97%, mas não recupera ainda a queda de quase 7% de semestre passado. Já a queda do eleitorado provém de três estados só, mas de grande população: Pará (-0,77%) e sobretudo Bahia (-3,39%) e São Paulo (-4,56%). O estado mais populoso do Brasil perdeu mais de 1,5 milhão de eleitores no semestre.

Abril de ano par representa, desde a mudança de legislação em 2016, a data considerada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para averiguar o prazo mínimo de filiação exigido para participar das eleições de outubro (6 meses depois). Se houver adiamento do pleito este ano por causa da pandemia da CoVid19, será preciso verificar nas resoluções da Justiça Eleitoral se o prazo de 6 meses está mantido, ou se a atualização de abril continuará a ser o marco da verificação de filiação dos candidatos.

Em pouquíssimos estados, o cadastro ainda menciona filiados a três partidos que foram absorvidos por outros em 2019. Como já fizemos no post precedente, decidimos somar os filiados dos partidos incorporados. Aderentes do PPL estão somados aos do PCdoB, os do PRP figuram no PATRI e militantes do PHS se encontram no PODE.

Os números na tabela está quase todos verdes ou azuis. A cor verde representa um crescimento num percentual acima da média nacional (4,97% neste semestre), a cor azul destaca um número positivo, mas inferior à média no Brasil. Somente três partidos amargaram perda de filiados: PSTU, PCB e sobretudo Novo.

No ranking, o Republicanos (ex-PRB) chega ao Top 10, de onde tira o Cidadania (ex-PPS), invertendo a desvantagem de mais de 10 mil votos que tinha. Destaque para o PSL que, apesar de perder seu filiado mais famoso ainda no final do semestre precedente, ganha 4 posições. O Avante avança dois degraus, sendo um dos cinco partidos a registrar crescimento acima de 20%. Solidariedade e PMB ganham uma posição cada.

Em números absolutos, o PSL registra o maior número de novos filiados, pelo terceiro semestre consecutivo (86.445), seguido do PSD (75.885) e do Progressistas (62.760).

Em termos proporcionais, é a REDE que comemora o mair percentual no novos adeptos (+38,44%), seguido do PSL (+24,74%) e do PSD (+22,96%).

O Novo é quem mais perde filiados no semestre (-6.415), seguido de PCB (-173) e do PSTU (-61). São os três únicas a perder filiados no semestre.

Proporcionalmente, a maior diminuição está no Novo (após dois semestres de recordes positivos (-13,24%), seguido de PCB (-1,34%) e PSTU (-0,38%)

 

LISTA DOS PARTIDOS, NÚMERO DE FILIADOS NO BRASIL > 2020 abril filiados BR total

 

Estado por Estado 

AC – ACRE

 

Habitantes: 881.935 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 548.565 (+1,42%)

Eleitores filiados: 78.701 (14,35 % do eleitorado)

Partido do Governador: PP

Partido do Prefeito da Capital: PSB

 

Comentário do semestre: Aumento significativo do número total de filiados no semestre, mas que esconde situações bem diferentes. 14 partidos perdem membros, incluído o PT, que já tem a liderança ameaçada pelo MDB. Em um ano, a diferença entre os dois primeiros baixou de 879 para 59.

Top 5: PT, MDB, PCdoB, PP, PSDB. Sem modificação

Muita modificação no ranking: o PSD ganha 11 posições, PSL 7, Solidariedade 5, Pros 4, Republicanos 2, PSTU e PCO 1 cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para Solidariedade, que mais que dobra seu número de aderentes (+107,61%), PSD (+70,48%) e PSL (+60,09%), e negativo para Novo (-17,95%), Rede (-12,50%) e PV (-5,77%).

Confira o ranking dos partidos no Acre em abril de 2020 > 2020 abril AC

 

AL – ALAGOAS

Habitantes: 3.337.357 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 2.212.142 (+1,44%)

Eleitores filiados: 185.529 (8,39 % do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

 

Comentário do semestre: Rui Palmeira na prefeitura impulsiona o PSDB, que sobe no pódio por 12 membros a mais que o PSB. Progressistas ganha mais de 3 mil aderentes, e já ameaça a liderança do MDB. União Popular já entra deixando dois partidos para trás.

Top 5: MDB, PP, PSDB (+1), PSB (-1), PTB.

Na classificação, Republicanos e Rede ganham 3 posições cada, PROS 2, PSDB, PL, Avante, PMN e PSD uma cada. UP entra em 31o.

Proporcionalmente, destaques positivo para PROS (+86,45%), Rede (+85,50%) e PP (+22,11%), e negativo para Novo (-18,95%), PMB (-16,97%) e PCdoB (-4,48%).

Confira o ranking dos partidos em Alagoas em abril de 2020 > 2020 abril AL

 

AM – AMAZONAS

Habitantes: 4.144.597 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 2.446.888 (+2,03%)

Eleitores filiados: 263.669 (10,78 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSC

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

 

Comentário do semestre: O PCdoB, único partido do Top 20 a perder filiados, deixa de ser o preferido. Perde até a vice-liderança para o PT. Já o Republicanos continua sua trajetória de acensão e leva Amazonas a ser o único estado onde o PRB lidera o número de filiados. O maior estado do Brasil também é o que mais cresce em número total de filiados no semestre (+8,64%) e o terceiro em crescimento de eleitores (+2,03%).

Top 5: Republicanos (+1), PT (+1), PCdoB (-2), PSC (+1), MDB (-1).

Vários partidos ganham uma posição no ranking, PSD e Solidariedade sobem três degraus.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede (+57,96%), Avante (+43,05%) e PRTB (+23,01%), e negativo para Novo (-8,94%), PCB (-2,88%) e PMN (-2,69%).

Confira o ranking dos partidos no Amazonas em abril de 2020 > 2020 abril AM

 

AP-AMAPÁ

Habitantes: 845.731 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 515.426 (+1,08%)

Eleitores filiados: 105.569 (20,48 % do eleitorado)

Partido do Governador: PDT

Partido do Prefeito da Capital: REDE

 

Comentário do semestre: Não foi um bom semestre para os partidos “progressistas”, mesmo se o PSOL conserva a liderança adquirida no semestre passado e que o PDT segue como vice. PT, PSB, PCdoB perdem filiados e posições no ranking, enquanto PSL chega ao pódio. Espetacular progressão do Podemos que quadruplica seus membros e atinge o Top 10.

Top 5: PSOL, PDT, PSL (+6), PSDB (-1), PT (-1).

O Podemos ganha quinze posições na classificação, PSL seis, Pros três e PRTB duas.

Proporcionalmente, destaques positivo para o Podemos (+305,00%), PSL (+43,67%) e PRTB (+22,18%), e negativo para Novo (-13,21%), PTC (-9,95%) e DC (-6,86%).

Confira o ranking dos partidos no Amapá em abril de 2020 > 2020 abril AP

 

BA-BAHIA

Habitantes: 14.873.064 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 10.115.727 (-3,39%)

Eleitores filiados: 989.494 (9,78 % do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: DEM

 

Comentário do semestre: O PT chega à liderança na preferência dos eleitores baianos na hora de filiar-se. Em ano ano, o partido do Governador inverteu a diferença com o então líder MDB, que era de 10 mil negativos, para 3,5 mil positivos. O Democratas recupera a segunda colocação perdida semestre passado. Bahia é segundo estado que mais perde eleitores (-3,39%), ficando só atrás de São Paulo.

Avante e Rede ganham duas posições no ranking, PT, novo líder, DEM, PSD, Pros e PCO uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede (+151,20%), Pros (+44,06%) e PSD (+34,31%), e negativo para Novo (-19,62%), PMB (-4,00%) e PRTB (-3,35%).

Confira o ranking dos partidos na Bahia em abril de 2020 > 2020 abril BA

 

CE-CEARÁ

Habitantes: 9.132.078 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 6.563.481 (+1,92%)

Eleitores filiados: 540.671 (8,24 % do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: PDT

 

Comentário do semestre: PT, PDT e PSB são os únicos do Top 10 a ganhar filiados em um ano, após um semestre precedente negativo. O partido do Governador amplia ainda mais sua vantagem, que beira os 30 mil filiados. PSB e DEM trocam de novo de posição.

Top 5: PT, PSDB, MDB, PP, PDT (+1).

Ranking sem modificação significativa, PDT, PSB, PSD e Rede ganham uma posição cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede (+63,93%), PSD (+35,40%) e Solidariedade (+20,76%), e negativo para Novo (-11,11%), PRTB (-4,75%) e PMB (-4,36%).

Confira o ranking dos partidos no Ceará em abril de 2020 > 2020 abril CE

 

DF: DISTRITO FEDERAL

Habitantes: 3.015.268 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 2.096.574 (+0,44%)

Eleitores filiados: 218.629 (10,43 % do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

 

Comentário do semestre: O DF não passou por grande queda de filiados no semestre passado, por isso também não conhece recuperação neste. É a unidade da Federação que menos cresce em termos totais (+0,35%). O ninho tucano fica cada vez menor. Já foi o maior, e agora seu segundo está ameaçado pelo MDB do Governador. A vantagem do líder PT já se aproxima de 6 mil militantes.

O Top 5 não tem modificações: PT, PSDB, MDB, PP, DEM.

No ranking, só o PTB ganha uma posição, a nona.

Em termos percentuais, os três partidos que mais cresceram no semestre foram PCO (+22,58%), PSL (+13,93%) e PTB (+7,36%).

Destaque negativo proporcional para Novo (-9,42%), PSDB (-9,34%) e PRTB (-2,50%).

Confira o ranking dos partidos no DF em abril de 2020 > 2020 abril DF

 

ES-ESPÍRITO SANTO

Habitantes: 4.018.650 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 2.769.163 (-0,33%)

Eleitores filiados: 335.324 (12,11 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSB

Partido do Prefeito da Capital: PPS

 

Comentário do semestre: Ligeira recuperação do número total de filiados, mas ainda longe de retornar ao que era um ano atrás. O MDB perde membros, mas continua na liderança graças à grande vantagem que tem. Sem mudança no Top 10.

Top 5: MDB, PDT, PP, PSDB, PT (sem modificação)

Republicanos ganha cinco posições no ranking, Podemos duas, PRTB e REDE uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para o Republicanos (+38,56%), Rede (+30,57%) e PSD (+22,28%), e negativo para Novo (-21,74%), DEM (-2,94%) e PCB (-2,05%).

Confira o ranking dos partidos no Espírito Santo em abril de 2020 > 2020 abril ES

 

GO-GOIÁS

Habitantes: 7.018.354 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 4.574.694 (+1,60%)

Eleitores filiados: 678.493 (14,83 % do eleitorado)

Partido do Governador: DEM

Partido do Prefeito da Capital: MDB

 

Comentário do semestre: Os dois líderes perdem filiados, mas a vantagem que MDB e PSDB têm os deixa fora do alcance dos outros partidos. A grande maioria das agremiações tem um semestre positivo, somente seis perdem militantes.

Top 5: MDB, PSDB, PP, DEM (+1), PT (-1).

O PSL ganha seis posições no ranking, Solidariedade três, Republicanos duas, DEM, Podemos, PV e Rede uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para o PSL pelo segundo semestre consecutivo (+45,15%), Solidariedade (+25,48%) e Avante (+23,49%), e negativo para Novo (-8,37%), PCdoB (-5,13%) e PSDB (-2,32%).

Confira o ranking dos partidos em Goiás em abril de 2020 > 2020 abril GO

 

MA-MARANHÃO

Habitantes: 7.075.181 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 4.538.323 (-0,24%)

Eleitores filiados: 579.199 (12,76 % do eleitorado)

Partido do Governador: PCdoB

Partido do Prefeito da Capital: PDT

 

Comentário do semestre: Alta generalizada no semestre, cinco partidos somente perdem filiados. Só o PSB fica no vermelho no Top 10. O Progressistas recupera a quinta posição perdida no semestre passado.

Top 5: MDB, PDT, PTB, DEM, PP (+1).

PSL e Solidariedade ganham duas posições, PDT, PSDB e Republicanos uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para a Rede pelo terceiro semestre consecutivo (+39,42%), PL (+23,20%) e PRepublicanos (+19,88%), e negativo para Novo (-8,97%), PCB (-4,03%) e PV (-2,87%).

Confira o ranking dos partidos no Maranhão em abril de 2020 > 2020 abril MA

 

MG – MINAS GERAIS

Habitantes: 21.168.791 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 15.790.851 (+0,54%)

Eleitores filiados: 1.722.756 (10,91 % do eleitorado)

Partido do Governador: NOVO

Partido do Prefeito da Capital: PSD

 

Comentário do semestre: Somente quatro partidos perdem filiados num semestre de recuperação que no entanto não volta aos níveis de abril de 2019. O crescimento é ainda maior na segunda metade do ranking, com números a dois dígitos. Já o partido do Governador Romeu Zema é quem amarga a maior queda de filiados no semestre.

Top 5: MDB, PT, PSDB, DEM, PTB. Sem modificação.

Avante ganha quatro posições, PSL, PSD e Patriotas duas, PSC, Solidariedade e PRTB uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede (59,61%), Avante (+48,59%) e PMB (+38,05%) e negativo para Novo (-20,71%), PCdoB (-1,02%) e Pros (-0,67%).

Confira o ranking dos partidos em Minas Gerais em abril de 2020 > 2020 abril MG

 

MS – MATO GROSSO DO SUL

Habitantes: 2.778.986 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 1.882.429 (-0,35%)

Eleitores filiados: 303.135 (16,10 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: PSD

 

Comentário do semestre: Mato Grosso do Sul perde eleitores, ganha poucos filiados, mas há várias modificações fora do Top 5. Aos poucos, o PSDB se aproxima da vice-liderança, a menos de 2 mil membros atrás do PT. A Rede mais que dobra sua militância.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PDT, PTB (sem modificação)

O Podemos ganha quatro posições no ranking, o PSL três, PSD e Rede duas, PP, DEM e Avante uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede (+146%), PSL (+42,62%) e Podemos (+41,30%), e negativo para Pros (-16,33%), Republicanos (-8,86%) e Novo (-5,91%).

Confira o ranking dos partidos no Mato Grosso do Sul em abril de 2020 > 2020 abril MS

 

MT – MATO GROSSO

Habitantes: 3.484.466 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 2.207.635 (+2,52%)

Eleitores filiados: 356.447 (16,15 % do eleitorado)

Partido do Governador: DEM

Partido do Prefeito da Capital: MDB

 

Comentário do semestre: Após dois semestres em queda, o número de eleitores cresce tão fortemente que é o maior percentual do Brasil (+2,52%). O número de filiados também está em alta, mas não permite voltar à situação de abril de 2019. O Progressistas recupera a sexta colocação perdida no semestre passado.

Top 5: DEM, MDB, PSDB, PL, PPS (sem modificação)

Pros e PRTB ganham duas posições no ranking, PP, PSL, Patriotas e PMB uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para o Podemos (+85,90%), PRTB (+50,18%) e Patriotas (+48,02%), e negativo para Novo (-13,97%), Avante (-9,21%) e PMN (-3,81%).

Confira o ranking dos partidos no Mato Grosso em abril de 2020 > 2020 abril MT

 

PA – PARÁ

Habitantes: 8.602.865 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 5.448.677 (+0,50%)

Eleitores filiados: 598.307 (10,98 % do eleitorado)

Partido do Governador: MDB

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

 

Comentário do semestre: O Pará se destaca em dois registros neste semestre, que parecem paradoxais: é o terceiro estado que mais perde eleitores (-0,77%) e a unidade da federação que mais cresce em filiados (+7,60%). 4 partidos só estão no vermelho. O PSC dá um pulo no Top 10, atingido a sétima colocação.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PRB, PL (sem modificação).

O PSC ganha três posições no ranking, PSD, Podemos, Solidariedade, Avante e PSTU uma cada. A Unidade Popular entra já passando o PCO, apesar do crescimento deste.

Proporcionalmente, destaques positivo para o PCO (+63,64%), Rede (+56,10%) e PMB (+52,14%), e negativo para Novo (-21,39%, PSOL (-1,07%) e PSTU (-0,95%).

Confira o ranking dos partidos no Pará em abril de 2020 > 2020 abril PA

 

PB – PARAÍBA

Habitantes: 4.018.127 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 2.934.538 (+1,43%)

Eleitores filiados: 339.569 (11,57 % do eleitorado)

Partido do Governador: Cidadania

Partido do Prefeito da Capital: PV

 

Comentário do semestre: Recuperação do número de filiados no semestre, mas não suficiente para voltar à situação de abril de ano passado. O líder MDB está no vermelho, mas sua vantagem é suficiente para não estar preocupado com seus concorrentes mais próximos, que só conheceram um acréscimo moderado, inferior à média.

Top 5: MDB, DEM, PSDB, PT, PP (sem modificação)

Unidade Popular entra diretamente em 30o, deixando três agremiações atràs, Cidadania ganha três posições, Solidariedade duas, PL, Avante, PV e Rede uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede (+116,19%), Cidadania (+54,15%) e Pros (+41,30%), e negativo para Novo (-18,24%), PSB (-10,17%) e PSTU (-9,00%).

Confira o ranking dos partidos na Paraíba em abril de 2020 > 2020 abril PB

 

PE-PERNAMBUCO

Habitantes: 9.557.071 (Estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 6.715.073 (+1,12%)

Eleitores filiados: 590.594 (8,80 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSB

Partido do Prefeito da Capital: PSB

 

Comentário do semestre: Semestre de crescimento, mais moderado que a média nacional. No Top 10, o PSB ganha duas posições de uma vez, e já pode mirar o quinteto da liderança. A parte de baixo da tabela cresce com mais força.

Top 5: PT, PP, MDB, PDT, PSDB. (sem modificação)

Republicanos ganha três posições no ranking, PSB duas, Podemos, Cidadania, PSC, Solidariedade e PMB sobem uma cada. Unidade Popular entra em 32o.

Proporcionalmente, destaques positivo para a Avante (+38,57%), PMB (+27,47%) e PSD (+26,89%), e negativo para Novo (-10,94%), PCB (-3,10%) e PMN (-1,93%).

Confira o ranking dos partidos em Pernambuco em abril de 2020 > 2020 abril PE

 

PI – PIAUÍ

Habitantes: 3.273.227 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 2.436.810 (+1,70%)

Eleitores filiados: 310.158 (12,73 % do eleitorado)

Partido do Governador: PT

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

 

Comentário do semestre: Recuperação robusta no semestre, que acaba anulando a queda do semestre passado. Bastante modificação no ranking, o PP dá um salto para entrar no Top 3, mas MDB e PT também crescem acima da média. No entanto, a maioria das agremiações perde filiados.

Top 5: MDB, PT, PP (+2), PTB, PSDB (-2).

No ranking, PSL e PSD sobem quatro posições, Progressistas e PL duas, Republicanos, Solidariedade, Avante e PSOL uma cada.

Proporcionalmente, destaque positivo para o PSD (+53,05%), PSL (+36,63%) e Republicanos (+27,30%), e negativo para PTC (-10,42%), Novo (-9,63%) e PRTB (-8,79%).

Confira o ranking dos partidos no Piauí em abril de 2020 > 2020 abril PI

 

PR – PARANÁ

Habitantes: 11.433.957 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 7.992.243 (-0,77%)

Eleitores filiados: 1.002.815 (12,55 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSD

Partido do Prefeito da Capital: DEM

 

Comentário do semestre: Só o Progressistas cresce no Top 3, mas as diferenças ainda são muito grandes para modificar as posições, a única mudança no Top 10 é a chegada do PSD. A recuperação do semestre permite voltar acima de 1 milhão de filiados no Paraná.

Top 5: MDB, PP, PSDB, PT, PDT (sem modificação)

No ranking, Pros ganha 5 posições, PSD, PSL e PTC três e o Republicanos uma.

Proporcionalmente, destaques positivo para o PCO (+76,56%), Pros (+57,59%) e PSD (+49,29%), e negativo para Novo (-10,68%), PMB (-5,02%) e PMN (-4,62%).

Confira o ranking dos partidos no Paraná em abril de 2020 > 2020 abril PR

 

RJ – RIO DE JANEIRO

Habitantes: 17.264.943 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 12.468.896 (+0,78%)

Eleitores filiados: 1.076.923 (8,64 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSC

Partido do Prefeito da Capital: Republicanos

 

Comentário do semestre: Rio de Janeiro foi é o estado que mais perdeu filiados no semestre passado, foi um dos que menos recuperou neste, somente um terço. As grandes diferenças entre os primeiros colocados impedem as modificações. O PSL, o que mais cresce, só chega à 11a colocação.

Top 5: PDT, MDB, PT, PSDB, PP (sem modificação)

Poucas mudanças no ranking, PSL ganha duas posições, Republicanos, Cidadania e Solidariedade uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para PCO (+48,51%), PSL (+38,69%) e PSD (+31,44%), e negativo para Novo (-8,46%), PSTU (-0,79%) e PTB (-0,37%).

Confira o ranking dos partidos no Rio de Janeiro em abril de 2020 > 2020 abril RJ

 

RN – RIO GRANDE DO NORTE

Habitantes: 3.506.853 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 2.430.002 (+1,42%)

Eleitores filiados: 270.983 (11,15 % do eleitorado)

Partido da Governadora: PT

Partido do Prefeito da Capital: MDB

 

Comentário do semestre: O PSDB que estava em quarto ainda semestre passado já pode mirar a segunda colocação, num semestre onde os partidos da parte de cima da tabela estão crescendo. Mais quase a metade perde filiados.

Top 5: MDB, DEM, PSDB, PP, PL. (sem modificação)

Solidariedade e PSC ganham duas posições no ranking, Republicanos, PRTB e Rede uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para o Rede (+54,96%), PCO (+47,83%), e PSC (+38,95%), e negativo para Novo (-8,36%), PTC (-7,78%) e PMB (-7,43% cada).

Confira o ranking dos partidos no Rio Grande do Norte em abril de 2020 > 2020 abril RN

 

RO – RONDÔNIA

Habitantes: 1.777.225 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 1.155.978 (+1,17%)

Eleitores filiados: 170.296 (14,73 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSL

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

 

Comentário do semestre: O Top 10 cresce, a segunda metade é mais mista, a última negativa. Há bastante mudanças no ranking atrás dos primeiros.

Top 5: MDB, PSDB, PP, PT, PTB (sem modificação)

PSD sobe quatro posições no ranking, Republicanos três, Podemos, PSL e Patriotas duas, Avante, PRTB e Rede uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para o PSD (+55,58%), Republicanos (+36,69%) e Patriotas (+36,21%), e negativo para Novo (-17,22%), PMN (-8,44%) e PMB (-4,35%).

Confira o ranking dos partidos em Rondônia em abril de 2020 > 2020 abril RO

 

RR – RORAIMA

Habitantes: 605.761 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 341.253 (+1,95%)

Eleitores filiados: 62.124 (18,20 % do eleitorado)

Partido do Governador: sem partido (ex-PSL)

Partido da Prefeita da Capital: MDB

 

Comentário do semestre: Estado que mais conhece crescimento de filiados no semestre (empatado com o Rio Grande do Sul), +3,56%. No entanto os principais partidos perdem militantes, com exceção do Progressistas. Perdendo menos que o PDT, o PSDB recupera a terceira colocação.

Top 5: Patriota, PP, PSDB (+1), PDT (-1), PTB.

PSL, Pros e PMB ganham três posições, PSDB, PL, PSB, PV, PSD e Solidariedade uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para PMB (+151,39%), Rede (+98,40%) e Pros (+59,86%), e negativo para Novo (-15,91%), PCB (-9,52%) e PCdoB (-8,56%).

Confira o ranking dos partidos em Roraima em abril de 2020 > 2020 abril RR

 

RS – RIO GRANDE DO SUL

Habitantes: 11.377.239 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 8.383.164 (+0,85%)

Eleitores filiados: 1.343.940 (16,03 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

 

Comentário do semestre: Estado que vê maior crescimento de número total de filiados (empatado com Roraima). E a maioria dos partidos conhece aumento de militantes, é só além do Top 20 que o semestre fica em vermelho.

Top 5: MDB, PDT, PP, PT, PTB. (sem modificação)

PRTB sobe quatro posições no ranking, Republicanos, PSL, Avante e Patriotas uma. Unidade Popular entra em 32o.

Proporcionalmente, destaques positivo para PRTB (+70,84%), PSL (+56,26%) e PCO (+42,73%), e negativo para Novo (-11,05%), PMN (-5,70%) e PMB (-5,36%).

Confira o ranking dos partidos no Rio Grande do Sul em abril de 2020 > 2020 abril RS

 

SC – SANTA CATARINA

Habitantes: 7.164.788 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 5.141.539 (+0,16%)

Eleitores filiados: 885.366 (17,22 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSL

Partido do Prefeito da Capital: DEM (ex-MDB)

 

Comentário do semestre: Santa Catarina quase recupera os filiados perdidos no semestre precedente. Mas o crescimento não vem do Top 10. Quatro partidos no mínimo dobram seus militantes: Podemos, Avante, PRTB e PCO.

Top 5: MDB, PP, PSDB, DEM, PT. (sem modificação).

Podemos ganha cinco posições no ranking, PSL e Patriotas três, PCO e DC uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para Podemos (+137,37%), PRTB (+108,85%) e Avante (+105,55%), e negativo para Novo (-14,01%), Rede (-13,00%) e PSB (-3,52%).

Confira o ranking dos partidos em Santa Catarina em abril de 2020 > 2020 abril SC

 

SE – SERGIPE

Habitantes: 2.298.696 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 1.602.105 (+1,64%)

Eleitores filiados: 177.027 (11,05 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSD

Partido do Prefeito da Capital: PDT (ex PCdoB)

 

Comentário do semestre: Sergipe recupera o número total de filiados perdido no semestre passado, e o PT volta à liderança. O crescimento no topo da tabela é modesto em relação à média, com isso o Progressistas pula duas posições para entrar no Top 5 em quarto. O Novo tem seu pior resultado do Brasil, perdendo um quarto de seus militantes.

Top 5: PT (+1), MDB (-1), DEM, PP (+2), PDT.

PSL ganha três posições, Progressistas e Solidariedade duas, PT, PL, PSD, Pros e PSTU uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para PSD (+40,15%), PSL (+27,31%) e Rede (+25,34%), e negativo para Novo (-25,40%), Patriotas (-6,47%) e PTC (-5,82%).

Confira o ranking dos partidos em Sergipe em abril de 2020 > 2020 abril SE

 

SP – SÃO PAULO

Habitantes: 45.919.049 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 31.724.548 (-4,56%)

Eleitores filiados: 3.091.691 (9,75 % do eleitorado)

Partido do Governador: PSDB

Partido do Prefeito da Capital: PSDB

 

Comentário do semestre: Quando algo acontece com os números de São Paulo, a situação repercuta no Brasil. E este semestre foi de queda abrupta do número de eleitores, 1,5 milhão a menos (-4,56%), o equivalente do eleitorado de Sergipe. No entanto, o número de filiados cresce, e somente dois partidos estão no vermelho: Novo e PCB.

Top 5: MDB, PT, PTB, PSDB, PP (sem modificação)

Todos os partidos que sobem no ranking só ganham uma posição: PL, PSL, Republicanos, PSD, Avante, PRTB, Pros e Rede.

Proporcionalmente, destaques positivo para Rede (+46,46%), PCO (+32,49%) e PSL (+21,71%), e negativo para Novo (-11,03%) e PCB (-0,64%).

Confira o ranking dos partidos em São Paulo em abril de 2020 > 2020 abril SP

 

TO – TOCANTINS

Habitantes: 1.572.866 (estimativa IBGE 07/2019)

Eleitores: 1.023.821 (+2,21%)

Eleitores filiados: 206.251 (20,15 % do eleitorado)

Partido do Governador: DEM

Partido da Prefeita da Capital: PSDB

 

Comentário do semestre: Segundo maior crescimento de eleitores e de filiados em comparação com as outras unidades da União, Tocantins vê o DEM recuperar a terceira posição perdida para os tucanos no semestre anterior. E também forte avanço dos partidos no meio da tabela, que garantem a liderança do estado no quesito percentual de filiados/eleitores.

Top 5: MDB, PP, DEM (+1), PSDB (-1), PT.

Solidariedade ganha três posições (foram cinco em um ano), PSD duas e DEM e Avante uma cada.

Proporcionalmente, destaques positivo para Avante(+ 159,59%), Solidariedade (+98,98%) e PCO (que passa de 2 para 3 militantes (+50,00%), e negativo para Novo (-16,27%), PMN (-10,39%) e PSTU (-10,00%).

Confira o ranking dos partidos no Tocantins em abril de 2020 > 2020 abril TO

 

ZZ – BRASILEIROS NO EXTERIOR

Habitantes: segundo o TSE, dos quase 3 milhões de brasileiros que moram fora do país, estima-se que pelo menos 1,5 milhão poderiam participar do pleito.

Eleitores: 477.363 registrados (+4,82%)

Eleitores filiados: 8.739 (1,83 % do eleitorado)

Partido do Presidente da República: sem partido (ex-PSL)

 

Comentário do semestre: Crescimento de novo no pequeno contingente dos eleitores brasileiros no exterior filiados a partido político. Após o enorme salto do semestre passado, a subida é mais modesta (+12,10%) e não modifica muito o quadro, apesar dos números serem pequenos. Nenhuma agremiação perde militante, mas Novo e PMB ficam estagnados.

Top 5: MDB, PT, PSDB, PP, PTB. (sem modificação).

No ranking, PSL ganha quatro posições, Patriotas e PCO duas cada.

Destaque proporcional para PCO (que passa de 1 a 8 filiados) (+700,00 %), PSL (+179,55%) e Solidariedade (+41,67%). Não tem destaque negativo.

Confira o ranking dos partidos para os brasileiros no exterior em abril de 2020 > 2020 abril ZZ

 

 

TABELA RECAPITULATIVA BRASIL abril 2020 > 2020 abril Recapitulatif

 

Servidores GDF, março 2020: maior número de apadrinhados desde Agnelo

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de 15 de abril de 2020 publica o quadro da força de trabalho ativa do Governo de Distrito Federal (GDF) em 31/03/2020.

Cópia do DODF > DODF 071 15-04-2020 Força GDF

 

Março de 2020

O total de servidores próprios ativos em 31/03/2020 é de 122.655. A Secretaria de Educação continua o maior “empregador” do serviço público Distrital, com 34.506 servidores, seguida da SE Saúde com 34.135 e da Polícia Militar com 10.673.

O total de cargos em comissão (concursados + livre provimento) é de 14.324. Em números absolutos, é SE Saúde que possui mais funções gratificadas (1.816), seguida da Polícia Civil (1.178) e da SE Economia (1.048).

O número de cargos comissionados ocupados por servidores sem vínculos com o GDF é de 6.996, que corresponde a 5,70 % do total de servidores.

A SE Justiça e Cidadania é a unidade com maior número absoluto de comissionados de livre provimento (sem concurso) com 373, seguida da PMDF (367) e da SE Saúde (353).

Quatro unidades só tem pessoas indicadas (100%): a Secretaria de Desenvolvimento de Região Metropolitana, com quinze, a Administração Regional do Sol Nascente/Por do Sol, com dez; a CEB Gás, com quatro e a Administração Regional de Arniqueiras com um.

Confira os servidores do GDF em 31/03/2020 > Servidores mar 2020

 

Dezembro 2019/Março 2020

As tendências são as mesmas desde o início do governo Ibaneis: alta nas nomeações em cargos de confiança (+ 271) e nos de livre provimento (+ 164), e baixa nos concursados (- 633)

Com o aumento dos cargos de livre nomeação, a diminuição da força total no trimestre é de 469 servidores.

Houve nomeações na Secretaria de Saúde em março por causa da pandemia de CoVid19, mas que não impediram baixa de 210 servidores na pasta. No entanto, deve aumentar com a efetivação dos novos chamados, e com mais concursados em abril.

 

Em alta: Apesar da baixa geral, vários órgãos tiveram aumento da força de trabalho. A CEB é a unidade que mais ganha servidores (102), seguida da SE Justiça e Cidadania (Sejus) com 97 e a SE Mulher (+ 77).

O total de comissionados sem vínculo cresceu 2,40%, e atingiu quase 7 mil, o maior número do Governo Ibaneis, e maior que no governo Rollemberg. Os destaques de alta foram a SE Economia (+ 58), a SE Educação (+ 57) e a SE Agricultura (+ 17) e a recém-criada SE de Relações Parlamentares (+ 17).

 

Em baixa: As SE Educação (-317) e SE Saúde (-210) são as maiores perdedores pelo terceiro trimestre consecutivo, seguidas da PMDF (-143).

Com saldo total de entrada de 164 servidores sem vínculo no trimestre, foram poucas as unidades a perder esta categoria de funcionários. A SE Trabalho teve reorganização e viu seu contingente de “indicados” passar de 143 para 86 (-57), seguida da SE Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEDUH) que perdeu 15 “sem vínculo” e do Gabinete do Governador com -13.

 

Ligeiro aumento da força de trabalho das Administrações Regionais que chega a um total de 2.050 (+48 no trimestre), sendo 1.308 “apadrinhados”, 42 a mais que no fim do ano passado. Os “fora do quadro” representam 63,80 % da força de trabalho das ARs.

Confira a variação da força de trabalho do GDF entre dezembro de 2019 e março de 2020 > Servidores dez 2019-mar 2020

 

Histórico:

Confira a variação da força de trabalho total do GDF desde dezembro de 2014 > Tableau Força GDF

Confira a variação dos comissionados sem vínculo desde dezembro de 2014 > Tableau sem vínculo GDF

 

Propaganda do GDF no 1o trimestre 2020: R$ 22,8 milhões

O Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), na edição suplementar 067, de 08/04/2020, informa que os gastos do Governo com Publicidade no primeiro trimestre de 2020 foram de R$ 22.792.472,48.

Cópia do DODF > DODF 067 08-04-2020 SUPLEMENTO

Apesar de serem pagos em 2020, a grande maioria das despesas são referentes a veiculação e produção ainda em 2019 > DODF 2020 1o tri midia período

Desde o início da série histórica, nós optamos por considerar a data de realização dos pagamentos, e não de veiculação. Confira a série histórica por trimestre desde 2015 > GASTOS EM PROPAGANDA GDF Tableau

 

Para o primeiro trimestre de 2020, o montante foi distribuído da forma seguinte (confira o gráfico por tipo de mídia e produção > DODF 2020 1o tri midia pizza tipo

 

Veiculação em TV: R$ 7.907.430,45 (confira os montantes por emissora > DODF 2020 1o tri midia TV

Veiculação em suportes alternativos (*): R$ 5.362.173,89 (confira os montantes por empresa > DODF 2020 1o tri midia alternativa

Veiculação em Jornal: R$ 3.153.622,73 (confira os montantes por jornal > DODF 2020 1o tri midia jornal

Veiculação na Internet: R$ 2.483.800,98 (confira os montantes por endereço > DODF 2020 1o tri midia internet

Produção: R$ 2.323.986,97 (confira os montantes por empresa > DODF 2020 1o tri midia produção

Veiculação em Radio: R$ 1.313.756,82 (confira os montantes por emissora > DODF 2020 1o tri midia radio

Veiculação de anúncios legais > R$ 201.406,78 (confira os montantes por veículo > DODF 2020 1o tri midia legal

Veiculação em revista: R$ 46.294,16 (confira os montantes por revista > DODF 2020 1o tri midia revista

(*) a veiculação em suporte alternativos – outdoors, paradas de ônibus, carros de som – não deve ser confundida com a veiculação em mídia alternativa, objeto da Emenda 74/2014 ao artigo 149 da Lei Orgânica, de autoria da Deputada Luzia de Paula, que destina “no mínimo, dez por cento do total das despesas com publicidade do Poder Legislativo e dos órgãos ou entidades da administração direta e indireta do Poder Executivo para contratação de veículos alternativos de comunicação comunitária impressa, falada, televisada e on-line sediados no Distrito Federal.”

No primeiro trimestre de 2020, o GDF elencou nesta categoria de “veiculação em mídia alternativa” gastos num total de R$ 1.795.968.08 (que corresponde a 7,88 % da despesa total) (confira a lista e os montantes da mídia alternativa > DODF 2020 1o tri midia v alt

(NB: as despesas da “veiculação alternativa” estão também incluídas nas respectivas categorias – internet e jornal – nas listas precedentes)

Propaganda do GDF no 4o trimestre 2019: R$ 37 milhões

O DODF 005, de 08/01/2020, informa que os gastos do Governo com Publicidade no quarto trimestre de 2019 foram de R$ 37.001.102,18., fechando o primeiro ano do Governo Ibaneis com um total de R$ 67.307.381,56

Cópia do DODF > DODF 005 08-01-2020 INTEGRA-páginas-29-39

 

Confira a série histórica por trimestre desde 2015 > GASTOS EM PROPAGANDA GDF Tableau

Para o quarto trimestre de 2019, o montante foi distribuído da forma seguinte (confira o gráfico por tipo de mídia e produção > Total pago 4o tri 2019 por tipo de mídia

 

Veiculação em TV: R$ 14.745.249,06 (confira os montantes por emissora > DODF 2019 4o tri midia TV

Veiculação em suportes alternativos (*): R$ 8.041.583,79 (confira os montantes por empresa > DODF 2019 4o tri midia alternativa

Veiculação em Jornal: R$ 4.553.267,85 (confira os montantes por jornal > DODF 2019 4o tri midia jornal

Produção: R$ 3.736.461,76 (confira os montantes por empresa > DODF 2019 4o tri midia produção

Veiculação na Internet: R$ 3.409.293,25 (confira os montantes por endereço > DODF 2019 4o tri midia internet

Veiculação em Radio: R$ 1.848.196,70 (confira os montantes por emissora > DODF 2019 4o tri midia radio

Veiculação de anúncios legais > R$ 548.635,62 (confira os montantes por veículo > DODF 2019 4o tri midia legal

Veiculação em revista: R$ 118.414,15 (confira os montantes por jornal > DODF 2019 4o tri midia revista

(*) a veiculação em suporte alternativos – outdoors, paradas de ônibus, carros de som – não deve ser confundida com a veiculação em mídia alternativa, objeto da Emenda 74/2014 ao artigo 149 da Lei Orgânica, de autoria da Deputada Luzia de Paula, que destina “no mínimo, dez por cento do total das despesas com publicidade do Poder Legislativo e dos órgãos ou entidades da administração direta e indireta do Poder Executivo para contratação de veículos alternativos de comunicação comunitária impressa, falada, televisada e on-line sediados no Distrito Federal.”

No quarto trimestre de 2019, o GDF elencou nesta categoria de “veiculação em mídia alternativa” gastos num total de R$ 2.002.823,45 (que corresponde a 5,41 % da despesa total) (confira a lista e os montantes da mídia alternativa > DODF 2019 4o tri midia v alter

(NB: as despesas da “veiculação alternativa” estão também incluídas nas respectivas categorias – internet e jornal – nas listas precedentes)

Emendas parlamentares dos Distritais à LOA 2020

Cada um dos 24 Deputados Distritais teve direito de apresentar Emendas Parlamentares à Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2020 de montante total (por parlamentar) de R$ 19.804.636.

No entanto, a lista das Emendas Parlamentares publicada pela Câmara Legislativa do DF revela um total diferente para os Deputados Agaciel Maia (R$ 19.804.600), Daniel Donizet (R$ 19.804.600), Fábio Felix (R$ 19.704.636), Reginaldo Sardinha (R$ 19.894.636), Robério Negreiros (R$ 18.804.636), Telma Rufino (R$ 13.546.577) e Valdelino Barcelos (R$ 19.804.635).

Por isto, o total de Emendas Parlamentares é de R$ 468.043.132 (ao invés de 24 x 19.804.636 = R$ 475.211.364).

(Nota do blog: foram compiladas as emendas individuais que foram publicadas no Diário da Câmara Legislativa em duas edições – 242 de 22/11/2019 e 246 de 28/11/2019 – com as correções dos Relatores parciais e do Relator geral publicadas no DCL 261 de 16/12/2019)

Urbanismo e infraestrutura continuam os favoritos dos distritais. Mesmo em ligeira baixa após os R$ 151 milhões em 2018, R$ 148 milhões em 2019 e agora R$ 143,7 milhões, as obras oferecem visibilidade a seus autores, um resultado concreto. O item Educação segue trajetória contrária, subindo de R$ 92 milhões em 2018 para R$ 94,6 milhões ano passado, e agora a barra de R$ 100 milhões ultrapassada para 2020. Com destaque para o programa PDAF, que permite aportar recursos financeiros diretamente às escolas para pequenas compras, serviços e reparos. Na terceira colocação, a Cultura receberá R$ 34,27 milhões, deixando a Saúde logo atrás (R$ 34,07 milhões). A Saúde continua perdendo recursos, passando de R$ 47,5 milhões em 2018, R$ 38,3 milhões em 2019 a R$ 34,1 milhões em 2020.

Confira as Emendas Parlamentares 2020 por função > EP 2020 Distritais por função

 

Secretaria de Educação, Novacap e Fundo de Saúde são as três unidades que mais podem agradecer aos distritais por ter lembrando deles. Mesmo se as obras de urbanização foram as mais plebiscitadas, as emendas foram distribuídas entre várias unidades, contando também com as Administrações Regionais.

Confira as Emendas Parlamentares 2020 por UO > EP 2020 Distritais por UO

 

Muitas Emendas não especificam a localização do trabalho indicado, por isto o “genérico” “DF” representa para 2020 quase três quartos da distribuição geográfica dos projetos dos Distritais. Campeões em 2017 e 2018, Ceilândia e Brazlândia são ultrapassadas em 2020 por Planaltina e pelo Plano Piloto.

Confira as Emendas Parlamentares 2020 por Região Administrativa > EP 2020 Distritais por local

 

EMENDAS POR DEPUTADO DISTRITAL

(As fotos são de reprodução da internet)

 

Agaciel Maia:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Agaciel Maia gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Agaciel Maia lista

 

Arlete Sampaio

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Arlete Sampaio gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Arlete Sampaio lista

 

Chico Vigilante:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Chico Vigilante gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Chico Vigilante lista

 

Claudio Abrantes:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Claudio Abrantes gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Claudio Abrantes lista

 

Daniel Donizet:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Daniel Donizet gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Daniel Donizet lista

 

Delmasso:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Delmasso gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Delmasso lista

 

Eduardo Pedrosa:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Eduardo Pedrosa gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Eduardo Pedrosa lista

 

Fábio Felix:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Fábio Felix gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Fábio Felix lista

 

Hermeto:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Hermeto gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Hermeto lista

 

Iolando:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Iolando gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Iolando lista

 

Jaqueline Silva:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Jaqueline Silva gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Jaqueline Silva lista

 

João Cardoso:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais João Cardoso gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais João Cardoso lista

 

Jorge Vianna:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Jorge Vianna gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Jorge Vianna lista

 

José Gomes:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais José Gomes gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais José Gomes lista

 

Júlia Lucy:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Júlia Lucy gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Júlia Lucy lista

 

Leandro Grass:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Leandro Grass gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Leandro Grass lista

 

Martins Machado:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Martins Machado gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Martins Machado lista

 

Rafael Prudente:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Rafael Prudente gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Rafael Prudente lista

 

Reginaldo Sardinha:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Reginaldo Sardinha gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Reginaldo Sardinha lista

 

Reginaldo Veras:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Reginaldo Sardinha gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Reginaldo Veras lista

 

Robério Negreiros:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Robério Negreiros gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Robério Negreiros lista

 

Roosevelt Vilela:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Roosevelt Vilela gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Roosevelt Vilela lusta

 

Telma Rufino (assumiu o mandato do Delegado Fernando Fernandes):

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Telma Rufino gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Telma Rufino lista

 

Valdelino Barcelos:

Emendas por função e localização > EP 2020 Distritais Valdelino Barcelos gráficos

Lista das Emendas > EP 2020 Distritais Valdelino Barcelos lista

 

 

Servidores GDF, dezembro de 2019. trajetória sem mudança: + comissionados, – concursados

O Diário Oficial do Distrito Federal de 24 de janeiro de 2019 publica o quadro da força de trabalho ativa do Governo de Distrito Federal (GDF) em 31/12/2019, fim do primeiro ano do Governo Ibaneis.

Cópia do DODF > DODF 017 24-01-2020 Força Trabalho GDF

 

Dezembro de 2019

O total de servidores próprios ativos em 31/12/2019 é de 123.124. A Secretaria de Educação continua o maior “empregador” do serviço público Distrital, com 34.823 servidores, seguida da SE Saúde com 34.345 e da Polícia Militar com 10.816.

O total de cargos em comissão (concursados + livre provimento) é de 14.053. Em números absolutos, é SE Saúde que possui mais funções gratificadas (1.789), seguida da Polícia Civil (1.172) e da SE Economia (981).

O número de cargos comissionados ocupados por servidores sem vínculos com o GDF é de 6.832, que corresponde a 5,55 % do total de servidores.

A SE Justiça e Cidadania é a unidade com maior número absoluto de comissionados de livre provimento (sem concurso) com 370, seguida da PMDF (365) e da SE Saúde (349).

Em termos percentuais, três unidades tem 100 % da força de trabalho constituída de pessoas indicadas: a CEB Gás, com um único servidor, a recém-criada Administração Regional de Arniqueiras, também com um servidor só, e também recém-criada Administração Regional do Sol Nascente/Por do Sol, que conta agora com 10 funcionários, todos apadrinhados.

A seguir, aparecem a Junta Comercial, também recém integrada ao serviço público distrital, com 86 dos 89 funcionários sem concurso (96,63 %), a Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (FUNAP) com 96,08 % (49 dos 51 servidores) e o INAS – Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do DF com 14 de seus 15 trabalhadores de fora do quadro (93,33 %).

Confira os servidores do GDF em 31/12/2019 > Comissionados dez 2019

 

Setembro/Dezembro 2019

Último trimestre do primeiro ano da gestão Ibaneis Rocha, as tendências se confirmam: alta nas nomeações em cargos de confiança (+ 559) e nos de livre provimento (+ 155), e baixa nos concursados (- 1.769)

Com o aumento dos cargos de livre nomeação, a diminuição da força total no trimestre é de 1.614 servidores.

 

Em alta: Pouquíssimos órgãos conhecem um aumento de seus efetivos e estes são pequenos: a Fundação Hemocentro (+ 25), o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) (+ 17) e a Governadoria (+ 15) são os mais notáveis.

O total de comissionados sem vínculo cresceu 2,32 %. Os destaques de alta foram a SE Desenvolvimento Social (+ 22), a SE Saúde (+ 19) e a SE Segurança Pública (+ 15).

A Secretaria Extraordinária da Pessoa com Deficiência integra o quadro com 6 servidores sem vínculo (100 % de seu efetivo) e o Proflora com 4, num total de 7 integrantes.

 

Em baixa: As SE Educação (- 806) e SE Saúde (- 267) são as maiores perdedores, como também foram no 3o trimestre, seguidas da PCDF (- 113).

Pouquíssimas unidades tiveram saldo negativo de servidores sem vínculo. A SE Agricultura perdeu 17 “indicados”, a SE Justiça 6 e a AR Ceilândia 5 (quatro dos quais foram reforçar a AR Sol Nascente/Por do Sol).

 

O contingente das Administrações Regionais está em ligeira baixa, raspando a barra de 2.000, com um total de 2.002 (- 33 no trimestre), sendo 1.266 “apadrinhados”, 10 a menos que em setembro deste ano. Os “fora do quadro” representam 63,24 % da força de trabalho das ARs.

Confira a variação da força de trabalho do GDF entre setembro e dezembro de 2019 > Servidores set-dez 2019

 

Histórico:

Confira a variação da força de trabalho total do GDF desde dezembro de 2014 > Tableau Força GDF

Confira a variação dos comissionados sem vínculo desde dezembro de 2014 > Tableau sem vínculo GDF